Home » O que é bom para enjoo na gravidez?

O que é bom para enjoo na gravidez?

O que é bom para enjoo na gravidez. Mulher grávida fazendo chá.
4 minutos de leitura

Os enjoos na gestação ocorrem em cerca de 50 a 80% das mulheres, com os sintomas iniciando a partir da 2 a 4 semanas de gravidez. Devido ao seu início logo no começo da gestação, para muitas mães esse é o primeiro sinal da gravidez.

Apesar de popularmente conhecidos como “enjoos matinais”, para 98% das mulheres as náuseas permanecem ao longo de todo o dia. E isso pode prejudicar muito a qualidade de vida das mulheres, afetando suas atividades diárias e relações pessoais, por isso, nesse post você confere dicas do que é bom para enjoo na gravidez.

Entender quando os enjoos ocorrem e como podem ser aliviados, auxilia a mãe a recuperar sua qualidade de vida durante a gestação. Separamos as quatro principais formas naturais e práticas para aplicar no seu dia-a-dia! 

Quatro formas naturais de aliviar o enjoo na gravidez:

Existem alguns alimentos e práticas que auxiliam no alívio dos sintomas. As quatro indicações da lista são formas naturais, seguras e comprovadas para o alívio dos sintomas.

1. Gengibre

O gengibre é um potente aliado para o alívio dos sintomas de enjoo na gravidez. A sua forma mais popular de consumo entre as mulheres grávidas é o chá. Quanto maior a quantidade de gengibre no chá, mais concentrado ele fica e mais potente é o efeito.

No entanto, tome cuidado. Seu sabor é forte, e pode ser desagrdável para mulheres que não estão acostumadas. Caso prefira, comece ingerindo o chá mais diluído.

Pedaços de gengibre sem casca devem ser levados ao fogo junto com a água do chá. Quando a água atingir fervura, abaixe o fogo e deixe cozinhar por 5 minutos. Desligue o fogo, tampe o recipiente e deixe descansar por 2 minutos. Coe o chá com auxílio de uma peneira antes de servir para retirar os pedaços.

Outras formas de incluir o gengibre na alimentação, é como tempero, cru ou em pó. Ao consumir dessas outras formas, o gengibre fica menos concentrado e seu potencial de alívio nos sintomas fica menor. Porém, essa é uma estratégia para aumentar o consumo ao longo do dia.

O gengibre em pó pode ser comprado já pronto, na seção de temperos do supermercados ou lojas a granel, mas sempre confira os ingredientes para garantir que contém apenas gengibre. Caso consuma ele cru, higienize bem a casca ou descasque o alimento. 

2. Alimentos gelados

As náuseas atrapalham muito as refeições, seja pela própria sensação de mal-estar ou pelo receio de comer e passar mal. Nesse momento, ingerir alimentos gelados é uma ótima estratégia, pois eles aliviam a sensação de enjoo.

Não pense que é necessário consumir suas refeições tradicionais geladas. Você pode utilizar preparações gostosas e nutritivas. Algumas dicas são:

  • Sorvete feito com banana congelada e iogurte natural. Outras frutas podem ser adicionadas para diversificar os sabores;
  • Picolé feito com suco de fruta e água de coco.

É importante lembrar que refeições muito gordurosas costumam piorar os enjoos, então evite consumir sorvetes industrializados, que geralmente contém teores muito altos de gorduras.

3. Fazer lanches leves antes de levantar

Consumir um pequeno lanche, leve e seco, nas manhãs antes de se levantar, ajuda a prevenir os sintomas de enjoo ao longo do dia. Alguns alimentos indicados são bolacha de água e sal, torradas ou bolachas de arroz.

4. Vitamina B6

Mulheres com níveis adequados de vitamina B6 antes do início da gestação, têm menores chances de apresentarem enjoos fortes. E durante a gestação, incluir alimentos fontes da vitamina na dieta da gestante também auxilia no alívio dos sintomas. 

Diversos alimentos vegetais e animais são boas fontes da vitamina B6. Dentre as de origem animal, as principais são carne bovina, salmão e frango. No caso das vegetais, está presente em diversos legumes, verduras, frutas, grãos integrais e castanhas, principalmente banana, grão-de-bico, nozes e batatas.

Os enjoos podem atrapalhar a alimentação na gravidez, momento no qual a mãe demanda um aporte maior de nutrientes para suprir o desenvolvimento do seu bebê. Devido a este motivo, sempre busque formas de aliviar os sintomas, para garantir uma gravidez tranquila.

No entanto, não é recomendado o uso de medicamentos sem prescrição médica. Nem todos os fármacos são seguros para mulheres grávidas. Prefira formas naturais de alívio dos sintomas ou busque a ajuda de um profissional de saúde.

Quer saber mais?

Referências

Committee on Practice Bulletins-Obstetrics. ACOG Practice Bulletin No. 189: Nausea And Vomiting Of Pregnancy. Obstet Gynecol. 2018 Jan;131(1):e15-e30. doi: 10.1097/AOG.0000000000002456. 

Bustos M, Venkataramanan R, Caritis S. Nausea and vomiting of pregnancy – What’s new? Auton Neurosci. 2017 Jan;202:62-72. doi: 10.1016/j.autneu.2016.05.002. 

Gropper S, Smith J, Groff J. Nutrição avançada e metabolismo humano. São Paulo: Cengage Learning; 2012.

5/5 - (1 voto(s))

Graduanda em Nutrição pela Universidade de São Paulo (USP).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *