A nutrição é muito importante na saúde mental, além da alimentação, os suplementos nutricionais estão ganhando um grande espaço nos cuidados com a pessoa com depressão e transtorno de bipolaridade. 

E para confirmar esse papel dos suplementos alimentares, existe um tipo de estudo específico para analisar os verdadeiros efeitos desses suplementos. Esse tipo de estudo é chamado de meta análise, uma meta análise é quando um estudo avalia o resultado de vários outros para afirmar ou negar os seus resultados. 

Uma recente meta análise, publicada em setembro de 2019, uniu diversos outros estudos que avaliaram os resultados de diferentes suplementos alimentares no tratamento de depressão, transtorno bipolar e outras doenças relacionadas ao cérebro. 

Esse tipo de estudo é a base para médicos e nutricionistas usarem referências de recomendações de suplementos em sua prática clínica. Principalmente estudos grandes como esse, que contam com quase 11 mil pessoas avaliadas. 

E o suplemento mais recomendado para o tratamento dessas doenças é o ômega 3. Portanto, veja aqui quais são os benefícios e recomendações da suplementação do ômega 3 para o tratamento da depressão, principalmente. 

O que é o suplemento de ômega 3 

O suplemento de ômega 3 pode ser definido como um suplemento de óleo de peixe rico na gordura ômega 3. Pois nele contém uma grande concentração de EPA (ácido eicosapentaenoico ) e DHA (ácido decosahexaenoico), que são os dois principais tipos de ômega 3.

O EPA e o DHA são gorduras do tipo poli insaturada, que são encontradas principalmente em peixes de águas frias e profundas. Como por exemplo: salmão, sardinha e arenque.

Contudo, como a alimentação da população costuma ser insuficiente nesse tipo de gordura, o suplemento de ômega 3 é amplamente recomendado por médicos e nutricionistas. Além da alimentação ser insuficiente, os benefícios que essas gorduras trazem ao organismo são inúmeras, por exemplo:

EPA

Atua no organismo no combate a inflamação, através da maior produção de substâncias chamadas de prostaglandinas. Principalmente na melhora da saúde cardiovascular, como no controle da pressão arterial e melhora do colesterol e triglicerídeos.  

DHA

O DHA é o relacionado com a saúde cerebral. Sendo o principal responsável pelo bom desenvolvimento cognitivo em crianças, manutenção das funções e atua na prevenção de doenças neurodegenerativas e outras relacionadas com o sistema nervoso.

Como depressão, bipolaridade, hiperatividade, deficit de atenção, melhora da memória, aprendizado e até mesmo no desenvolvimento da fala em crianças. 

É seguro suplementar ômega 3?

Nesse estudo, após avaliarem as 11 mil pessoas, os autores afirmam que a suplementação de ômega 3 é segura e sem efeitos colaterais graves ou contra indicações quando associados também a medicamentos psiquiátricos. 

Mas alguns pontos merecerem atenção:

  1. Qualidade do produto: Bons produtos possuem o selo IFOS, e laudos técnicos confirmando a sua qualidade e pureza.
  2. Concentração de EPA e DHA: A concentração de bons suplementos envolvem 1,2 g de ômega 3 por dose. 
  3. Número de cápsulas: Os melhores suplementos devem ter a maior concentração no menor número de cápsulas.

Lembrando que, é fundamental a avaliação de um médico ou nutricionista para atender da melhor forma possível as suas necessidades. Mas caso você já consuma ômega 3, lembre-se de informar também ao médico responsável. 

Ômega 3 melhora a depressão

O ômega 3 é um dos tratamentos mais efetivos para a depressão, principalmente o EPA. Pois o EPA está relacionado a níveis de um importante neurotransmissor chamado dopamina. 

A dopamina é considerado o “hormônio da felicidade” que no cérebro atua como importante neurotransmissor. Porém em pacientes com depressão a dopamina costuma estar baixa. Isto é, ao consumir doses adequadas de ômega 3 diariamente, irá ocorrer uma regulação desse neurotransmissor no cérebro.

Além de estimular neurônios e melhorar o fluxo sanguíneo, ambos importantes para a melhora da depressão. 

Depressão durante a gravidez e ômega 3

Enquanto o ômega 3 é eficiente para idosos, crianças e adultos, para aquelas mulheres com depressão durante a gestação, o ômega 3 não é capaz de melhorar o quadro.

Porém, ainda assim a suplementação de ômega 3 durante a gravidez é apoiada.

Pois ajuda no desenvolvimento cognitivo do bebê, sendo relacionado a inteligência e melhor desenvolvimento social durante a infância. Além de diminuir o tempo de internação após o parto por melhorar a inflamação corporal da mãe e fortalecer a saúde do filho.

EPA é melhor que DHA para depressão

Para o tratamento da depressão o EPA é o ômega 3 priorizado na hora de fazer a recomendação da suplementação. Pois como mencionado anteriormente, ele é a principal gordura do tipo ômega 3 relacionado com a saúde cerebral. Enquanto o DHA não melhora esse tipo de doença.

Por exemplo, suplementar um ômega 3 em que a concentração de EPA seja 50% maior que o DHA por 12 semanas já demonstra resultados positivos para o tratamento da depressão.  

Dose recomendada de ômega 3 para a depressão

Para ter melhoras nos sintomas depressivos, a recomendação deve vir de um profissional qualificado, médico ou nutricionista. 

Porém através de uma análise da população, a dose padrão é de 1,3g de EPA + DHA, com em média 750mg de EPA e 500 de DHA.

Contudo, doses de até 4 g podem ser consumidas para obter os benefícios, por essa razão é fundamental a avaliação junto ao especialista.

Quer saber mais?

Que tal um desconto especial para experimentar um ômega 3 de altíssima qualidade?

 

Referências:

FIRTH, Joseph et al. The efficacy and safety of nutrient supplements in the treatment of mental disorders: a meta‐review of meta‐analyses of randomized controlled trials. World Psychiatry, v. 18, n. 3, p. 308-324, 2019.