Excesso de vitamina D | Causas, sintomas e como tratar

| | ,

A vitamina D é um nutriente importante para o nosso corpo, ela atua em diversas funções e promove benefícios. Mas e seu excesso, faz mal? Quais são as causas e sintomas? Veja aqui tudo isso e como adequar seu consumo.

Vitamina D excesso 

A vitamina D é essencial para o corpo humano, tem diversas atuações, por exemplo fortalece ossos, previne várias doenças, câncer, queda de cabelos etc.

Mas como tudo na vida, seu excesso não vai ser benéfico. A hipervitaminose D, como é chamado o excesso de vitamina D no organismo, pode trazer problemas graves para o corpo, que podem ter consequências preocupantes.

Veja causas e sintomas:

Excesso de vitamina D pela alimentação

Para atingir o excesso de vitamina D no corpo, os níveis desse nutriente devem estar acima de 140 mol/L no sangue. Essa medida indica quantidade de moléculas de vitamina D presentes por litro de sangue. 

Bom, uma coisa importante a se lembrar é que é muito difícil atingir altos níveis de vitamina D apenas por meio da alimentação ou exposição solar. Os alimentos ricos nessa vitamina são, por exemplo: salmão, sardinha, cogumelos; que não são frequentes na mesa da maioria dos brasileiros. 

Excesso de vitamina D pela suplementação

E a outra maneira, seria por meio da suplementação, para isso, você precisaria ingerir mais muito vitamina D do que a dose recomendada. A quantidade indicada de vitamina D para suplementação varia muito de pessoa para pessoa. Depende da necessidade de cada um, então não dá para ter certeza de quanto é seguro ou não tomar.

Por exemplo, existem pessoas que precisam de 2000 UI por dia, outras com deficiência grave que necessitam de 10000 UI. Então, para saber com clareza o quanto você pode e deve tomar é preciso visitar um médico e receber uma recomendação adequada para seu caso.

O que o excesso de vitamina D pode causar?

O excesso de vitamina D vai trazer algumas complicações, que podem ser sérias se não forem tratadas. Os efeitos mais comuns são: formação de cálculos renais, que são as pedras nos rins; calcificação de tecidos, que é o enrijecimento de tecidos que devem ser moles e de artérias também e níveis elevados de fósforo e cálcio no sangue.

Mas é bom saber também que, mais da metade da população do Brasil sofre com a falta dessa vitamina. Então, o excesso dela não é um problema recorrente. A preocupação, dos órgãos de saúde, está mais direcionada à deficiência de vitamina D do que ao excesso.

Sintomas da hipervitaminose de vitamina D

Caso você esteja com excesso de vitamina D no corpo, você vai notar alguns sintomas. Os mais comuns são: sede excessiva; prisão de ventre; irritabilidade; vontade excessiva de urinar; fadiga; perda de peso.

Então, fique atento, caso você note que está com mais de um desses sintomas, procure um médico para rever sua dieta, pois pode ser um sinal de hipervitaminose D.

Como tratar o excesso de vitamina D?

Caso o resultado médico seja de hipervitaminose D, a primeira coisa a se fazer é suspender a suplementação da vitamina e evitar alimentos fontes desse nutriente. Além disso, é recomendado que se tome bastante líquido para promover hidratação.

Mas claro que tudo isso só deve ser feito sob orientação médica, então se você acredita estar com hipervitaminose, procure um profissional.

Doses recomendadas de vitamina D

As recomendações de vitamina D vão variar de pessoa para pessoa, pois depende da idade, dos hábitos de vida e da necessidade de cada um. Mas em média, os valores, ao dia, são:

Bebês: a quantidade mínima é de 600 UI ao dia, até os 12 meses de idade.

Crianças e adolescentes: a recomendação é de 200 UI, mas doses um pouco mais altas não fazem mal também.

Adultos: a recomendação varia de 200 a 400 UI.

Idosos: a recomendação é de 400 UI, mas doses mais altas podem ser recomendadas também. Esse grupo sofre mais com a deficiência de vitamina D.

E para a suplementação dessa vitamina, as doses vão variar também, pois depende da necessidade de cada um. Para adultos saudáveis a média é de 2000 UI por dia. Mas essa é apenas uma média, para idosos ou pessoas com deficiência de vitamina D essa dose pode ser maior.

E lembre-se é bom tomar cuidado com os excessos, mas com a falta também, a vitamina D é essencial para o nosso organismo. Então é importante que você tome as quantidades necessárias para ter uma boa saúde. Para isso, procure um profissional da saúde e adeque seu consumo, para evitar qualquer tipo de problema.

QUER SABER MAIS SOBRE A VITAMINA D?

Que tal um desconto especial para experimentar a melhor vitamina D do mercado?

Referências:

CIENTÍFICO, Conselho; DE PAULA, Leila Cristina Pedroso. Hipovitaminose D em pediatria: recomendações para o diagnóstico, tratamento e prevenção.

MAEDA, Sergio Setsuo et al. Recomendações da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) para o diagnóstico e tratamento da hipovitaminose DArquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia, v. 58, n. 5, p. 411-433, 2014.

Jean G, Souberbielle JC, Chazot C. Vitamin D in Chronic Kidney Disease and Dialysis PatientsNutrients. 2017;9(4):328. 

 
Anterior

Vitamina C comprimido ou efervescente?

Saiba por que a vitamina C em comprimido é a melhor

Próximo

2 comentários em “Excesso de vitamina D | Causas, sintomas e como tratar”

  1. Foi prescrito pelo medico 4 comprimido de vitamina D de 5000 ui um por semana,não me atentei e tomei os 1 por dia.
    O que fazer.

    Responder
    • Elisabete, tudo bem?

      Não se preocupe, a vitamina D (dependendo dos seus exames clínicos e da sua condição de saúde) quando consumida em excesso por longos períodos para sim trazer malefícios para a saúde. Mas no seu caso que só consumiu por uma semana, não precisa se preocupar. Recomendamos apenas que, volte ao médico e refaça seus exames para verificar que o consumo da vitamina gerou alguma alteração no organismo.

      Responder

Deixe um comentário