A gravidez é um período determinante para a saúde da criança. Nesta fase vários cuidados precisam ser tomados para não prejudicar o bebê, por exemplo a supervisão da alimentação da mãe, já que ela é a única fonte de nutrientes da criança.

O ômega 3 para gestantes, por exemplo, é uma ótima forma de suplementação, pois traz grandes ganhos tanto para a mamãe quanto para o bebê. Acompanhe, a seguir, os benefícios desse nutriente durante a gravidez!

Quais são as vantagens do ômega 3 para gestantes? 

Estudos têm mostrado que mulheres com baixo consumo de DHA e EPA durante a gestação apresentam um aumento do risco de pré-eclâmpsia e do parto prematuro. Além disso, após darem à luz, as gestantes que ingeriram menores quantidades de ômega 3 foram ligadas à depressão pós-parto.

Isso acontece porque a mãe transfere grandes quantias das gorduras essenciais para o bebê e quando seus níveis estão baixos, a tendência à depressão.

Os bebês também se beneficiam? 

Os filhos das mamães que realizaram uma alta ingestão de ômega 3 durante a gestação apresentaram um melhor desenvolvimento visual e cognitivo. E também, os bebês das mães com a alta ingestão de ômega 3 apresentaram melhor peso ao nascer do que aquelas que não consumiam. Além desses benefícios, o risco de desenvolvimento de alergia ou asma é reduzido.

Desenvolvimento intelectual 

Outro grande benefício que podemos citar é a relação entre o uso da substância enquanto o cérebro do bebê estava em desenvolvimento e melhores resultados das crianças em testes de vocabulário e inteligência. Isso vale tanto no período da pré-escola quanto nos anos seguintes. 

Melhora comportamental e hiperativismo

Outro ponto importante é que a suplementação em crianças demonstrou uma melhora comportamental, além de que o baixo consumo de DHA e EPA também pode resultar em crianças mais hiperativas. 

Recomendações de ômega 3 para gestantes

A maioria das mulheres grávidas, não consome quantidades suficientes de ômega 3 durante a gestação. E, no Brasil apesar da sua grande costa litorânea, consome-se em média, ainda menos do que em países como EUA. Recomendasse além do consumo através da alimentação, a suplementação para atingir as recomendações diárias.

Recomendasse para gestantes até 50 anos o consumo diário de 1,4g de ômega 3, enquanto para as mães que estão amamentando, recomenda-se 1,3g ao dia.

Essa fase, e a amamentação, são as estapas principais ao desenvolvimento cerebral e visual da criança. Cientistas descobriram que formulas nutricionais enriquecidas com DHA auxiliam o desenvolvimento mental, quando suplementado durante a gestação e amamentação.

Sabe-se também com o consumo de ômega 3 durante a gestação evita parto prematuro e baixo peso ao nascer.  

ÔMEGA 3 PARA CRIANÇAS DE 9-12 MESES:

Ao suplementarem ômega 3, melhoraram aspectos cognitivos como a atenção ao realizar tarefas de brincadeiras ao ar livre. Além de atuar na pressão arterial de forma protetora. Outra pesquisa observou uma melhora na imunidade nessa faixa etária, diminuindo infecções comuns durante o período, principalmente sintomas de resfriados.

ÔMEGA 3 PARA CRIANÇAS ATÉ 4 ANOS:

A suplementação diária por 4 meses, resultou em uma melhor compreensão auditiva e na aquisição de vocabulário.

ÔMEGA 3 PARA CRIANÇAS DE 7 A 1 2 ANOS:

Crianças diagnosticas com déficit de atenção ou hiperatividade ao suplementarem EPA e DHA aumentaram o tempo de leitura e diminuíram escores de ansiedade.

Nenhum efeito adverso da suplementação de ômega 3 foi observada até então para a saúde de crianças, sendo segura e recomendada com doses entre: 0,5g/dia -1g/dia.

Ômega 3 e desenvolvimento infantil

Para gestantes, lactantes e crianças até a fase da adolescência, a suplementação de ômega 3 apresenta diversos benefícios como, desenvolvimento cognitivo e social, desenvolve aspectos emocionais como diminuir quadros de timidez e ansiedade, desenvolve o cérebro e amplia capacidades intelectuais.

As doses variam de acordo com a faixa etária, porém sem riscos à saúde com relação a dose diária consumida em forma de suplementação.

Onde encontrar ômega 3 para gestantes?

O ômega 3 é encontrado em peixes de mares profundos e gelados, como o salmão, a anchova, o atum, o arenque e a sardinha. Mas o ômega 3 também pode ser obtido a partir de nozes, algas, tofu, sementes e óleos de chia e linhaça.

Nos vegetais, porém, há outra forma — conhecida como ALA — que precisa ser transformada em EPA e DHA dentro de nossos organismos. Como o corpo humano não produz ômega 3, é importante que a ingestão de alimentos naturais ou suplementos seja feita para suprir essa carência.

Alimento (100g)EPA (mg)DHA (mg)ALA (mg)
Salmão com pele grelhado12101220400
Manjuba empanada frita4401160840
Carimbatá assado840260170
Salmão sem pele grelhado720750330
Sardinha enlatada em óleo440460990
Salmão sem pele cru43046030
Atum enlatado em óleo30190290
Bacalhau cru206080
Lambari frito30230780
Merluza filé frito190600360
Linhaça0019810
Noz crua008820
Óleo de canola006780
Óleo de soja005720
Pão de aveia de forma00590
Abacate0080

Como escolher um bom suplemento de ômega 3

Como o consumo de ômega 3 através da alimentação, principalmente para gestantes, é díficil, a suplementação é recomendada. E para isso, alguns cuidados também devem ser tomados. Por exemplo, procure por marcas confiáveis, com certificações atestando a qualidade do produto vendido e com boas concentrações, principalmente de EPA e DHA.

Quer saber mais?

 

Referências:

SCHNEIDER, Aline Petter; STEIN, Renato Tetelbom; FRITSCHER, Carlos Cezar. O papel do aleitamento materno, da dieta e do estado nutricional no desenvolvimento de asma e atopia. J Bras Pneumol, v. 33, n. 4, p. 454-462, 2007.

SACCONE, Gabriele; SACCONE, Irene; BERGHELLA, Vincenzo. Omega-3 long-chain polyunsaturated fatty acids and fish oil supplementation during pregnancy: which evidence?The Journal of Maternal-Fetal & Neonatal Medicine, v. 29, n. 15, p. 2389-2397, 2016.

WILSON, Nina A. et al. Gestational age and maternal status of DHA and other polyunsaturated fatty acids in pregnancy: A systematic reviewProstaglandins, Leukotrienes and Essential Fatty Acids, v. 144, p. 16-31, 2019.

GONZÁLEZ, Francisca Echeverría; BÁEZ, Rodrigo Valenzuela. IN TIME: IMPORTÂNCIA DOS ÔMEGA 3 NA NUTRIÇÃO INFANTIL. Revista Paulista de Pediatria, v. 35, n. 1, p. 3-4, 2017.

KOLETZKO, Berthold et al. The roles of long-chain polyunsaturated fatty acids in pregnancy, lactation and infancy: review of current knowledge and consensus recommendations. Journal of perinatal medicine, v. 36, n. 1, p. 5-14, 2008.

CHENG, Yu-Shian et al. Supplementation of omega 3 fatty acids may improve hyperactivity, lethargy, and stereotypy in children with autism spectrum disorders: A meta-analysis of randomized controlled trials. Neuropsychiatric disease and treatment, v. 13, p. 2531, 2017.