Hoje em dia, não é difícil encontrar um profissional com desejo de abrir um consultório de nutrição. Anos atrás, quando o assunto era empreendedorismo, automaticamente, pensávamos em empresas voltadas para as áreas de administração, finanças ou tecnologia.

Mas, com a crescente preocupação com a longevidade e qualidade de vida, as pessoas estão mais conscientes sobre a importância de se alimentar de forma saudável — e essa mudança trouxe inúmeros benefícios aos profissionais da área.

Ter um consultório particular tem se tornado o objetivo de muitas nutricionistas. Embora criar o próprio negócio exija conhecimentos específicos, é possível que um nutricionista se torne um empreendedor.

Para te ajudar nessa missão, criamos um artigo com todas as questões relevantes que você deve ter em mente durante o planejamento do seu negócio:

1. Estude o mercado

O primeiro passo para qualquer profissional que deseja abrir uma empresa é estudar muito bem o mercado em que pretende atuar. E, no ramo da nutrição, isso não é diferente. Talvez você não saiba, mas o mercado está em constante transformação.

A cada temporada, novas tendências são lançadas e, consequentemente, os clientes passam a ter afinidades com outros produtos e serviços. Muitas vezes, temos grande interesse em um determinado segmento, mas nem sempre essa área é a que está gerando grandes resultados.

Portanto, tenha muita atenção! Pesquise bem na internet, acompanhe as notícias, leia artigos de especialistas da área, converse com colegas de profissão, ou até mesmo faça uma pesquisa de campo com pessoas próximas, como amigos ou familiares. Com isso, você terá uma melhor visão sobre as necessidades do mercado e saberá, exatamente, qual o passo deverá ser dado.

2. Avalie as possibilidades de investimento

Assim que você identificar em qual área deseja atuar, chega o momento de definir as suas possibilidades de investimento. Ou seja, quanto do seu orçamento está disponível para esse projeto. Para chegar em um valor aproximado, vale a pena saber qual o tipo de empresa você pretende abrir. No segmento da nutrição, há inúmeras alternativas:

  • para gerenciar sozinho: clínica ou consultório de nutrição;
  • para gerenciar com um sócio: clínica médica ou lojas com produtos específicos;
  • para oferecer um serviço terceirizado: atendimentos em clínicas médicas, academias ou empresas.

Caso escolha realizar atendimentos nutricionais, procure conhecer a fundo esse modelo de negócio. Em geral, os profissionais fazem uma espécie de prestação de serviço e a remuneração é feita por meio de honorários, que podem ser pagos de três maneiras distintas:

  • diretamente pelo cliente, no caso das consultas particulares;
  • por meio de contratos empresariais, que acontecem no atendimento ambulatorial;
  • por meio de convênios médicos e seguros de saúde.

Planejamento financeiro

Após identificar qual o modelo de negócio supre as suas expectativas, trace um bom planejamento financeiro. Durante o levantamento, a recomendação é incluir uma estimativa de todos os custos mensais da sua empresa — inclusive, quando ela já estiver em funcionamento. Também é fundamental criar um fundo de reserva, destinado aos primeiros meses e mantido para casos emergenciais.

Você é daquelas pessoas que têm problemas com cálculos? Se sim, considere contratar os serviços de um contador ou administrador. Ao realizar as contas certas, as chances de erros diminuem significativamente!

3. Firme boas parcerias

O sonho de todo empreendedor é ver o sucesso da sua empresa. Contudo, não basta ter uma boa ideia, um excelente planejamento e investir grandes fortunas nesse projeto — é preciso criar vínculos valiosos, ou também as famosas parcerias.

Para os pequenos negócios, as parcerias são alternativas de ouro. Afinal, são elas que proporcionarão o suporte necessário para o crescimento inteligente de todos os setores da sua empresa. O resultado disso é um só: maior reconhecimento de mercado e mais lucros para o seu bolso.

Ao contrário do que se imagina, firmar boas parcerias pode ser mais fácil do que parece. Normalmente, parcerias são feitas entre empresas que atuam no mesmo segmento, mas prestam diferentes serviços ao público. Um bom exemplo são os profissionais de nutrição que estabelecem laços comerciais com marcas de alimentos presentes nos planos alimentares.

Em boa parte dos casos, essa parceria consegue beneficiar não somente as empresas envolvidas, como também o cliente final. A nossa dica é que você crie uma lista com os seus potenciais parceiros. Na relação, é fundamental contar com profissionais e empresas que trabalham nos nichos que atendem o seu público.

E a contrapartida?

Antes de sair por aí conversando com os contatos da sua lista, tente fazer uma autoavaliação. Isso porque uma parceria é estabelecida a partir de benefícios mútuos e, com isso, você precisará proporcionar bons retornos aos seus parceiros. Esse é o caso de condições especiais ou serviços exclusivos para os clientes das outras empresas.

Para transmitir um ar mais profissional, elabore uma apresentação ou um documento com as suas propostas. Assim, ficará mais fácil apresentar à outra empresa e deixar explícitos os seus interesses.

4. Verifique as autorizações necessárias

Por último, ao abrir uma empresa de nutrição, todo e qualquer profissional deverá reservar um tempo para solucionar as questões burocráticas e que permitem que o negócio seja legalizado. Atualmente, as principais exigências para colocar o seu projeto em andamento são:

Autorização na Vigilância Sanitária do Município

Caso a sua intenção seja abrir um consultório, será preciso ir à Vigilância Sanitária do Município. É lá que os interessados realizam o cadastro de registro do consultório de nutrição. Os documentos que costumam ser pedidos são o contrato social da empresa, e o registro de autônomo.

Autorização no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES)

Essa fase é conhecida por ser uma das mais burocráticas de todo o processo. Ao ir ao órgão, é fundamental apresentar os seguintes documentos:

  • inscrição profissional no Conselho Regional, como Responsável Técnico;
  • registro da clínica no Conselho Regional;
  • auto de vistoria do Corpo de Bombeiros, para garantir que o local da clínica não oferece riscos aos pacientes.

Ao seguir esses passos, você verá que abrir uma empresa no ramo da nutrição não é um bicho de sete cabeças e pode trazer retornos significativos para a sua vida profissional. Não tenha pressa! Faça tudo com atenção, cuidado e, principalmente, muita determinação.