A suplementação com o BCAA é muito comum entre os praticantes de atividade física. Composto por aminoácidos de cadeia ramificada: leucina, Isoleucina e valina, é um suplemento que ganhou reconhecimento após diversas pesquisas serem desenvolvidas com resultados positivos ao organismo.

Ao pesquisarmos na principal biblioteca virtual da área da saúde (Pubmed) o termo suplementação de aminoácidos de cadeia ramificada (em inglês: branched chain amino acids supplementation) encontramos mais de mil artigos sobre o assunto.

Sendo mais de 100 desses artigos, revisões, que abordam os principais pontos positivos e negativos com a suplementação de BCAA, que nos permite ter uma ampla visão sobre o assunto.

Agora, será que o BCAA faz mal?

Artigos mostrando efeito colateral do BCAA

Esse tipo de artigo, é realmente escasso na literatura. Muitos mostram que a suplementação em determinados casos, não apresenta nenhum tipo de benefício. Mas sobre malefícios, encontramos apenas alguns sites, que associam a suplementação de BCAA à efeitos adversos a saúde.

Porém, apenas um deles apresentou as referências utilizadas, nos permitindo ter acesso a artigos científicos para conhecer mais sobre o assunto.

Que após uma leitura cuidadosa desses artigos citados, vimos que na verdade, não é a suplementação de BCAA que pode causar resultados negativos a saúde.

E sim os baixos ou altos níveis circulantes desse aminoácido na corrente sanguínea que são associados a algumas doenças.

Portanto, fica o nosso alerta, para analisar sempre se aquele conteúdo é de confiança. Caso o  site não apresente as referências científicas, desconfie, e faça você também a sua própria busca.

Boas fontes de conteúdo na área da saúde você consegue principalmente através do site Pubmed ou do Google Scholar.  

Mas baseado nos artigos citados, separamos os principais pontos:

BCCA pode causar depressão

Segundo um estudo menor, como é o caso dos artigos chamados “cartas ao editor”, mencionou que a suplementação de BCAA compete com receptores de triptofano na região do cérebro.

E mais recentemente, em 2016, outro estudo hipotetizou que baixos níveis de BCAA no sangue estão realmente relacionados a maior grau de depressão. Pois essa competição entre receptores significa que pode ocorrer uma diminuição na quantidade de triptofano cerebral, que é responsável pela sensação de bem estar. 

Porém, em indivíduos saudáveis, não há nenhum indício mostrando que isso aconteça. Apenas para aqueles que já foram diagnosticados com depressão, há a suspeita de agravamento do quadro.

Porém tudo isso não tem relação alguma com a suplementação.

BCAA pode causar diabetes

Não!

No estudo citado, foi feito uma breve revisão dos efeitos do BCAA na função cerebral, e viram que em ratos portadores de diabetes a concentração de BCAA no sangue era maior do que em ratos saudáveis. ,

Mas esse resultado em animais ainda precisa ser validado em humanos para afirmar que pessoas com diabetes tem maior risco de desenvolver qualquer tipo de distúrbio de humor devido o consumo de BCAA.

Sendo que nessa mesma revisão eles analisam diversos estudos com consumo de BCAA de até 60g ao dia sem apresentar nenhum tipo de toxidade ou efeito colateral ao organismo.

BCAA causa doenças renais

Também não, pelo contrário.

A suplementação de BCAA é recomendada pela Sociedade Europeia de Nutrição Clínica e Metabolismo para pacientes com doenças renais. Como por exemplo, cirrose e quadros de encefalopatia hepática.

Encefalopatia hepática é uma desordem do organismo em que nosso fígado não é mais capaz de filtrar substâncias tóxicas, que ao se acumularem causam o declínio cognitivo.

Apesar de ser amplamente recomendado, alguns estudos não encontram nenhum tipo de melhora com a suplementação, e o motivo para essa ausência de efeitos ainda não foi explicado.

Efeitos colaterais do BCAA

Mas também não podemos fechar os olhos para o relatado de efeitos colaterais de quem consome o suplemento de BCAA regularmente.

Alguns efeitos mencionados por usuários envolvem: desconfortos gastrointestinais como náuseas e diarreia, além de dores de cabeça.

Porém, até o momento esses efeitos adversos não foram comprovados cientificamente como relacionados a suplementação de BCAA.

Resumindo….

O BCAA é um suplemento totalmente seguro para o consumo, sendo que doses de até 60g diárias não apresentam qualquer tipo de efeito colateral ou tóxico ao organismo.

Porém algumas doenças apresentam maior concentração, ou menor concentração de BCAA na corrente sanguínea. E por esse motivo, o BCAA no sangue é utilizado como um dos parâmetros para o diagnóstico de doenças de desordem cerebral.  

Lembrando que o ideal sempre é o consumo de suplementos orientados por um profissional qualificado médico ou nutricionista.

Quer saber mais?

Que tal um desconto especial para experimentar um suplemento de BCAA de altíssima qualidade?

 

Referências:

BARANYI, Andreas et al. Branched-chain amino acids as new biomarkers of major depression-a novel neurobiology of mood disorderPloS one, v. 11, n. 8, p. e0160542, 2016.4

SCARNÀ, Antonina et al. Effect of branch chain amino acids supplemented with tryptophan on tyrosine availability and plasma prolactin. Psychopharmacology, v. 159, n. 2, p. 222, 2002.

HOLECEK, Milan. Branched-chain amino acids and ammonia metabolism in liver disease: therapeutic implications. Nutrition, v. 29, n. 10, p. 1186-1191, 2013.

FERNSTROM, John D. Branched-chain amino acids and brain function. The Journal of nutrition, v. 135, n. 6, p. 1539S-1546S, 2005.

Autor desconhecido – BCAA Faz Mal? Efeitos Colaterais e Cuidados – 2016 – https://www.mundoboaforma.com.br/bcaa-faz-mal-efeitos-colaterais-e-cuidados/comment-page-1/?unapproved=122109&moderation-hash=c3a7e2f9461f83f8b2902994d62ed0e9#comment-122109 – data de acesso: 30/08/2019.