Você já parou para pensar que colágeno e musculação podem ter uma relação íntima quando o assunto é hipertrofia muscular? Muito se fala em colágeno para rejuvenescer a pele e esse é um dos benefícios que essa substância oferece. Mas não podemos nos esquecer de que também estamos falando de uma proteína e, como tal, ajuda na formação da fibra muscular, lesionada durante o treino.

Já sabemos que a suplementação proteica consegue aumentar a massa muscular justamente por oferecer os nutrientes que o músculo precisa e no momento em que ele precisa. O que vamos falar agora é sobre como o colágeno pode ser uma ótima fonte de proteínas para os seus treinos de musculação!

Como colágeno e musculação podem ajudar no ganho de massa?

Para começar explicando essa pergunta, vamos falar sobre um estudo randomizado realizado com 53 idosos, todos com sarcopenia, ou seja, eles tinham uma taxa muscular menor que a ideal. Esses idosos foram separados em 2 grupos, sendo um de tratamento que tomava o suplemento de colágeno e outro de controle, que consumia placebo.

Tanto um grupo quanto o outro foram submetidos a 12 semanas de treinamento, sendo de 3 vezes na semana. Três variáveis foram levadas em consideração e medidas antes e depois do experimento para efeito de comparação: massa gorda, massa óssea e massa livre de gordura (massa magra).

Como já esperado, todos os participantes aumentaram a massa muscular e a óssea e reduziram o nível de massa gorda. Porém, o grupo que consumiu o suplemento de colágeno apresentou resultados positivos mais significativos. Além disso, a composição corporal foi significativamente melhor no grupo de tratamento quando comparado ao grupo controle.

Como acontece a síntese proteica?

Para entender melhor como o colágeno age no nosso corpo ajudando a construir fibra muscular, é necessário, antes, entender um pouco mais sobre a síntese proteica, ou seja, como o músculo se desenvolve.

De uma maneira resumida, a síntese proteica é o processo pelo qual os aminoácidos são criados utilizando a informação do DNA das células. Esses aminoácidos são a menor parte de uma proteína e vão saindo da célula em uma sequência certa que é lida e codificada pelo DNA. Por causa disso, a maioria das pessoas não apresenta deficiência em um tipo de proteína. 

O colágeno é construído da mesma forma e essa proteína possui uma longa cadeia. Mas, é apenas fora do meio celular que as fibrilas de colágeno são construídas que, unidas, formam as fibras de colágeno. Essa substância é formada, principalmente, por quebras e ácidos aminados de lisina e prolina. Para que eles sejam formados e, posteriormente, formem o colágeno, é necessária a presença de vitamina C.

Assim, para que o corpo possa usar o colágeno produzido pelo próprio organismo, ocorrem uma série de etapas e processos até que o colágeno esteja pronto para fazer parte do tecido muscular. Usando o colágeno já pronto, ele pode oferecer muitas vantagens, inclusive ajudar no tratamento da sarcopenia.

Por que o colágeno é usado no tratamento da sarcopenia?

A sarcopenia é um problema caracterizado por perda de massa muscular relacionada à idade. Justamente por isso, muitos idosos sentem-se mais cansados, perdem força muscular e têm as suas atividades da vida diária prejudicadas.  Além disso, como a expectativa de vida aumentou, sem a massa muscular necessária, a qualidade de vida desse grupo fica bastante prejudicada.

Um estudo de revisão bibliográfica mostra uma pesquisa com 9 mulheres idosas, com idades de 65 a 85 anos) que foram separadas em dois grupos, um que tomava Whey Protein e outro, colágeno. O grupo que consumia o colágeno conseguiu manter o peso e secretar menos nitrogênio na corrente sanguínea.

Isso significa que Whey Protein não oferece bons resultados? De jeito nenhum. Muito depende do seu objetivo, da sua idade e de outros fatores individuais. O fato é que o colágeno, além de benéfico para os músculos, ele também é excelente para os ossos e, de acordo com pesquisas, é extremamente nutritivo, especialmente para os idosos e é capaz de oferecer bons resultados.

Como você pode perceber, colágeno e musculação estão intimamente ligados. Se você quer receber mais informações como essa e cuidar melhor do seu corpo, assine a nossa newsletter!

Referências:

– ZIEGLER, Fabiane La Flor; SGARBIERI, Valdemiro Carlos. Caracterização químico-nutricional de um isolado protéico de soro de leite, um hidrolisado de colágeno bovino e misturas dos dois produtos. Rev. Nutr.,  Campinas ,  v. 22, n. 1, p. 61-70,  Feb.  2009 .   Available from <http://dx.doi.org/10.1590/S1415-52732009000100006>. access on  22  Apr.  2019.  .

– PORFIRIO, Elisângela; FANARO, Gustavo Bernardes. Suplementação de colágeno como terapia complementar na prevenção e tratamento da osteoporose e osteoartrite: uma revisão sistemática. Rev. bras. geriatr. gerontol. Rio de Janeiro, v. 19, n. 1, p. 153-164, fevereiro de 2016. Disponível em <http://dx.doi.org/10.1590/1809-9823.2016.14145>. acesso em 22 de abril de 2019. .

– ZDZIEBLIK, Denise; OESSER, Steffen; BAUMSTARK, Manfred W; GOLLHOFER, Albert; KÖNIG, Daniel. Suplementação de peptídeo de colágeno em combinação com treinamento de resistência melhora a composição corporal e aumenta a força muscular em homens sarcopênicos idosos: um estudo randomizado controlado. British Journal of Nutrition. V. 114, n. 8, p. 1237-1245, outubro de 2015. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4594048/