Certamente você já deve ter ouvido falar no colágeno, uma substância que está bastante popular, especialmente por suas propriedades anti-idade e vários outros benefícios.

O colágeno é uma proteína fibrosa encontrada em grande quantidade no corpo humano e consegue se distribuir por mais de 27 formas. Essa proteína ajuda na composição de tecido epitelial (pele), músculo liso (órgãos internos), músculo estriado (músculos) e muito mais.

Os fibroblastos ou os condrócitos são células responsáveis pela produção de colágeno, já que têm como função a síntese de algumas proteínas de extrema importância para o funcionamento do nosso corpo.

Agora que você já sabe o que é colágeno, vejamos como ele pode nos ajudar a ter uma melhor qualidade de vida e como o colágeno hidrolisado para os músculos pode ser eficaz!

Por que a suplementação de colágeno se tornou alvo de pesquisas científicas?

Após os 30 anos, acontece uma queda na produção de colágeno pelo corpo humano. Por conta disso, algumas pessoas iniciam o consumo de suplementos de colágeno. É uma forma não só de retardar o envelhecimento como também de ter uma qualidade de vida melhor. Porém, os benefícios do colágeno vão muito além.

Uma pesquisa científica conseguiu constatar os benefícios da suplementação de colágeno para os ossos e cartilagens. Essa substância possui um efeito positivo no tratamento da osteoartrite e também no da osteoporose. Ela consegue aumentar a densidade mineral óssea e também melhorar a consistência da cartilagem articular reduzindo a dor provocada pelo desgaste característico da patologia.

Outro estudo conseguiu comprovar a redução da sarcopenia em idosos com a suplementação de colágeno. O consumo da substância foi combinado com exercícios de resistência muscular em idosos. 53 homens com idades entre 68 e 72 anos participaram da pesquisa e todos eles apresentavam sarcopenia grau I ou grau II.

Por 12 semanas, todos realizaram exercícios de resistência, com 3 sessões de treinos por semana e um grupo foi suplementado com colágeno enquanto o outro consumia placebo.

Todos os indivíduos mostraram uma melhora na redução de massa de gordura, aumento da força muscular, crescimento de massa óssea e aumento de massa magra.

Porém, aqueles que foram suplementados com colágeno, obtiveram um resultado muito melhor, com uma melhora significativa na composição corporal.

Quais os tipos de colágeno para cada área do corpo?

Como dissemos no início deste texto, existem vários tipos de colágeno e, por isso, na hora de comprar o seu, é preciso saber qual é o seu objetivo ao consumir esse suplemento. O colágeno do tipo hidrolisado é o mais indicado porque ele se apresenta em partículas menores e assim, consegue fazer parte da cadeia de outras proteínas, ajudando na síntese de colágeno para o organismo. Cada tipo de colágeno é direcionado para uma parte do corpo. Vamos ver como isso funciona.

Peptídeos bioativos

Antes de mais nada temos que falar sobre os peptídeos bioativos. Esse tipo de substância é obtido por meio da hidrólise térmica do colágeno, ou seja, por meio da quebra das cadeias de colágeno utilizando o calor.

Após a quebra por meio de processos térmicos, ocorre uma segunda quebra usando enzimas específicas. Por isso, esse segundo processo é conhecido como hidrólise enzimática.

A partir daqui, são criados peptídeos específicos, em tamanhos muito menores que podem ser utilizados para a produção de diversas proteínas.

Porém, cada tipo de colágeno precisa de um tipo específico de peptídeo bioativo e é justamente o que esse tipo de quebra sequencial promove.

A depender do peptídeo gerado, ele consegue direcionar a produção de proteínas específicas. Isso quer dizer que quando ingerimos, por meio de suplementos, um tipo específico de peptídeo bioativo, é possível direcionar o nosso organismo para que ele sintetize colágeno e não outro tipo proteína.

Por isso, vamos ver agora os principais tipos de peptídeos bioativos e para qual finalidade ele é utilizado pelo corpo quando ingerido.

Peptídeos bioativos tipo 1

Encontrado em maior abundância no corpo humano. Há grandes quantidades na pele, na musculatura lisa e também no tecido conjuntivo denso e frouxo.

Há ainda dois tipos de colágeno tipo 1 e a grande diferença é a quantidade de quebras que sofre durante o processo de fabricação.

A partir daí, são criados 2 tipos de peptídeos bioativos: um que vai para os músculos (Bodybalance) e outro para a pele (conhecido como Verisol).

O colágeno Verisol é um nome comercial dado aos suplementos do colágeno tipo 1 específicos para a pele. A fabricante alemã é a Gelita e é indicado para reduzir os sinais do envelhecimento, devendo ser usado por homens e mulheres a partir dos 25 anos com a intenção de retardar o envelhecimento.

É possível ver os resultados a partir da oitava semana de suplementação. Os benefícios desse tipo de colágeno são:

  • cabelos macios e mais hidratados;

  • unhas mais fortes;

  • redução das celulites;

  • diminuição das rugas.

Já o colágeno Bodybalance é direcionado para a construção muscular, estimulando o metabolismo da musculatura. Nele, é possível encontrar uma quantidade abundante de aminoácidos como glicina e arginina. Essas substâncias, por sua vez, ajudam na produção de creatina, uma proteína que oferece maior força aos músculos.

Uma pesquisa mostrou como a creatina suplementada pode ser eficaz no tratamento da sarcopenia em idosos. Ela tem um efeito altamente benéfico sobre a musculatura e ao consumir o colágeno Bodybalance é possível dar ao corpo as ferramentas necessárias para a produção dessa proteína.

O Bodybalance é indicado para várias situações, como:

  • pós-treino;
  • ganho de massa magra tanto para homens quanto para mulheres;
  • prevenção e tratamento da sarcopenia;
  • após a cirurgia bariátrica ou estética.

Peptídeos bioativos tipo 2

É mais indicado para quem tem problemas ósseos e articulares já que esse tipo de aminoácido é utilizado para construir proteínas próprias para a construção e fortalecimento dessas regiões.

Com o avançar da idade é comum que diversos problemas relacionados apareçam: artrose, osteoporose, inflamação dos ligamentos e cartilagens entre outros.

Outro grupo que se beneficia muito da suplementação com peptídeos do tipo 2 são os que fazem treinamento muscular intenso. Uma sobrecarga ou movimento errado por repetidas vezes podem causar sérios problemas de saúde.

Basta ingerir 10 gramas por dia de peptídeos bioativos do tipo 2 para sentir os resultados em apenas 3 meses. As dores ficam cada vez menores e, após 1 ano de suplementação, a cartilagem consegue se regenerar em até 82%!

Colágeno hidrolisado para os músculos ou Whey Protein: qual consumir?

O uso de colágeno hidrolisado para os músculos pode parecer estranho para muitos, especialmente para aqueles que já tomam Whey Protein há anos e confiam no produto.

O fato é que, tanto um tipo de suplemento quanto o outro podem ser utilizados para a construção muscular quando utilizados por pessoas que possuem uma rotina de atividade física.

Além disso, o Whey Protein pode ser mais indicado para os chamados “marombeiros” e para aqueles que querem ganhar massa muscular de uma forma mais rápida.

Já o Bobybalance pode ser mais indicado para adolescentes e crianças e também para idosos, grupos que exigem maiores cuidados com a alimentação por conta da idade.

Um suplemento não precisa excluir o outro, aliás, eles podem se combinar maravilhosamente. Um estudo mostrou que a composição da suplementação com 60% de whey isolado com 40% de colágeno hidrolizado conferiu elevado valor nutritivo, especialmente pelas propriedades funcionais das proteínas contidas na bebida.

Quer saber mais?

Que tal um desconto especial para experimentar um suplemento de colágeno de altíssima qualidade específico para os músculos?

Referências:

ZIEGLER, Fabiane La Flor; SGARBIERI, Valdemiro Carlos. Caracterização químico-nutricional de um isolado protéico de soro de leite, um hidrolisado de colágeno bovino e misturas dos dois produtos. Rev. Nutr.,  Campinas ,  v. 22, n. 1, p. 61-70,  Feb. 2009 . Available from <http://dx.doi.org/10.1590/S1415-52732009000100006>. Acesso em 28 Apr. 2019.

PORFIRIO, Elisângela; FANARO, Gustavo Bernardes. Collagen supplementation as a complementary therapy for the prevention and treatment of osteoporosis and osteoarthritis: a systematic review. Rev. bras. geriatr. gerontol.,  Rio de Janeiro ,  v. 19, n. 1, p. 153-164,  Feb. 2016 . Available from <http://dx.doi.org/10.1590/1809-9823.2016.14145>.Acesso em 28 Apr. 2019.

ZDZIEBLIK, Denise; OESSER, Steffen; BAUMSTARK, Manfred W; GOLLHOFER, Albert; KÖNIG, Daniel. Suplementação de peptídeo de colágeno em combinação com treinamento de resistência melhora a composição corporal e aumenta a força muscular em homens sarcopênicos idosos: um estudo randomizado controlado. British Journal of Nutrition. V. 114, n. 8, p. 1237-1245, outubro de 2015. Disponível em:<https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4594048/>.Acesso em 28 Apr. 2019.

DG, Candow. Sarcopenia: current theories and the potential beneficial effect of creatine application strategies. Biogerontology. V. 12, n. 4, p. 273-281, agosto de 2011. Disponível em: <https://link.springer.com/article/10.1007%2Fs10522-011-9327-6>. Acesso em 28 Apr. 2019.