9 sintomas da falta de vitamina D em você

| | ,

Independente se você é adulto, criança, jovem ou idoso, se é branco, negro ou amarelo, se está no Brasil, Estados Unidos, Canadá, Japão ou na Europa, existe uma grande possibilidade de você apresentar falta de vitamina D no organismo.

Isso porque a insuficiência ou a deficiência da vitamina D tem sido vista em diferentes populações, em todas as partes do mundo (1). 

No Brasil, por exemplo, a prevalência é de 60% em crianças e adolescentes, 40 a 58% nos adultos mais jovens e 42 a 83% em idosos (2). 

A vitamina D, ou calciferol, é fundamental para a absorção de minerais como o cálcio e o fósforo, o que faz ela ser importante para a saúde dos ossos e dos músculos (1).

Sintomas da falta de vitamina D 

Dentre os inúmeros benefícios que a vitamina D pode promover no organismo, podemos destacar o fortalecimento dos ossos e músculos, a produção de antibióticos naturais pelas células de defesa, a prevenção de doenças autoimunes, o controle da pressão sanguínea e do diabetes mellitus tipo 2 e até a prevenção do de alguns tipos de câncer. 

Então, caso você esteja com deficiência desse nutriente, seu corpo pode te dar alguns alertas, veja uma lista de sintomas da falta da Vitamina D:

  • Fadiga ou Fraqueza muscular 

A fadiga ou sensação de cansaço constante são resultantes da fraqueza muscular em que falta de energia para a execução ou agilidade adequada do processo de contração muscular (3).

A vitamina D é responsável pela absorção do cálcio, mineral que atua nos processos de contração muscular e produção das fibras musculares, sendo um dos responsáveis para o desenvolvimento de um esqueleto saudável (3).

Dessa forma, se você está sofrendo com uma indisposição constante para a realizar as atividades diárias, fique atento, porque é o sintoma mais comum da falta de vitamina D (3).

  • Dores nos ossos

O osso é um tecido esponjoso e poroso formado por vários minerais, proteínas e outros componentes, sendo o cálcio, o mineral mais abundante nos ossos (4).

As dores nos ossos são resultantes de um enfraquecimento ou desgaste do tecido, que pode acontecer pelo processo chamado de desmineralização óssea, caracterizada pela perda de cálcio nos ossos.A vitamina D é a responsável por favorecer a entrada ou saída do cálcio nos ossos (4).

Então quantidades inadequadas de cálcio e vitamina D podem aumentar a fragilidade óssea e o risco de fraturas, além de acelerar o desenvolvimento de osteoporose. Por isso, o enfraquecimento ósseo pode ser sintoma da falta de vitamina D, principalmente em idosos, que já sofrem naturalmente com a perda de massa óssea e muscular.

  • Dificuldade de ganhar massa magra

A massa magra ou os músculos são formados por conjuntos de fibras musculares.

Se você acredita que possui uma alimentação equilibrada e pratica exercícios físicos regulares, mas está com dificuldade para ganhar massa magra, talvez sua dieta não esteja tão adequada assim.

Fique ligado na vitamina D, pois ela é uma das responsáveis pela construção das fibras musculares. Então, se não estiver em concentrações adequadas, o organismo não consegue produzir a massa magra (3).

  • Aumento do percentual de gordura

Da mesma forma que as baixas concentrações de vitamina D prejudicam a produção da massa magra, também podem contribuir para o aumento da gordura corporal. 

Há vários estudos associando as baixas concentrações de vitamina D com o excesso de peso e a obesidade (5, 6). Então se você está ganhando gordura de forma inexplicável, uma possível falta de vitamina D pode ser a causa.

  • Infecções respiratórias recorrentes

Se você é do tipo de pessoa que tem enorme facilidade para ficar resfriado ou gripado, provavelmente possui uma imunidade baixa. 

Baixas concentrações de vitamina D estão relacionadas com o aumento de infecções respiratórias (7, 8).

Sabe-se que as células do sistema de defesa do corpo possuem receptores para a vitamina D, e conseguem transformá-la em sua forma ativa, a qual pode ser responsável por melhorar a função de defesa do organismo.

Há vários fatores que podem reduzir a imunidade, por exemplo, o estresse, a alimentação inadequada, mudanças de temperatura e o exercício físico extenuante. Então se você tem hábitos de vida saudáveis, mas está sempre com a imunidade baixa, pode ser um sinal de falta de vitamina D (7, 8).

  • Manchas ou coceira na pele

As manchas ou coceiras na pele podem ser causadas pelo desenvolvimento de psoríase e eczema, doenças autoimunes, em que o corpo não reconhece as próprias células de defesa e começa a combatê-las.  

Baixas concentrações de vitamina D estão associadas com aparecimento dos sintomas de doença autoimune.

O uso de suplementos de vitamina D podem ajudar a normalizar a deficiência do nutriente no organismo e reduzir o número de crises do sintomas desconfortáveis da doença.

  • Se apresentar doenças crônicas como Diabete e Hipertensão

A deficiência de vitamina D está relacionada com maior risco de desenvolvimento de doenças crônicas.

No diabetes mellitus tipo 2, por exemplo, a vitamina D tem sido associada com alguns aspectos direitos ligados à regulação da insulina, e indiretos como a regulação do cálcio em vias relacionadas à doença. 

Porém os suplementos de vitamina D não mostram benefícios diretos na redução da glicemia. Os benefícios da suplementação com a vitamina D para quem tem diabetes não é consenso entre os especialistas. Pode ser indicado para muitos casos, porém não faz parte do tratamento padrão da doença.

O que podemos aprender com isso? Se baixos níveis de vitamina D estão associados um com maior risco de desenvolvimento de doenças, devemos verificar regularmente os níveis de vitamina D no sangue para saber que está de acordo com as recomendações necessárias para a manutenção da saúde (10).

  • Se a idade está aumentando

Muitos processos biológicos se desgastam a medida que a idade avança, por isso, é fundamental um cuidado redobrado para a alimentação. A dieta precisa estar sempre adequada em todos os nutrientes, inclusive a vitamina D.

A deficiência de vitamina D é bastante comum em idosos, sendo extremamente prejudicial para a qualidade de vida dessas pessoas. 

No Brasil, por exemplo, a falta de vitamina D em idosos tem sido relacionada a um aumento da incidência de quedas e fraturas. Além da redução da força muscular e de sustentação do corpo, um dos motivos de idosos não conseguirem manter a postura ereta. 

  • Dificuldade de aprendizagem ou de se manter focado

Os baixos níveis de vitamina D no sangue também já foram associados à dificuldade de concentração, aprendizado e doenças neurodegenerativas, como Alzheimer (11).

Mas assim como para as doenças crônicas o uso dos suplementos de vitamina D não faz parte do tratamento padrão para distúrbios de aprendizagem ou patologias neurológicas. 

Suplementos de Vitamina D

Como dissemos acima, a falta de vitamina D é um problema recorrente no Brasil, a maior parte da população sofre com a insuficiência desse nutriente. Por isso, a suplementação é altamente recomendada, pois é difícil atingir os níveis necessários apenas com o contato com o sol e pela alimentação. 

Então, faça exames e veja como estão seus índices de vitamina D no sangue, se estiverem baixos busque, com orientação médica, adequar uma suplementação para o melhor funcionamento do seu organismo. 

Quer saber mais?

Que tal um desconto especial para experimentar a melhor vitamina D do mercado?

Referências

1- Hossein-nezhad, A., & Holick, M. F. (2013). Vitamin D for health: a global perspective. Mayo Clinic proceedings, 88(7), 720–755. Available from: https://doi.org/10.1016/j.mayocp.2013.05.011

2- Prevalência de deficiência de vitamina D no Brasil

3- Pedrosa Márcia A. Carneiro, Castro Marise Lazaretti. Papel da vitamina D na função neuro-muscular. Arq Bras Endocrinol Metab. 2005  Aug [cited  2020 Mar 18] ;  49( 4 ): 495-502. Available from: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27302005000400005&lng=pt&tlng=pt

4- Lips P, Bilezikian JP, Bouillon R. Vitamin D: Giveth to Those Who Needeth. JBMR Plus. 2019;4(1):e10232. Published 2019 Nov 14.  Available from: doi:10.1002/jbm4.10232

5- M. Pereira‐Santos  P. R. F. Costa  A. M. O. Assis  C. A. S. T. Santos  D. B. Santos. Obesity and vitamin D deficiency: a systematic review and meta‐analysis. Obesity Reviews. April 2015 Volume16, Issue 4. Pages 341-349. Available from: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1111/obr.12239.

6- Savastano, S., Barrea, L., Savanelli, M.C. et al. Low vitamin D status and obesity: Role of nutritionist. Rev Endocr Metab Disord 18, 215–225 (2017). Available from: https: //doi.org/10.1007/s11154-017-9410-7.

7- Barbara Prietl, Gerlies Treiber, Thomas R. Pieber, and Karin Amrein* Nutrients.Vitamin D and Immune Function. Nutrients  2013 Jul; 5(7): 2502–2521. Available from: 10.3390/nu5072502

8- Francesca Sassi, Cristina Tamone, and Patrizia D’Amelio. Vitamin D: Nutrient, Hormone, and Immunomodulator. Nutrients. 2018 Nov; 10(11): 1656. Available from: 10.3390/nu10111656.

9- Marques Cláudia Diniz Lopes, Dantas Andréa Tavares, Fragoso Thiago Sotero, Duarte Ângela Luzia Branco Pinto. A importância dos níveis de vitamina D nas doenças autoimunes. Rev. Bras. Reumatol.  2010  Feb [cited  2020 Mar 18] ;  50( 1 ): 67-80. Available from: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0482-50042010000100007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

10- Mitri, J. & Pittas, AG (2014). Vitamina D e diabetes. Clínicas de endocrinologia e metabolismo da América do Norte , 43 (1), 205–232. Available from: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0889852913001096?via%3Dihub

11- Schlögl, M., & Holick, M. F. (2014). Vitamin D and neurocognitive function. Clinical interventions in aging, 9, 559–568. Available from: https://doi.org/10.2147/CIA.S51785

 
Anterior

Como saber qual a melhor vitamina C para a pele?

Creme de vitamina c para o rosto caseiro | Verdades e mitos

Próximo

Deixe um comentário