Dicas nutricionais para suplementação com BCAA no diabetes

| | ,

A união de dois ou mais suplementos na rotina alimentar de uma pessoa seja ela esportista ou não, se tornou algo relativamente comum. Muitas vezes não é possível  obter todos os nutrientes necessários a saúde apenas através da alimentação, por isso, buscar uma forma de alcançá-los através da suplementação é algo normal e trivial. 

A suplementação com BCAA está entre uma das mais comuns na rotina de muita gente, podendo ocorrer inclusive, combinações um tanto quanto inteligentes. Hoje vamos falar sobre as combinações de suplementos que podem ser feitas de maneira conjunta ao BCAA e sobre possíveis riscos que o BCAA pode trazer para quem tem diabetes.

Whey protein e a suplementação com BCAA

Dentre as principais formas de combinar a suplementação com BCAA está a união de Whey Protein com aminoácidos de cadeia ramificada. Nesse caso, o BCAA pode complementar o  whey protein conforme o objetivo da dieta.

Embora existam alguns suplementos à base de proteína e à base de aminoácidos, ainda é comum que a maioria dos tipos de whey protein, seja ele isolado, hidrolisado ou concentrado, possuam preferencialmente proteínas em suas composições.

Nessa situação, os aminoácidos – isoleucina, leucina e valina aliados às proteínas, podem acelerar o processo de recuperação de lesões musculares, promover ganho de massa muscular e até mesmo prevenir a perda muscular de maneira muito eficiente.

Suplementação com BCAA para diabéticos

O diabetes é uma patologia grave, onde a pessoa precisa de orientações médicas e nutricionais quando o assunto é suplementação, e embora o BCAA não tenha carboidratos em sua composição, é muito importante ter a opinião de um desses profissionais da saúde, antes de fazer uso desse ou qualquer outro tipo de suplemento alimentar.

Estudos científicos sobre BCAA e diabetes

Por se tratar de um suplemento energético sem nenhum tipo de carboidrato em sua composição, como mencionamos anteriormente, seria possível imaginar que esse suplemento,  poderia trazer benefícios à diabéticos não é mesmo? No entanto, não é isso o que a ciência sugere.

Resistência à insulina 

Um estudo analisou a associação entre os níveis de aminoácidos na corrente sanguínea com a  obesidade e com a resistência à insulina e o diabetes mellitus tipo II. Foi visto que o BCAA, embora exerça efeitos benéficos para a saúde, pode ser um fator de risco para uma futura resistência insulínica ou instalação de diabetes. 

O BCAA estimula o mTORC1, um receptor que dá início a vários caminhos para a comunicação celular e produção de proteínas. Entre esses caminhos está a ativação do receptor da insulina. Por motivos ainda não muito esclarecidos pela ciência, o consumo excessivo e frequente do BCAA pode levar à resistência da insulina. 

Risco de diabetes e obesidade 

Um outro estudo científico analisou oito artigos de ensaios clínicos randomizados que analisaram a suplementação com BCAA, ingestão alimentar com aminoácidos e os riscos de desenvolvimento da obesidade e da diabetes mellitus do tipo II.

Os estudos levados em consideração, mostraram que a suplementação de BCAA via oral e consumo de aminoácidos de maneira elevada por meio da alimentação, se mostraram positivos ao aumento do risco de obesidade e consequentemente de desenvolvimento de diabetes.

Suplementação com BCAA e diabetes: um campo a ser desbravado pela ciência

Em resumo, é possível afirmar que estudos recentes, propõem uma pequena relação entre BCAA e resistência à insulina. Mecanismos pelos quais o aumento de BCAA é capaz de induzir resistência insulínica são propostos em moldes distintos e essas novas descobertas, ampliam a compreensão dessa delicada situação de saúde. 

A ausência de informações mais aprofundadas sobre a suplementação com BCAA e o diabetes, sugere-se então, que obesos, pessoas com resistência à insulina e diabéticos, evitem o uso de qualquer tipo de suplemento sem orientação profissional.

Entretanto, se o aumento de aminoácidos na corrente sanguínea oriunda da suplementação com BCAA ou então proveniente da alimentação são apenas marcadores de resistência à insulina ou se contribuem diretamente para essa resposta fisiológica é algo que ainda permanece incerto e tem chamado cada vez mais a atenção de nutricionistas, médicos e pesquisadores. 

Por conta das incertezas científicas sobre a suplementação com BCAA e o diabetes, o mais sensato é que pessoas com diabetes, ou que apresentem resistência à insulina ou até mesmo obesidade, evitem o uso de qualquer tipo de suplementação sem que haja uma orientação profissional para isso.

Quer saber mais?

Que tal um desconto especial para experimentar um suplemento de BCAA de altíssima qualidade?

Referências bibliográficas:

HOLEČEK, Milan. Branched-chain amino acids in health and disease: metabolism, alterations in blood plasma, and as supplements. Nutrition & metabolism, v. 15, n. 1, p. 33, 2018.

OKEKUNLE, Akinkunmi Paul et al. Dietary branched-chain amino acids intake exhibited a different relationship with type 2 diabetes and obesity risk: A meta-analysis. Acta diabetologica, v. 56, n. 2, p. 187-195, 2019.

YOON, Mee-Sup. The emerging role of branched-chain amino acids in insulin resistance and metabolism. Nutrients, v. 8, n. 7, p. 405, 2016.

 
Anterior

Elasticidade da pele: beleza com saúde

Anti-inflamatório para pele: Ômega 3 e a melhora da acne

Próximo

Deixe um comentário