Pular para o conteúdo
Home » Todos os posts » Como desinflamar o corpo rapidamente? 12 dicas fáceis e práticas

Como desinflamar o corpo rapidamente? 12 dicas fáceis e práticas

colágeno tipo 2 serve para quais tipos de dores
7 minutos de leitura

A inflamação é uma reação natural do corpo, que ocorre quando ele sofre algum ataque.

Então, em resposta disso, substâncias inflamatórias são liberadas na corrente sanguínea para proteger o organismo e promover a cura.

Porém, quando se torna crônica, isto é, persistente e duradoura, a inflamação pode se tornar um problema sério, aumentando os riscos de diversas doenças crônicas como cardiopatias, diabetes, artrite, doenças neurodegenerativas e câncer.

Felizmente, existem algumas medidas naturais que você pode tomar para resolver este problema.

Por isso, traremos 12 dicas fáceis e práticas de como desinflamar o corpo rapidamente. Veja:

1 – Aposte em uma dieta anti-inflamatória

A alimentação é um dos principais pilares para controlar a inflamação, devendo principalmente apostar em uma dieta anti-inflamatória.

Neste caso, é importante aumentar o consumo de alimentos capazes de reduzir os marcadores inflamatórios no corpo, como frutas, legumes, verduras, grãos integrais, leguminosas, peixes gordurosos, sementes, folhas verdes e oleaginosas.

Além disso, uma dica extra é adicionar cúrcuma, gengibre e alimentos roxos, como uvas, mirtilo e beterraba, na dieta. Isso porque eles são ricos em substâncias anti-inflamatórias, como curcumina, gingerol e resveratrol, respectivamente.

Atualmente, você também pode optar por suplementos de cúrcuma e resveratrol para facilitar a adesão e garantir o consumo diário adequado.

2 – Faça a suplementação de ômega 3

Diversos estudos comprovam os efeitos anti-inflamatórios do ômega 3. Por isso, é muito importante manter o consumo adequado de peixes como salmão, atum e sardinha e/ou sementes de linhaça e chia.

No entanto, se você não consome esses alimentos regularmente, deve considerar a suplementação como uma alternativa conveniente para evitar a deficiência e garantir uma ingestão adequada do nutriente.

Por quanto tempo devo tomar omega 3

3 – Atente-se também a vitamina D

A deficiência de vitamina D está associada ao aumento da inflamação crônica, já que ela atua diretamente na regulação do sistema imunológico e na redução da inflamação.

Sendo assim, além da exposição solar adequada, é essencial manter um consumo adequado de  salmão, sardinha e gema de ovo, que são as principais fontes de vitamina D.

No entanto, em algumas regiões ou durante certas épocas do ano, pode ser difícil obter vitamina D suficiente apenas através da exposição ao sol e da dieta, tornando a suplementação uma opção viável para muitas pessoas.

4 – Mantenha uma boa ingestão de água

O corpo precisa de água para eliminar toxinas, combater a inflamação e promover o bom funcionamento de todas as suas funções celulares.

Portanto, lembre-se de manter uma ingestão adequada de água, pelo menos 2 litros por dia.

5 – Se exercite regularmente

A prática regular de exercícios físicos é uma das formas mais eficazes de reduzir a inflamação, pois reduz o estresse e diminui os níveis de marcadores inflamatórios.

Logo, busque praticar uma combinação de exercícios aeróbicos, como caminhada, corrida ou natação, e exercícios de resistência, como musculação ou pilates, para obter os melhores resultados.

6 – Cuide do seu sono

A má qualidade do sono pode piorar a inflamação, pois aumenta os níveis de estresse.

Diante disso, certifique-se de dormir o suficiente todas as noites, sendo o ideal de 7 a 9 horas de descanso.

Além disso, mantenha um ambiente propício para o sono, evitando luzes brilhantes e eletrônicos antes de dormir.

melatonina

7 – Busque práticas de gerenciamento do estresse

O estresse crônico pode desencadear uma resposta inflamatória no corpo, contribuindo para o desenvolvimento de doenças crônicas.

Por isso, busque maneiras saudáveis de gerenciar o estresse, como meditação, yoga, mindfulness ou terapia.

Bem como, reserve um tempo para relaxar e praticar atividades que você goste, como andar de bike, fazer um piquenique ou passar tempo com seus amigos e familiares.

8 – Inclua chás anti-inflamatórios na rotina

Alguns chás exercem ação anti-inflamatória que pode ajudar a desinflamar. Neste caso, boas opções são os chás de gengibre, camomila, cúrcuma ou hortelã.

Além de ajudarem a reduzir a inflamação, eles também podem melhorar o sono, aliviar o estresse e melhorar a digestão.

9 – Evite os alimentos que podem piorar a inflamação

Alimentos processados, ricos em açúcar, sódio, aditivos artificiais e gorduras saturadas e trans, podem aumentar a inflamação e intensificar os riscos para doenças crônicas. Por isso, o ideal é evitá-los ou pelo menos restringi-los.

10 – Limite bebidas alcoólicas

Além de piorar a inflamação, o consumo excessivo de álcool pode provocar efeitos prejudiciais para a saúde em geral.

Uma vez que o álcool prejudica as funções do fígado, sobrecarrega o sistema cardiovascular e compromete o sistema imunológico, deixando o corpo mais suscetível à inflamação e a uma série de doenças crônicas.

Então, se você escolher consumir bebidas alcoólicas, faça-o com moderação e com pouca regularidade.

Além disso, sempre acompanhe com alimentos nutritivos e água para amenizar os impactos adversos.

11 – Evite fumar

O tabagismo provoca uma cascata de efeitos negativos que, além de aumentar a inflamação, também podem levar ao desenvolvimento de doenças graves, como câncer, doenças cardíacas e doenças respiratórias.

Isso se deve pois a exposição aos produtos químicos tóxicos do cigarro irrita os tecidos corporais, desencadeando uma resposta inflamatória sistêmica que pode persistir por longos períodos.

12 – Cuide do seu intestino

Um intestino saudável abriga trilhões de microrganismos benéficos, conhecidos como microbiota intestinal, que exercem funções importantes na digestão e absorção de nutrientes e na regulação do sistema imunológico.

Logo, quando a microbiota intestinal fica em desequilíbrio, pode favorecer o aumento da inflamação no corpo.

Com isso, as melhores formas de cuidar do intestino é mantendo uma alimentação equilibrada, rica em fibras e com quantidade equilibrada de probióticos, como iogurte, kombucha, chucrute e kefir. 

BÔNUS: O que mais inflama o corpo?

Agora que você já sabe como desinflamar o corpo rapidamente, preparamos este tópico extra para informar o que mais inflama o organismo.

Afinal, se não houver os cuidados necessários, a inflamação pode retornar. Então, confira abaixo quais os principais responsáveis pela inflamação crônica:

  • Obesidade: o excesso de peso aumenta a produção de substâncias inflamatórias no corpo;
  • Sedentarismo: a falta de atividade física regular gera uma redução na circulação sanguínea e o acúmulo de tecido adiposo, aumentando a inflamação;
  • Estresse crônico: o estresse prolongado aumenta os níveis de cortisol, um hormônio associado à inflamação;
  • Infecções recorrentes: elas podem manter o sistema imunológico em estado de alerta constante, contribuindo para a inflamação crônica.

Quer saber mais?

o que é EPA e DHA

Referências

CHIANG, C. M. C. et al. EFFECTS OF VITAMIN D SUPPLEMENTATION ON MUSCLE STRENGTH IN ATHLETES: ASYSTEMATIC REVIEW. Journal of Strength and Conditioning Research. v. 31, n. 2, p. 566-574, 2016.

MENG, T. et al. Anti-Inflammatory Action and Mechanisms of Resveratrol. Molecules. v. 26, n. 229, p. 1-15, 2021.

PERES, M. C. ÁCIDOS GRAXO ÔMEGA – 3 ω-3 NA PREVENÇÃO DE DOENÇAS CARDIOVASCULARES: Uma revisão da literatura. Revista Farol. v. 16, n. 16, p. 78-93, 2022.

RAHAMAN, M. et al. The Genus Curcuma and Inflammation: Overview of the Pharmacological Perspectives. Plants. v. 10, n. 63, p. 1-19, 2021.

Avalie este post

Nutricionista pelo Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU) e pós graduada em Comportamento Alimentar pelo Instituto de Pesquisas, Ensino e Gestão em Saúde (IPGS).

Experiência acadêmica em pesquisa científica e produção de conteúdos com embasamento científico. Trabalha com marketing de conteúdo, com foco na divulgação de informação de qualidade baseada em ciência sobre alimentação e suplementação.

Marcações:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × três =


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.