Pular para o conteúdo
Home » Todos os posts » Enzimas digestivas: qual sua função?

Enzimas digestivas: qual sua função?

Mulher jovem comendo
6 minutos de leitura

As enzimas digestivas são necessárias para que o organismo consiga quebrar os nutrientes dos alimentos que consumimos em componentes menores, para realizar a absorção no intestino.

O processo de quebra que ocorre na digestão é bem extenso. Afinal, do intestino esses nutrientes chegarão à corrente sanguínea e posteriormente às células, locais onde as estruturas precisam ser muito pequenas para alcançar.

O local de atuação das enzimas digestivas são na boca, estômago e intestino delgado. Porém, sua produção ocorre nesses e em outros órgãos que fazem parte do nosso sistema gastrointestinal (conjunto de órgãos responsáveis pela digestão e absorção de nutrientes).

Quais são as enzimas digestivas?

Existem cerca de 29 enzimas digestivas que participam do processo para a absorção de nutrientes. Separamos em três categorias, pelo local de atuação, para explicar melhor sua função.

1. Boca

A digestão dos alimentos começa na boca. O ato de mastigar auxilia no processo, ao quebrar o alimento em pedaços menores. Junto com a saliva, existem duas enzimas que iniciam o processo de digestão enzimática.

  • Amilase salivar: Participa da digestão de carboidratos.
  • Lipase lingual: Auxilia na digestão de gorduras, porém sua atividade é maior em crianças.

2. Estômago

Além das enzimas digestivas no estômago, outros dois fatores também atuam na digestão: o ácido gástrico e a própria movimentação das paredes do estômago, que realiza uma quebra mecânica do alimento que chega ali.

  • Pepsina: Atua na digestão de proteínas.
  • Lipase gástrica: Participa da digestão de gorduras.

3. Intestino delgado

Último local de quebra dos alimentos e, também, onde se inicia a absorção dos nutrientes. Portanto, o processo precisa ser finalizado neste local e, devido a isso, ocorre uma grande concentração de enzimas.

  • Tripsina, quimotripsina e elastase: São três enzimas que atuam de formas distintas na quebra de proteínas.
  • Colagenase: Atua especificamente na digestão da proteína colágeno.
  • Lipase pancreática, colipase, fosfolipase, retinil éster hidrolase, colesterol esterase, fosfatase alcalina e monoglicerídeo lipase: São as responsáveis pela digestão de gorduras. Em alguns casos, atuam especificamente, como o colesterol esterase que só quebra o colesterol.
  • Amino peptidase e dipetidases: Digerem peptídeos, formas menores de proteínas, compostos por aminoácidos.
  • Ribonuclease e desoxirribonuclease: Digerem, respectivamente, RNA e DNA.
  • Nucleotidase e nucleosidase: Quebram nucleotídeos, subunidade que forma o DNA e RNA.
  • Amilase pancreática, glicoamilase, glicosidase, isomaltase e trealase: Participam da digestão de carboidratos.
  • Sacarase: Quebra a sacarose em duas glicoses.
  • Maltase: Atua na maltose, quebrando em glicose e frutose.
  • Lactase: Participa da digestão de lactose, quebra em glicose e galactose.
Torrada com abacate

Como atuam as enzimas digestivas?

Os alimentos presentes em nossa dieta são formados por macronutrientes e micronutrientes. Os que participam do processo de digestão são somente os macronutrientes.

Como o próprio nome já diz, são os nutrientes grandes e compõem a maior parte da alimentação. São os carboidratos, proteínas e gorduras, que possuem diversas enzimas digestivas para que sua quebra seja completa.

Digestão de carboidratos

Os menores componentes que formam os carboidratos são glicose, frutose e galactose. A glicose é o principal representante desse grupo e a principal fonte de energia do corpo humano.

A frutose e a galactose são encontradas, respectivamente, em alimentos de origem vegetal e no leite. A absorção de carboidratos só ocorre em um desses três formatos.

Digestão de proteínas

As proteínas são formadas por aminoácidos, absorvidos sozinhos ou na forma de peptídeos (dois aminoácidos ligados). A digestão de proteínas é mais intensa no estômago.

Esse é o motivo pelo qual suplementos de colágeno só funcionam quando na forma de peptídeos bioativos. Nesse formato, conseguem ser absorvidos pelo corpo sem alteração na sua função e estrutura.

Digestão de gorduras

As gorduras são formadas principalmente por ácidos graxos. A sua digestão tem alguns aspectos especiais, pois o ambiente do nosso trato gastrointestinal é repleto de água, no qual as gorduras não se misturam.

O que causa a falta de enzimas no organismo?

Existem dois principais motivos para a falta de enzimas digestivas no organismo: doenças que acometem os órgãos que produzem as enzimas ou uma falha genética na produção das enzimas.

Abaixo temos um exemplo de cada um desses cenários para explicar melhor como cada situação pode ocorrer e se desenvolver.

  • Intolerância à lactose

Um dos exemplos mais comuns de falta de enzimas digestivas é a intolerância à lactose. Essa doença é causada por uma falha na produção de lactase, a enzima que digere a lactose.

A lactose é um açúcar presente no leite de animais, que precisa ser quebrado em glicose e galactose pela lactase durante a digestão. Quando a quebra não ocorre, esse açúcar não é absorvido e chega até o intestino grosso para a excreção.

Porém, as bactérias presentes na nossa microbiota intestinal conseguem fermentar esse açúcar, o que ocasiona os sintomas da doença como gases, diarréia, distensão abdominal, náuseas e febre.

Vale lembrar que esses sintomas acontecem junto com a digestão dos outros alimentos, o que acaba atrapalhando esse processo e leva a má absorção de nutrientes. 

  • Pancreatite crônica

Essa é uma doença que acomete o pâncreas, devido a fatores como alcoolismo, cálculos biliares, doenças do fígado, infecções virais, ingestão de certos medicamentos, entre outros.

Muitas das enzimas que atuam no intestino são produzidas pelo pâncreas. Quando sua função está prejudicada devido a uma doença como a pancreatite, as produção das enzimas também sofre.

Nesse caso, muitos processos digestivos são prejudicados. Levando a uma má absorção generalizada de diversos nutrientes, que, quando não tratada, contribui para um quadro de desnutrição.

Pílulas de enzimas digestivas

Quando se deve tomar enzimas digestivas?

As enzimas digestivas devem ser consumidas quando existe algum problema em sua produção pelo organismo, com consequente inferência no processo de digestão e absorção dos nutrientes.

Em quadro como a intolerância à lactose, é fácil perceber qual enzima “falta”, pois esse açúcar está presente no leite e seus produtos derivados. Em outros casos, uma investigação mais completa pode ser necessária.

Quando necessário, o consumo das enzimas deve ser feito imediatamente antes da refeição, permitindo a digestão dos nutrientes que serão posteriormente absorvidos.

Quer saber mais?

Referências:

Gropper S, Smith J, Groff J. Nutrição avançada e metabolismo humano. São Paulo: Cengage Learning; 2012.

3.2/5 - (6 voto(s))

Nutricionista pela Universidade de São Paulo (USP).

Experiência acadêmica em pesquisa científica, trabalhando com projeto sobre tratamento de epilepsia com dieta cetogênica. Atuação em educação alimentar, desenvolvendo curso de capacitação para professores da rede pública sobre nutrição.

Trabalha com marketing de conteúdo, com foco na divulgação de informação de qualidade baseada em ciência sobre alimentação e suplementação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.