As dietas são aliadas importantes para quem está investindo em um novo estilo de vida. Dentre os principais nutrientes do cardápio, devemos destacar as proteínas, principais responsáveis pela construção muscular.

Podemos notar que o aumento de adeptos pela substituição das proteínas animais por vegetais é notável, portanto devemos entender por que isso ocorre e como deve ser feito.

Abaixo separamos algumas dicas de nutrição esportiva com proteína vegetal. Acompanhe!

O que é veganismo?

O veganismo não é só a adoção de uma alimentação livre de qualquer tipo de alimento de origem origem animal (carne vermelha, aves ou peixes e também ovos, leite e mel), mas também a não utilização de qualquer produto que tenha origem animal, como bolsas, vestes, acessórios, e muito mais.

Por que adotar esse tipo de alimentação?

Sabemos que as rotinas atribuladas e a desatenção com a alimentação são as razões para o aumento da incidência de casos de obesidade, diabetes, hipertensão e demais doenças associadas a riscos cardiovasculares. Esses são fatores que levam os pacientes aos consultórios.

Alguns estudos comprovaram que a mudança de hábitos para o veganismo é justificada pela obtenção de melhor qualidade de vida e prevenção de doenças.

Os benefícios da substituição da proteína animal pela vegetal podem ser diversos e aplicada à qualquer público. As proteínas de origem animal podem ser substituídas, principalmente por quem investe na nutrição esportiva, para assegurar a recuperação e desenvolvimento dos muscular.

As proteínas vegetarianas devem ser combinadas entre si para se tornarem adequadas em termos de oferta de nutrientes como a proteína animal, e as porções devem ser apropriadas a cada indivíduo e suas reais necessidades.

Digestibilidade

A digestão de proteínas de origem vegetal é mais rápida, entretanto as quantidade oferecidas na dieta precisam ser superiores a quantidade oferecidas de proteína animal para que o corpo consiga absorver nutrientes suficientes para suprir o aporte necessário para o desempenho físico e assegurar a hipertrofia muscular.

A atenção não deve ser desviada, quando o assunto são os aminoácidos essenciais, pois eles favorecem a síntese das proteínas nos músculos. Alimentos de origem vegetal não são completos em aminoácidos essenciais, para entender, vamos dar um exemplo da combinação brasileira arroz com feijão: lisina e metionina são tipos de aminoácidos essenciais, o arroz é rico em metionina mas é pobre em lisina, e o feijão é rico em lisina e pobre em metionina. Assim, para se ter uma alimentação equilibrada em aminoácidos essenciais, é necessário combinar diferentes fontes de proteína vegetal uma mesma refeição.

Nutrição completa

Deve-se atentar para a substituição de fontes proteicas, mas é necessário analisar minuciosamente todo o cardápio, pois os demais nutrientes não podem ser esquecidos, visto que também são fundamentais para garantir a energia necessária aos treinos e a reconstrução muscular.

Combine a proteína vegetal com alimentos ricos em gorduras boas (ômega 3), vitaminas C, D, B e minerais, tais como Cálcio, Ferro, Zinco, e outros.

Suplementação

O ideal é garantir os nutrientes a partir de alimentos, mas havendo a necessidade, adote uma suplementação segura e que supra ou previna as deficiências.

A escolha dos aportes deve ser avaliada por profissionais qualificados, portanto, a orientação médica ou nutricional é indispensável.

Não é possível afirmar que a proteína vegetal é a principal ou única responsável pelos benefícios para uma nutrição esportiva mais eficiente. Os efeitos para uma boa hipertrofia são obtidos apenas através da adoção de hábitos saudáveis e alimentação completamente equilibrada.

Combine um cardápio equilibrado e com as proteínas vegetais, some-o com exercícios físicos regulares e descanso ideal. Após um período você poderá notar vários efeitos, como melhor estado de humor, maior qualidade de sono, e o melhor, mais resistência física para suas atividades do dia a dia.