Qual a relação do sol com a vitamina D? Confira aqui

| | ,

Quer saber qual a relação do sol com a vitamina D? Confira aqui essa e outras respostas sobre essas vitamina.

O que é vitamina d

A vitamina D é um micronutriente,o que quer dizer que é um nutriente necessário ao corpo, mas em pequena quantidade. Também pode ser considerada um hormônio, produzido pelo nosso corpo quando a nossa pele entra em contato com o sol.

Nós conseguimos adquirir a vitamina D de duas maneiras, ou pela alimentação, ou com o auxilio do sol. A vitamina D está associada a diversas funções no organismo humano, como absorção de cálcio, prevenção e tratamento de várias doenças, veja mais no vídeo abaixo:

Para que serve?

Essa vitamina exerce funções essenciais no corpo, confira as principais abaixo:

    • Atua na absorção de minerais, como cálcio e fósforo;
    • Promove o crescimento ósseo;
    • Previne o enfraquecimento dos ossos;
    • Previne doenças relacionadas ao coração;
    • Previne alguns tipos de câncer;
    • Previne diabetes;
    • Previne e atua no tratamento de doenças respiratórias.
    • Atua no sistema de defesa;
    • Previne e ajuda no tratamento de doenças autoimunes (doenças em que o nosso organismo se auto ataca), como artrite e psoríase.

Sol e vitamina d

Você provavelmente conhece essa vitamina como a vitamina do sol, e essa associação está correta. 80% da produção de vitamina D provém do contato da pele com o sol, e os outros 20% são por meio da alimentação.

Para o corpo produzir vitamina D é preciso tomar sol durante 15 minutos, por dia, sem usar protetor solar ou camadas de roupa que não permitam o contato direto do sol com a pele. Vale lembrar que os horários indicados para tomar sol é antes das 10 h e após as 16 h.

Após a pele entrar em contato com o sol, a vitamina D vai para o sangue. Assim que entra na circulação, ela vai para o fígado, e lá é transformada em calciferol (forma química da vitamina D). Depois disso, ela pode ir para os rins ou retornar à circulação, feito isso o calciferol vai ser tornar calcidiol, que é a forma da vitamina D que vai ser aproveitada pelo corpo.

Mas nem sempre conseguimos nos expor ao sol como deveríamos, não é? E além disso, o local onde moramos, a tonalidade da nossa pele, e o tipo de roupa que usamos, também podem influenciar no quanto de vitamina D nosso corpo é capaz de produzir. 

A Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) realizou um estudo que mostrou que mais da metade da população brasileira sofre com insuficiência de vitamina D. Isso acontece no Brasil, um país conhecido pelo seu clima tropical que parece que é verão o ano inteiro, imagine para aqueles que moram em regiões com pouco sol?

Fontes de vitamina d

Além do sol, existem outras formas de se adquirir vitamina D, pode ser por meio da alimentação ou de suplementação.

Os alimentos mais ricos em vitamina D são: peixes, como: arenque, sardinha, salmão; óleo de bacalhau; cogumelos frescos e secos.

É compreensível que a população brasileira tenha baixos níveis de vitamina D, pois além da baixa exposição solar nas condições ideais, nós também não temos o hábito de consumir esses alimentos com regularidade. 

Quantidade de vitamina d por dia

A quantidade que devemos consumir ao dia de vitamina Daria de acordo com a idade, necessidades e objetivos de cada um. A Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia afirma que para suprir as necessidades, é preciso conter, no mínimo, 75mol/L de vitamina D no sangue. Essa medida significa que são necessárias 75 moléculas de vitamina D por litro de sangue. 

Para saber como está o nível de vitamina D no sangue, basta fazer um exame de sangue. A quantidade ideal fica entre 75mol/L e 140mol/L de vitamina D. Entre 50mol/L e 75mol/L, os níveis são considerados insuficientes, abaixo de 50mol/L já é um caso de deficiência de vitamina D. E fique atento, pois acima de 140mol/L é excesso de vitamina, o que pode gerar calcificação de órgãos. 

Falta de vitamina D

Como a vitamina D desempenha tantas funções importantes no nosso organismo, dá para imaginar que a falta dela vai trazer algumas complicações.

Por exemplo, quando não temos a quantidade adequada de vitamina D, problemas como enfraquecimento de ossos, doenças autoimunes, queda de cabelo e até mesmo obesidade podem ocorrer.

Confira os efeitos da falta de vitamina D em grupos específicos: 

Crianças

A vitamina D está associada ao crescimento saudável das crianças, fortalecendo os ossos e promovendo absorção de cálcio. Então, a falta dessa vitamina pode causar uma doença chamada raquitismo, que enfraquece e amolece ossos de indivíduos em fase de crescimento.

Durante a gestação, a vitamina D também tem papel importante, evita diabetes gestacionais e ajuda no ganho de peso do bebê.

Idosos

Os idosos, por ter uma pele mais fina, precisam de mais esforço para absorver essa vitamina, então, merecem um cuidado especial. A falta de vitamina D nos idosos pode causar enfraquecimento dos ossos e, com isso, dificultar a mobilidade e provocar quedas. 

Suplementação de vitamina d

Como você pôde ver, a maioria da população sofre com a falta de vitamina D, isso acontece porque não estão conseguindo adquirir esse nutriente pela alimentação, nem pela exposição solar.

Uma alternativa é o uso da suplementação da vitamina D, recomendada para todas as idades, a suplementação é a estratégia mais utilizada pelos profissionais da área da saúde para ajudar a população a ter uma boa concentração dessa vitamina.

A dose diária de vitamina d recomendada varia de acordo com idade e necessidades de cada um, mas no geral, para manter uma boa saúde,os níveis satisfatórios da vitamina no sangue, é recomendado 2000 UI (UI é a unidade internacional de medida). A melhor maneira de descobrir a quantidade ideal para você é procurando um médico e fazendo exames para ajustar a sua suplementação na dosagem ideal.

Quer saber mais?

Que tal um desconto especial para experimentar a melhor vitamina D do mercado?

Referências:
CASTRO, Luiz Claudio Gonçalves de. O sistema endocrinológico vitamina DArquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia, v. 55, n. 8, p. 566-575, 2011.
MAEDA, Sergio Setsuo et al. Recomendações da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) para o diagnóstico e tratamento da hipovitaminose DArquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia, v. 58, n. 5, p. 411-433, 2014.
ALVES, Márcia et al. Vitamina D–importância da avaliação laboratorial. Revista Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo, v. 8, n. 1, p. 32-39, 2013.
ZAMBRA, Bianca; HUTH, Adriane. Terapia nutricional em pacientes portadores de insuficiência renal crônica em hemodiálise. Revista contexto & saúde, v. 10, n. 19, p. 67-72, 2010.
 
Anterior

Vitamina C no cabelo? 3 Dicas para diminuir o frizz

Ácido hialurônico e vitamina C| Benefícios da combinação

Próximo

2 comentários em “Qual a relação do sol com a vitamina D? Confira aqui”

  1. Gostaria de saber se os mecanismos naturais de conversão da luz solar em vitamina D tem a mesma eficiências para jovens e idosos. Em outras palavras, considerando os benefícios da vitamina D para a saúde, se jovens e idosos se beneficiam igualmente da exposição ao sol.

    Responder
    • Oie Guilherme, tudo bem por aí?

      Não existe! A recomendação da exposição ao sol por 15 (conforme as orientações do post) é o suficiente para aproveitar seus benefícios, independentemente da idade 🙂

      Responder

Deixe um comentário