Pular para o conteúdo
Home » Todos os posts » Cloreto de magnésio: Tudo que você precisa saber antes de tomar

Cloreto de magnésio: Tudo que você precisa saber antes de tomar

magnesio-minerais-quelados
7 minutos de leitura

O cloreto de magnésio é um suplemento alimentar no qual há a combinação de magnésio com cloro.

Essa junção tem o intuito de melhorar a absorção do magnésio no intestino, permitindo que ele cumpra as suas funções da melhor maneira.

Em síntese, o magnésio é um dos nutrientes mais abundantes do corpo humano, estando presente em mais de 300 reações metabólicas.

Dentre elas, o mineral atua no metabolismo dos carboidratos, estimula a fixação do cálcio nos ossos e dentes, regula a ação de hormônios que ativam a vitamina D, entre outras funções.

Por isso, níveis baixos de magnésio no organismo podem favorecer ou piorar o quadro de diversas doenças.

Assim, o cloreto de magnésio mostra-se uma opção eficaz para suplementar o nutriente e evitar a deficiência.

Benefícios do cloreto de magnésio

  • Regula a pressão arterial;
  • Mantém ossos e dentes fortes e saudáveis;
  • Aumenta a disposição e energia diária;
  • Melhora a qualidade do sono;
  • Diminui dores articulares e musculares;
  • Regula o sono e humor;
  • Combate as cãibras frequentes;
  • Melhora a circulação sanguínea;
  • Previne e trata diabetes;
  • Melhora a performance durante os treinos.

Quais são os sintomas da falta de magnésio no corpo?

A deficiência de magnésio pode gerar alguns sintomas comuns, como fraqueza muscular, cãibras frequentes, vômitos, náuseas, tremores, perda de apetite e alterações no humor. Em casos mais graves, pode haver convulsões.

No entanto, como esses sintomas também são associados a outras deficiências nutricionais, é muito difícil perceber a falta de magnésio através deles.

Por conta disso, o ideal é fazer um exame de sangue para dosar os níveis do mineral e, assim, conferir se eles estão adequados.

O que acontece se eu ficar com deficiência de magnésio?

A falta de magnésio no corpo tem sido uma das principais causas de mortalidade por doenças cardiovasculares.

Isso acontece porque o mineral é um dos principais responsáveis por regular a pressão arterial e os batimentos cardíacos.

Atualmente, uma das principais razões da falta de magnésio no corpo é o consumo insuficiente por meio de alimentos, como nozes, cereais integrais, frutas e folhosos verde escuros (ex: espinafre, rúcula, brócolis e couve).

Infelizmente, essa situação tem sido cada vez mais comum. Ainda mais no mundo moderno, no qual a rotina corrida muitas das vezes dificulta manter uma dieta equilibrada.

Por isso, o cloreto de magnésio pode ser um bom aliado para quem não consegue ingerir o nutriente da forma adequada com a alimentação.

Neste caso, é importante consultar um nutricionista para tomar o suplemento na dose ideal, conforme as suas necessidades.

Quanto tempo o cloreto de magnésio começa a fazer efeito no corpo?

O tempo em que o cloreto de magnésio demora para fazer efeito varia de pessoa para pessoa.

Uma vez que isso pode depender da condição de saúde, dose ingerida, estilo de vida, frequência de uso, alimentação, entre outros fatores.

Além disso, é preciso levar em consideração que cada corpo funciona de uma maneira diferente. Bem como, cada organismo requer necessidades específicas.

Todavia, na maioria dos casos, o cloreto de magnésio tende a fazer efeito logo nas primeiras semanas de uso.

Qual o melhor horário para tomar cloreto de magnésio?

Não há melhor horário para tomar cloreto de magnésio, podendo ser consumido em qualquer momento do dia ou conforme a orientação do seu médico ou nutricionista.

Em contrapartida, o ideal é que ele seja ingerido todos os dias no mesmo horário. Assim, é possível criar um hábito e evitar esquecimentos.

Qual a dose ideal de cloreto de magnésio?

A dose ideal de cloreto de magnésio pode variar de pessoa para pessoa. Mas, na maioria dos casos, a recomendação diária é de 200 a 350 mg por dia, não devendo ultrapassar 1500 mg por dia.

No entanto, antes de começar a tomar o suplemento, lembre-se de conversar com o seu médico ou nutricionista.

Com isso, o profissional irá avaliar se existe a real necessidade de utilizar o produto e a dose adequada para o seu caso.

O que significa cloreto de magnésio P.A?

Na hora de comprar o cloreto de magnésio, é comum encontrar algumas marcas que trazem o suplemento como: “Cloreto de Magnésio P.A”. Mas, o que seria isso? Você deve estar se perguntando!

A sigla P.A nada mais é que “Puro para Análise”, ou seja, ela indica que o suplemento é puro e livre de outras substâncias que não sejam magnésio e cloro.

Por essa razão, as marcas que oferecem esse tipo de cloreto de magnésio são as mais seguras e de boa qualidade.

Qual o melhor tipo de magnésio?

Apesar do cloreto de magnésio ser eficaz, o melhor tipo de magnésio para se tomar é o quelato.

Isso se deve porque o cloreto de magnésio é a forma inorgânica do suplemento. Por isso, ele é mais propício a gerar reações gastrointestinais, como diarreia, náuseas e dores abdominais.

Além disso, o cloreto de magnésio tem uma absorção menos eficiente quando comparado ao magnésio quelato.

Sendo assim, se você busca o melhor tipo de magnésio, dê preferência às formas queladas por serem orgânicas, como:

Cloreto de magnésio tem efeitos colaterais?

Os efeitos colaterais do cloreto de magnésio costumam ocorrer por conta da superdosagem. Na maioria dos casos, o excesso de cloreto de magnésio é eliminado na urina.

Mas, se houver superdosagem, os sinais comuns são queda na pressão, sonolência excessiva, dificuldade de respirar, batimentos cardíacos acelerados e até mesmo parada cardíaca.

Então, se você perceber algum destes sintomas, interrompa o uso e vá até uma unidade de emergência o quanto antes!

mulher sofrendo com efeitos colaterais e sem cloreto de magnésio

Quem não pode tomar cloreto de magnésio?

O cloreto de magnésio é considerado um suplemento seguro para a maioria das pessoas. Por isso, ele é contraindicado para pequenos grupos, como:

  • Pessoas que possuem doenças cardíacas;
  • Indivíduos com insuficiência renal;
  • Pacientes com doenças cardíacas.

Além disso, gestantes, lactantes, crianças e pessoas com doenças gastrointestinais severas devem utilizar o suplemento apenas com orientação médica ou nutricional.

Quer saber mais?

Referências

GROBER, U.; SCHMIDT, J.; KISTERS, K. Magnesium in Prevention and Therapy. Nutrients. v. 7, p. 8199-8226, 2015.

MAH, J.; PITRE, T. Oral magnesium supplementation for insomnia in older adults: a Systematic Review & Meta-Analysis. BMC Complementary Medicine and Therapies. Nova Escócia, Canadá, v. 21, n. 125, p. 1-11, 2021.

UBERTI, F. et al. Study of Magnesium Formulations on Intestinal Cells to Influence Myometrium Cell Relaxation. Nutrients. v. 12, n. 573, p. 1-22, 2020.

3.5/5 - (2 voto(s))

Nutricionista pelo Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU) e pós graduada em Comportamento Alimentar pelo Instituto de Pesquisas, Ensino e Gestão em Saúde (IPGS).

Experiência acadêmica em pesquisa científica e produção de conteúdos com embasamento científico. Trabalha com marketing de conteúdo, com foco na divulgação de informação de qualidade baseada em ciência sobre alimentação e suplementação.

Marcações:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × quatro =


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.