Pular para o conteúdo
Home » Todos os posts » Coenzima Q10: benefícios para o cérebro

Coenzima Q10: benefícios para o cérebro

como-tomar-vitamina-c
4 minutos de leitura

O cérebro é responsável por consumir 1/4 da energia que o corpo produz. Com o envelhecimento, a quantidade de mitocôndrias cerebrais diminui. Consequentemente, não há uma otimização adequada de energia no cérebro.

A coenzima Q10 tem sido usada cada vez mais como tratamento complementar de doenças cardiovasculares e doenças neurodegenerativas. 

Desde a sua descoberta, a coenzima Q10 faz parte de experimentos em diferentes estudos. Em um deles, foi analisada a relação entre o consumo de CoQ10 com a melhora dos sintomas de doenças neurodegenerativas, e pode-se observar que a substância tem ação neuroprotetora. 

Quais os benefícios da coenzima Q10 para o cérebro? 

A coenzima Q10 é um dos nutrientes mais importantes para a produção de energia nas mitocôndrias do cérebro e em todas as partes do corpo. Por ter propriedades antioxidantes, a coenzima Q10 traz inúmeros benefícios ao cérebro

Além da ação neuroprotetora, a substância fornece ATP (energia) para as células de todo o nosso corpo, aumentando a função mitocondrial do cérebro e protegendo de lesões induzidas. Com a sua potente ação antioxidante, a coenzima Q10 protege a membrana mitocondrial.

Para quem deseja ter um alto desempenho cerebral o indicado é 100mg no almoço, e 100mg no jantar. O ideal é consumir próximo as refeições, pois dessa forma a substância é melhor absorvida.

cápsulas de magnésio saindo de um pote laranja

A coenzima Q10 para enxaqueca 

A coenzima Q10 é uma substância aliada na melhora da enxaqueca. A enxaqueca é uma condição que acomete muitas pessoas e pode ser desencadeada por diversos motivos.

A CoQ10 é sintetizada pelo nosso corpo, mas devido a fatores externos como envelhecimento, hábitos de vida a concentração da substância diminui com o passar dos anos. É possível identificar os níveis da substância pelo exame de CoQ10.

Sendo assim, é interessante suplementar coenzima Q10 para obter a melhora nos sintomas dessa condição. Porém, o uso deve ser complementar à tratamentos com medicamentos.

Quem tem ansiedade pode tomar coenzima Q10?

Sim! A CoQ10 atua na produção de energia nas mitocôndrias, o suplemento ajuda na redução de sintomas da ansiedade como o cansaço e desânimo.

Portanto, não há problemas caso o indivíduo com ansiedade passe a tomar coenzima Q10. Muito pelo contrário, a suplementação aumenta a função mitocondrial e traz diversos benefícios ao organismo.

Doença de Parkinson e a coenzima Q10

A doença de Parkinson é caracterizada por uma degeneração que ocorre lentamente e progressivamente nos neurônios. Por conta das suas funções antioxidantes e neuroprotetora, a CoQ10 pode ser um suplemento interessante para o tratamento complementar da doença. 

Doença de Alzheimer e a coenzima Q10

Alguns estudos comprovaram que a CoQ10 atua na proteção do dano oxidativo e na minimização da disfunção mitocondrial ocasionada pela doença de Alzheimer.

Ademais, a coenzima Q10 também diminuiu a presença de beta-amiloide (proteína que se acumula no cérebro dos indivíduos com a doença de Alzheimer) em animais.

Quanto tempo leva para a coenzima Q10 fazer efeito?

Para obter resultados com o uso da coenzima Q10 no organismo, o indicado é consumir o suplemento por pelo menos quatro semanas de uso. Dessa forma, é possível observar os benefícios da CoQ10 no organismo.

Quer saber mais?

Referências

PEREIRA, Bárbara Filipa Teixeira. Coenzima Q10 e Doenças Neurodegenerativas. 2022.

DE ARAÚJO, Francisco Emanoel Alves et al. Avaliação da administração de coenzima Q10 na atenuação de respostas oxidativas da agregação β-Amiloide em modelos de doença de Alzheimer: Uma revisão sistemática de literatura. Research, Society and Development, v. 10, n. 2, p. e41210212751-e41210212751, 2021.

SANTOS, Graciela Cristina dos et al. Coenzyme Q10 and its effects in the treatment of neurodegenerative diseasesBrazilian Journal of Pharmaceutical Sciences, v. 45, p. 607-618, 2009.

5/5 - (1 voto(s))

Nutricionista pela Universidade de São Paulo (USP).

Experiência acadêmica em pesquisa científica, trabalhando com projeto sobre tratamento de epilepsia com dieta cetogênica. Atuação em educação alimentar, desenvolvendo curso de capacitação para professores da rede pública sobre nutrição.

Trabalha com marketing de conteúdo, com foco na divulgação de informação de qualidade baseada em ciência sobre alimentação e suplementação.

Marcações:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.