O colágeno é responsável pela elasticidade e rigidez da pele e está presente em cerca de 25% do nosso corpo. Das funções dessa proteína, podemos destacar: saúde óssea e das articulações, e melhora na aparência da pele e redução das rugas. Esses são alguns dos motivos que tornaram os suplementos de colágeno, principalmente o em pó, tão indicados por nutricionistas e médicos.

Suplemento de colágeno

Para entender a suplementação com colágeno, primeiro é preciso saber da seguinte informação: existem vários tipos de colágeno no nosso corpo. Possuem diferentes funções e podem atuar em regiões distintas. Assim, existem vários tipos de suplementos de colágeno disponíveis no mercado, os mais comuns são o tipo 1 e o tipo 2.

Sendo o colágeno tipo 1 possue ação na pele e unhas e o colágeno tipo 2 nas articulações 

Os suplementos de colágeno podem direcionar a produção de colágeno específico para promover benefícios para determinadas regiões do corpo. E também, a produção de colágeno inespecífico, onde é o corpo quem decide qual região será beneficiada pelo nutriente.

Assim, eles são classificados como colágeno hidrolisado ou peptídeos bioativos. Critério que precisa ser avaliado com cuidado no momento da escolha do suplemento.

Colágeno hidrolisado – Colágeno não específico

O colágeno hidrolisado é a proteína de colágeno que foi submetida a um processo de alta temperatura, denominado hidrólise térmica. Esse processo, resulta na quebra do colágeno em pedaços menores no organismo. Esse tipo de colágeno é classificado como peptídeos, para facilitar a sua absorção.

O problema é que em muitos estudos foi verificado que mesmo em pedaços menores, essa proteína tem pouco aproveitamento. E portanto, o que se aproveita atua estimulando a produção de proteínas inespecíficas para a região de maior demanda do organismo.

Quando esses peptídeos da proteína hidrolisada são consumidos, eles precisam ser novamente quebrados em pedaços ainda menores pelo nosso organismo, e depois são absorvidos pela corrente sanguínea. Após esse processo, a próxima etapa é a construção de novas proteínas e direcioná-las para onde o corpo estiver precisando. Locais esses, podendo ser pele, músculos, articulações, ossos, unha, cicatrização de feridas, e outros.

Além de não saber qual local receberá o colágeno, outro ponto negativo é que em cada uma dessas etapas por onde ele passa, o corpo vai desperdiçando partes dessa proteína. Por isso, muitos consideram a suplementação com colágeno hidrolisado um “tiro no escuro” ou “desnecessária”.

Sendo assim, por que tomar colágeno hidrolisado?

  • Ele é muito utilizado por quem deseja complementar a proteína das refeições. Isso porque, o colágeno em estado hidrolisado se assemelha muito ao colágeno natural dos alimentos. E, uma das poucas diferenças é que o hidrolisado é absorvido com mais rapidez pelo organismo.

  • Outra utilização frequente do colágeno hidrolisado é como aliado ao Whey Protein. Neste caso, os dois irão estimular a produção proteica, a diferença é que o colágeno hidrolisado é de baixo valor biológico e o Whey de alto. Hoje em dia existem estudos comprovando a melhor eficácia desta combinação para o ganho de massa muscular do que apenas um. Além disso, o colágeno garante maior saciedade, beneficiando quem quer perder peso, e faz com que a dieta fique mais barata, por ser um suplemento que possui menor custo do que o Whey.

Outra opção para suplementação de colágeno

Colágeno de Peptídeos Bioativos – Colágeno específico

Além de colágeno hidrolisado, os suplementos podem se apresentar como peptídeo bioativo, também conhecido como colágeno específico. Como o nome sugere, esse tipo de colágeno passa por processos que irão torná-lo específico para atuar em alguma parte do corpo.

Os tipos mais utilizados em forma de suplementos são os peptídeos bioativos de colágeno tipo 1 – o qual beneficia a pele, os cabelos, unhas e músculos, e o tipo 2 – para articulações e cartilagens.

Se o motivo da sua procura pela suplementação de colágeno for beneficiar alguma dessas regiões citadas, opte pelo peptídeo bioativo de colágeno, e não pelo colágeno hidrolisado. Pois, já foi cientificamente comprovado que só os peptídeos bioativos conseguem chegar na região específica desejada.

Além dessas diferenças entre os suplementos, existem outras que você precisa saber antes de escolher qual irá tomar, como a apresentação. Conheça mais sobre o assunto:

Apresentação do suplemento

Sabendo agora seu interesse pelo colágeno com o tipo ideal de suplemento, é hora de decidir como você quer suplementar. Com o aumento da procura pela suplementação, cresce a variedade oferecida pelo mercado, seja hidrolisado ou peptídeo bioativo. Conheça alguns e escolha o seu preferido, se é em forma de gomas, cápsulas, comprimidos ou colágeno em pó. 

 

  • As gomas são mais utilizadas por crianças por conta da facilidade para ingerir e pelo gosto adocicado. Entretanto, é preciso se atentar à quantidade de açúcar na porção. Já que, o consumo excessivo de açúcar ao longo do tempo está associado com várias doenças.
  • As cápsulas ou comprimidos são uma boa opção para quem busca praticidade na hora de suplementar;
  • Já o colágeno em pó é muito consumido pois é possível acrescentá-lo em receitas, tanto doces quanto salgadas. Para isso, é muito importante buscar por produtos que possuam o gosto neutro sem perder a qualidade. Importante ressaltar, que alguns suplementos podem conter aromatizantes para dar um gosto agradável, mas é a mesma situação das gomas. Não é recomendado ingerir um suplemento que podem danificar a sua saúde ao longo do tempo. Por isso, escolha as opções mais naturais do mercado.

 

Quer conhecer um colágeno de altíssima qualidade e aproveitar os melhores benefícios que ele pode entregar para a sua pele? Confira 5 diferenciais do melhor colágeno para a pele!