Pular para o conteúdo
Home » Todos os posts » Colágeno tipo 2 | Para o que serve e benefícios

Colágeno tipo 2 | Para o que serve e benefícios

Colágeno tipo 2
7 minutos de leitura

O colágeno é a proteína mais abundante do corpo humano. Por estar presente em diversos tecidos, existem diferentes tipos de colágeno que estão presentes em tecidos específicos exercendo determinadas funções.

O colágeno tipo 2 está presente em cartilagem, zonas cartilaginosas perto dos tendões e vértebras, exercendo função estrutural nesses tecidos que são essenciais para a execução dos movimentos.

Entenda mais sobre as funções, benefícios e suplementação do colágeno tipo 2 a seguir.

Para que serve o colágeno do tipo 2?

A principal função do colágeno tipo 2 é como proteína estrutural de tecidos e regiões do organismo que existem a grandes pressões, como cartilagens, articulações, tendões e vértebras.

Além da pressão exercida pelo peso corporal, essas estruturas participam da execução dos movimentos e absorvem impactos, principalmente na prática de exercícios físicos. 

O colágeno é produzido pelo corpo, mas com o passar dos anos, ocorre uma redução natural desse processo. No entanto, essa diminuição pode ser exacerbada por fatores relacionados ao nosso estilo de vida.

Exercício físico intenso, hábitos alimentares ruins, uso de cigarro, consumo de álcool e exposição à poluição são alguns dos fatores.

A redução do colágeno tipo 2 pode prejudicar a qualidade de vida, com redução dos movimentos, e desenvolvimento de doenças inflamatórias em articulações.

Quais os benefícios do colágeno tipo 2?

Até agora, temos os principais benefícios do colágeno tipo 2 envolvendo a melhora das regiões das cartilagens e articulações e também com efeitos positivos em regiões relacionadas.

E de acordo com os artigos científicos, esses são os principais benefícios relatados:

  • Atua na prevenção e tratamento da artrite e osteoartrite;
  • Previne lesões nas articulações;
  • Auxilia na reposição do colágeno para tratar lesões de cartilagem;
  • Atua na recuperação dos movimentos;
  • Favorece a reconstrução das cartilagens;
  • Contribui para o fortalecimento dos ossos, promovendo maior resistência física;
  • Proporciona mais força muscular;
  • Reduz as dores nas articulações.

Suplementação de colágeno tipo 2

Consumir um suplemento de colágeno tipo 2 auxilia na reposição da proteína perdida com o envelhecimento, além de atuar na prevenção e tratamento de doenças que acometem as cartilagens e articulações.

A matéria prima do suplemento deve ser peptídeos bioativos de colágeno hidrolisado ou colágeno não desnaturado tipo 2. Em ambos os casos, o uso deve ser contínuo por no mínimo 12 semanas para alcançar o objetivo da suplementação.

Geralmente a dose recomendada de colágeno tipo 2, é de 40mg ao dia para a proteína não desnaturada ou 10g ao dia para os peptídeos bioativos. Abaixo descrevemos benefícios específicos que a suplementação pode alcançar.

1. Dores na articulação

Com relação a cartilagem e articulações de modo geral, é onde o colágeno tipo 2 tem maior ação. E além disso, maior número de estudos e informações importantes.

Como por exemplo, o mecanismo associado na melhora das cartilagens e articulações com a suplementação de colágeno está relacionado ao seguinte mecanismo biológico:

Ao tomar o colágeno, é estimulado uma  maior produção de macromoléculas da matriz extracelular por condrócitos, que são células presentes na região das articulações.

Dessa forma, esse mecanismo promove maior produção de colágeno e reposição das estruturas presentes nas articulações, retardando o seu desgaste e futuras dores.

2. Dor no joelho

Já para dores no joelho, sintoma muito comum, e que com o envelhecimento está associado à osteoartrite, o colágeno tipo 2 apresenta uma ação específica.

Um estudo publicado em 2016, avaliou através de escalas a dor relacionada ao joelho após a suplementação de colágeno tipo 2 por 180 dias em homens e mulheres acima de 45 anos. 

E o resultado desse estudo, foi que após o período diário de suplementação, ocorreu uma melhora nos sintomas gerais desse tipo de dor e com uma boa aceitação do suplemento.

3. Dor muscular

Apesar do uso do colágeno, tipo 2 e os demais, serem totalmente seguros para a saúde e não trazer nenhum tipo de efeito colateral, a sua suplementação para dor muscular ainda não é consenso entre os pesquisadores.

Um estudo publicado recentemente, Abril de 2019, avaliou o efeito de diferentes suplementos para tratar da dor muscular crônica em militares. Já que esse público tem uma alta demanda de exercícios em sua rotina de trabalho.

E dos suplementos listados, 19 deles possuíam estudos relacionando o consumo com esse tipo de dor. Porém para o colágeno, ainda não haviam estudos o suficiente para afirmar que promoveu melhora na dor muscular.

Mas esse resultado foi específico para militares, não afirmando que para os demais não possa ter resultados positivos ou negativos.

4. Após o exercício

Apesar do colágeno tipo 2 ainda não ser recomendado para a recuperação da dor muscular, cientistas avaliaram se ele auxilia no desempenho e na recuperação após o exercício físico intenso.

E um estudo piloto publicado em 2015, avaliou 8 pessoas, 6 homens e 2 mulheres, e a suplementação de colágeno por 6 semanas, associado ao exercício intenso.

Durante esse período, dois dias de avaliação durante o período do estudo, mostraram que aqueles que tomaram colágeno tipo 2 conseguiram fazer mais repetições e associaram isso a uma melhor recuperação entre os dias de exercício.

Apesar disso, é importante sermos criteriosos em dizer que esse estudo apresenta diversas limitações importantes, e podem não resultar na melhora desses parâmetros no dia a dia.

Mas, todo estudo científico a partir do momento que ele é publicado, é considerado uma boa fonte de informação. 

Como já mencionado, nenhum tipo de colágeno apresenta efeitos colaterais, portanto para quem busca por esses resultados pode fazer seu uso sem complicações e avaliar os seus resultados.

Quer saber mais?

Referências:

CRAWFORD, Cindy et al. Dietary Ingredients as an Alternative Approach for Mitigating Chronic Musculoskeletal Pain: Evidence-Based Recommendations for Practice and Research in the Military. Pain Medicine, v. 20, n. 6, p. 1236-1247, 2019.

BRUYÈRE, Olivier et al. Effect of collagen hydrolysate in articular pain: A 6-month randomized, double-blind, placebo controlled study. Complementary therapies in medicine, v. 20, n. 3, p. 124-130, 2012.

KUMAR, Suresh et al. A double‐blind, placebo‐controlled, randomised, clinical study on the effectiveness of collagen peptide on osteoarthritis. Journal of the Science of Food and Agriculture, v. 95, n. 4, p. 702-707, 2015.

BELLO, Alfonso E.; OESSER, Steffen. Collagen hydrolysate for the treatment of osteoarthritis and other joint disorders: a review of the literature. Current medical research and opinion, v. 22, n. 11, p. 2221-2232, 2006.

ZDZIEBLIK, Denise et al. Improvement of activity-related knee joint discomfort following supplementation of specific collagen peptides. Applied Physiology, Nutrition, and Metabolism, v. 42, n. 6, p. 588-595, 2017.

LOPEZ, Hector L.; ZIEGENFUSS, Tim N.; PARK, Joosang. Evaluation of the effects of biocell collagen, a novel cartilage extract, on connective tissue support and functional recovery from exercise. Integrative Medicine: A Clinician’s Journal, v. 14, n. 3, p. 30, 2015.

4/5 - (2 voto(s))
Priscila Gontijo Correa

Nutricionista e Mestre em Ciências pela UNIFESP.

Experiência acadêmica em pesquisa científica. Atua como professora convidada em cursos de graduação e pós graduação na área da saúde.

Profissional com sólida formação em pesquisa e inovação. Atua na interseção entre o desenvolvimento de produtos com base em ciências e inovação para a saúde, e o marketing de conteúdo.

14 comentários em “Colágeno tipo 2 | Para o que serve e benefícios”

  1. COMO ESCOLHER ENTRE O COLAGENEO TIPO 2 HIDROLIZADO OU NÃO DESNATURADO?
    QUAIS AS VANTAGENS DE UM E OUTRO?
    TENHO PROBLEMAS NAS ARTICULAÇÕES DÃO ESTALOS AO DOBRAR PRINCIPALMENTE OS JOELHOS E TENHO ESCOLIOSE NA COLUNA LOMBAR, DORSAL E VERTICAL QUE EM DETERIMINADAS TAREFAS FICO POR VEZES SEM ME CONSEGUIR MEXER.
    OBRIGADO
    MÁRIO

    1. Oi Mario,

      A principal diferença entre colágeno hidrolisado e não hidrolisado (ou não desnaturado) é sua estrutura. O colágeno não hidrolisado representa a proteína em sua forma integral, enquanto o hidrolisado passou por um processo de quebra que facilita sua digestão e absorção.

      É válido lembrar que esse tipo de colágeno possui uma melhor absorção pelo corpo, porém, como dito acima, ele não possui uma especifidade, ou seja, não é direcionado para nenhuma parte específica do corpo, dirigindo-se para o local com maior necessidade.

      Para dores no joelho, sintoma muito comum, e que com o envelhecimento está associado à osteoartrite, o colágeno tipo 2 (não desnaturado) apresenta uma ação específica e age diretamente nas articulações e cartilagens.

      Se tiver mais dúvidas, ficamos à disposição 😊

    1. Oi Karina, tudo bem?

      O colágeno tipo 2 está presente em cartilagem, zonas cartilaginosas perto dos tendões e vértebras, exercendo função estrutural nesses tecidos que são essenciais para a execução dos movimentos.

      No entanto, o único que exerce os benefícios específicos para pele, cabelo e unhas são os peptídeos bioativos de colágeno hidrolisado tipo 1.

      Essa matéria prima é encontrada somente no colágeno Verisol. Por esse motivo, o Verisol é o melhor colágeno hidrolisado para a pele, cabelo e unhas. A matéria prima é produzida somente pela empresa alemã Gelita, então procure uma marca parceira ou com certificados da empresa.

      Segue página do Collagen Face – https://www.vhita.com.br/products/collagen-face?_pos=1&_sid=e9385587e&_ss=r

      Bjs 😘

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.