Home » Infertilidade feminina: principais causas e diagnóstico

Infertilidade feminina: principais causas e diagnóstico

Infertilidade feminia. Mulher deitada triste com teste de gravidez negativo
4 minutos de leitura

A infertilidade feminina é definida como a falta de sucesso em iniciar uma gestação após 12 meses de tentativas consecutivas. A infertilidade não é sinônimo de estéril, pois está diretamente ligada a uma duração específica, enquanto a esterilidade é um estado permanente.

Existem dois tipos de infertilidade, a primária e a secundária. A primária ocorre quando a mulher é diagnosticada com infertilidade e nunca engravidou. Enquanto na infertilidade secundária, a mulher já teve pelo menos uma gestação prévia.

É estimado que a infertilidade afeta cerca de 8 a 12% dos casais no mundo, sendo a infertilidade secundária o tipo mais comum. 

Principais causas de infertilidade feminina

1. Idade

Quando a mulher nasce, seu corpo já possui todos os óvulos que serão liberados ao longo da vida. Portanto, com o passar dos anos ocorre um declínio na taxa de fertilidade feminina, devido a diminuição dos estoques de óvulos.

Esse declínio se inicia entre os 25 a 30 anos, momento no qual o percentual de infertilidade entre mulheres varia de 4,5 a 7%. Aos 41 anos, a taxa chega aos 50%. Quando a mulher chega aos 50 anos, idade comum no início da menopausa, a taxa de infertilidade é considerada 100%.

2. Doenças do aparelho reprodutivo

O aparelho reprodutivo feminino engloba todos os órgãos envolvidos na reprodução. Algumas das principais causas de infertilidade entre mulheres são as doenças que acometem esses órgãos, dificultando ou impedindo o processo natural da concepção.

  • Insuficiência Ovariana Prematura: Fim dos ciclos menstruais, antes dos 40 anos e na presença de níveis estáveis de FSH, um dos hormônios envolvidos na regulação do ciclo menstrual.
  • Síndrome do ovário policístico: É a doença endócrina mais comum em mulheres, sendo diagnosticada na presença de dois dos três fatores: ciclo menstrual irregular por ovulação infrequente, características físicas específicas do ovário e aumento dos níveis de hormônios masculinos no corpo da mulher.
  • Endometriose: Caracterizado por uma inflamação patológica da pelve. Entre as mulheres em idade reprodutiva a prevalência é cerca de 6%, mas entre as mulheres diagnosticadas com infertilidade a prevalência chega até a 50%.
  • Miomas uterinos:Tumores benignos formados por tecido muscular. 
  • Pólipos endometriais: Projeções do endométrio para o interior da cavidade uterina. O seu efeito na infertilidade pode ser desfeito com a remoção cirúrgica.

3. Outras doenças

Existem diversas outras doenças relacionadas com a infertilidade feminina. Essas doenças afetam diretamente ou indiretamente o processo natural de concepção e gravidez.

  • Fibrose cística
  • Doença renal severa
  • Diabetes descontrolada
  • Doença celíaca descontrolada
  • Deficiência de vitamina D
  • Doenças autoimunes ativas
  • Hipotireoidismo subclínico
  • Síndrome metabólica
  • Hipertensão

4. Obesidade

A obesidade é uma das causas de infertilidade feminina, como também um dos fatores que aumenta os riscos e chances de problemas em uma gestação já estabelecida.

No caso da infertilidade feminina, a obesidade diminui as chances de ovulação e concepção espontânea.

5. Infeções

As duas doenças infecciosas que podem levar a um quadro de infertilidade são a clamídiase e a gnorréia. Ambas são doenças sexualmente transmissíveis, que podem causar inflamação pélvica, obstrução das trompas de falópio e dificuldade na implantação do embrião.

A caxumba também é uma doença infecciosa que quando não tratada corretamente tem como um dos seus desfechos a insuficiência ovariana precoce.

6. Estilo de vida

Alguns comportamentos do estilo de vida da mulher podem influenciar as taxas de fertilidade. Normalmente, essa interferência pode ser revertida com a pausa do comportamento e acompanhamento médico.

  • Restrição calórica severa
  • Exercício físico em excesso (problema que acomete atletas)
  • Estresse
  • Cigarro
  • Maconha
  • Álcool

7. Substâncias tóxicas

A exposição a substâncias tóxicas ao corpo humano conhecidas como desreguladores endócrinos pode leva a infertilidade feminina e masculina. Essas substâncias afetam a ação dos hormônios do nosso. Os principais exemplos são:

  • Bisfenol A: Amplamente utilizado na produção de plásticos e resinas.
  • Ftalatos: Utilizado para dar flexibilidade a materiais plásticos.
  • Agrotóxicos: Atrazina, bifenilos policlorados (PCBs) e DDT (diclorodifeniltricloroetano).

Quando é diagnosticada a infertilidade feminina?

A infertilidade feminina é diagnosticada quando após 1 ano de tentativas constantes de engravidar. Após esse diagnóstico estabelecido, o profissional de saúde que acompanha a mulher deve tentar descobrir a causa da infertilidade. 

Para 80% das mulheres, a gestação começa nos primeiros seis meses de tentativas. Porém, em 10% dos casos, pode demorar até 1 ano para se estabelecer uma gravidez de sucesso.

Somente 10% dos casais são considerados inférteis. Esse percentual engloba homens e mulheres, pois também existem causas de infertilidade masculina. Em metade desses casos, ainda existe a possibilidade de ocorrer uma gestação nos próximos 3 anos.

Então, somente 5% dos casais são definitivamente inférteis, com chances próximas a 0 de engravidar. Esse diagnóstico final só pode ser concluído após 4 anos de acompanhamento.

Quer saber mais?

Referências:

Vander Borght M, Wyns C. Fertility and infertility: Definition and epidemiology. Clin Biochem. 2018 Dec;62:2-10. 

Avalie este post

Graduanda em Nutrição pela Universidade de São Paulo (USP).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.