Vários estudos já comprovaram os benefícios do ômega 3 em nosso metabolismo, mas você sabia que em associação com a vitamina E, esses nutrientes podem ser ainda mais vantajosos para a saúde do nosso organismo? Confira agora a relação entre o ômega 3 e vitamina E!

Ômega 3

O ômega 3 é uma gordura poli-insaturada necessária para manutenção da saúde, ele é responsável por combater processos inflamatórios, prevenindo doenças circulatórias e do coração, alguns tipos de câncer, e melhora a comunicação entre as células do cérebro, desde a infância até terceira idade, além disso, pode auxiliar no tratamento de doenças crônicas como a diabetes mellitus tipo 2.

Nosso corpo não é capaz de produzir esse nutriente, portanto precisamos obtê-lo através de fontes alimentares. É possível encontrar o ômega 3 em peixes de águas geladas (salmão, anchova, arenque), crustáceos, algas e sementes como chia e linhaça. 

A Associação Americana do Coração (AHA-sigla em inglês), preconiza a ingestão de 1000-1500 mg por dia de ômega 3, é difícil alcançar essa recomendação apenas pela alimentação, por isso, o uso de suplementos de ômega 3 tem se tornado cada vez mais comum.

Vitamina E

A vitamina E, também conhecida como tocoferol, é um micronutriente solúvel em gordura com ação antioxidante no organismo, o que a torna responsável por combater os excessos de radicais livres, que podem ser prejudiciais à saúde. A recomendação de ingestão diária é de 15 a 1000 mg, sendo que esses 15g são fáceis de serem alcançados.

Os alimentos fontes de vitamina E estão muito presente na nossa alimentação, são eles: germe de trigo, óleo de girassol, óleo de cártamo, óleo de canola, azeite, óleo de palma, grãos de cereais integrais, nozes, frutas, legumes e carnes gordurosas. Mas, por se tratar de um nutriente que precisa da gordura para ser absorvido, em alguns casos a suplementação do nutriente é indicada.

Relação entre Ômega 3 e Vitamina E

A vitamina E é uma grande amiga do ômega 3, pois previne que ele se rompa por causa da ação dos radicais livres, facilitando o desempenho de suas funções. O ômega 3, por sua vez, é um tipo de gordura e, como dito acima, a vitamina E só é absorvida com o auxílio da gordura, portanto acontece uma relação de troca entre os nutrientes, por isso são considerados aliados.

A associação da vitamina E e do ômega 3 na suplementação foi exibida em vários estudos, apresentando uma melhora do efeito anti-inflamatório no organismo e no resultado do tratamento de pacientes em hemodiálise.

Em mulheres, essa relação também pode trazer muitos benefícios. Um estudo comprovou que a suplementação com 1000 mg de ômega 3 + 400 UI (267mg) de vitamina E por 12 semanas, diminui a inflamação em mulheres com ovário policístico

Além disso, outra pesquisa apresentou que a suplementação de 300 mg de ômega + 200 UI (120mg) de vitamina E pode aliviar a cólica e a saúde mental do período menstrual, podendo ser uma substituição ao uso de analgésicos e anti-inflamatórios, que possuem efeitos colaterais característicos.

Em indivíduos com diabetes mellitus tipo 2, que fazem uso contínuo de glimepirida e metformina, a vitamina E reduz o estresse oxidativo causado pelo excesso de açúcar no sangue, já o ômega 3 ajuda a melhorar o colesterol e a circulação sanguínea.  

Os resultados desta suplementação conjunta também foram estudados para o tratamento da infertilidade em mulheres e na prevenção do desenvolvimento de demência grave em pacientes diagnosticados com alzheimer, porém não foi visto evidências suficientes para apoiar o uso das substâncias nesses casos.