Existem tantas informações sobre ômega 3 por aí, que é muito fácil se confundir na hora de escolher o suplemento com a melhor qualidade e concentração de ômega 3. Confira neste post um passo a passo sobre como escolher um bom suplemento de ômega 3 e veja quais são as marcas mais recomendadas.

Passo a passo para escolher um bom suplemento de ômega 3

Ômega 3: como comprar

Como escolher ômega 3

Frequentemente suplementos de óleo de peixe são chamados de ômega 3, mas isso não significa que sua composição seja livre de outras gorduras. Dessa forma, para não consumir suplementos de baixa qualidade que podem ser prejudiciais a saúde a longo prazo, é importante estar atento à algumas informações em relação a concentração de ômega 3, número de cápsulas recomendada por porção, e a presença de um laudo técnico para comprovar a qualidade da matéria prima. Todas essas informações relevantes devem estar contidas no rótulo do suplemento. 

Confira no vídeo abaixo a nutricionista Priscila Gontijo explicando como fazer para escolher um bom ômega 3 e analisar os principais suplementos de Ômega 3 do mercado brasileiro – 2019

   

 

Passo a passo para escolher um bom suplemento de ômega 3

 

1º passo: Saiba diferenciar o ômega 3 no óleo de peixe

Suplementos de ômega 3 não são feitos 100% de ômega 3. Podem receber o nome comercial de “Ômega 3” todo suplemento feito a base de óleo de peixe que possui alguma concentração de ômega 3 em sua composição, mesmo que essa concentração seja pequena (em torno de 100mg) ou grande (mais de 1.000mg). Mas além do ômega 3, o óleo de peixe é composto por vários tipos de gorduras, como as saturadas e o colesterol.

Dica: Prefira produtos em que as quantidades de EPA e DHA (principais tipos de ômega 3) estejam descritas na informação nutricional do rótulo. Evite as marcas que colocam apenas a quantidade de óleo de peixe no rótulo.

 

2º passo: Veja qual é a concentração de Ômega 3 (EPA/DHA) no suplemento

Para você diferenciar a quantidade de ômega 3 das demais gorduras presentes no óleo de peixe, basta identificar a quantidade do EPA e DHA  (ácidos eicosapentaenoico e decosahexaenoico) na informação nutricional descrita no rótulo do suplemento, e somá-las. O resultado da soma você compara com o peso da cápsula. Exemplo: se a capsula oferece 1000mg de óleo de peixe, e a soma desses nutrientes for 600mg, o suplemento tem uma concentração de 60% de ômega 3.

ômega 3 marcas recomendadas - concentração

3º passo: Confira quantas cápsulas do produto você precisará tomar para atingir a porção diária de ômega 3 necessária para a saúde

O número de cápsulas indica o quanto você precisa consumir do suplemento para atingir a quantidade recomendada de ômega 3 na porção sugerida pela marca. O ideal é que a porção tenha no mínimo 1.000 mg de EPA e DHA, assim, quanto menor o número de cápsulas para atingir essa porção, melhor é a qualidade do óleo de peixe.

É interessante ficar bem atento a isso, porque é possível conseguir 1000 mg de ômega 3 em apenas 2 cápsulas. Algumas marcas caracterizam o produto como “ômega 3 concentrado”, dando a falsa impressão de ser um ótimo produto, mas quando você analisa o rótulo, a porção sugere o consumo de 4 cápsulas para atingir o recomendado.

Ou seja, ômega concentrado não é sinônimo de boa quantidade de ômega 3. Qualquer marca pode dizer que seu suplemento de óleo de peixe é concentrado em alguma quantidade de ômega 3 desde que obedeça as proporções descritos pela Anvisa. Sempre analise o rótulo, e compreenda a concentração e número de cápsula.

ômega 3 marcas recomendadas - número de cápsulas

4º passo: Veja se o ômega 3 tem Certificação Internacional de qualidade e livre contaminação por metais pesados

Todas as marcas de suplementos de ômega 3 de qualidade disponibilizam os laudos técnicos do produto para o cliente. O laudo técnico certifica a veracidade da concentração e comprova que o produto é livre de contaminação de metais pesados. Se o laudo não estiver presente no site da marca, o cliente pode solicitar ao lojista e/ou ao fabricante.

Além do laudo técnico da matéria prima utilizada, existem selos de qualidade internacional que como a IFOS e a Intertek, ambos atestam a segurança e qualidade de suplementos a base de óleo de peixe. Essa certificações avaliam a presença de contaminantes químicos, mercúrio, metais pesados, bactérias e vírus que podem ser nocivos à saúde.

A presença desse certificado, é uma garantia que reforça que o produto consumido não é contaminado. Além disso, os óleos que têm as certificações são mais concentrados em EPA e DHA e a matéria prima utilizada de maneira sustentável, sendo que o óleo utilizado para a fabricação dos suplementos são de empresas de pesca regulamentadas, e não de peixes capturados e criados em cativeiro.

ômega 3 certificado de pureza.

5º passo: Verifique a presença de Vitamina E no Ômega 3

A vitamina E, também conhecida como tocoferol, é um micronutriente solúvel em gordura com ação antioxidante, ou seja, é responsável por combater espécies reativas de oxigênio, os famosos radicais livres.

Os óleos como ômega 3, possuem uma estrutura química bem sensível e se rompem facilmente pela ação de radicais livres.

Por este motivo, bons suplementos de ômega 3 possuem a vitamina E adicionada em sua composição para evitar que o óleo seja degradado com facilidade, conferindo maior qualidade ao suplemento.

6º passo: Observe a embalagem do produto

Um detalhe bem importante, e muitas vezes as pessoas não sabem, é que embalagens transparentes podem prejudicar a qualidade dos suplementos, tornando-os prejudiciais a saúde. As gorduras possuem uma estrutura química que se quebra ao contato com a luz, e o resultado dessa quebra são substâncias que prejudicam a integridades das células e possuem potencial cancerígeno.

Dica: Como as cápsulas já são transparentes, os produtos devem ser embalados em potes escuros ou opacos, para impedir o contato da luz.

7º passo: Prefira produtos com ômega 3 em formato TG

Estudos apontam o consumo do ômega 3 no formato TG como mais eficiente. Os suplementos de ômega 3 podem conter o nutriente em diferentes composições. As mais conhecidas são etil éster (EE) e triglicerídeos reesterificados (TG). 

Tanto o ômega 3 EE quanto o TG, conseguem oferecer até 60% de ômega 3 na cápsula de óleo de peixe. No entanto, o ômega 3 TG oferece 72% de biodisponibilidade de ômega 3 para o metabolismo humano,  30% a mais quando comparado ao ômega 3 EE. 

Ômega 3 tg.

8º passo: Analise a relação do preço com a qualidade

Os preços de suplementos de ômega 3 disponíveis no mercado variam muito de acordo com a concentração e qualidade do óleo de peixe utilizado no produto.

Para  um mês de uso, os preços dos ômegas com concentrações mais baixas variam entre 60 a 50 reais, para concentrações mais altas os valores podem variar entre 95 a 110 reais.

A variação dos preços encontrados, principalmente, entre os produtos de média a alta concentração, são proporcionais a qualidade da matéria prima utilizada por cada marca.

Existem algumas proporções de concentrações de EPA/DHA pré-estabelecidas para a comercialização de ômega 3. As mais utilizadas são 18/12, 33/22 e  36/24.

Essa proporção significa que em 1 cápsula de 1000 mg de óleo de peixe é preciso ter 180mg de EPA para 120mg de DHA no caso do 18/12, ou 330mg de EPA para 220mg de DHA no 33/22, e por aí vai.

Entendendo isso, é possível afirmar que a melhor proporção de EPA e DHA disponíveis em suplementos de ômega 3 é a 36/24 (Em 1 cápsula de 1000 mg tem 360 mg de EPA e 240 mg de DHA) como no caso do Ômega 3 Vhita.

ômega preco.

Atualmente, existem apenas 2 marcas nacionais que oferecem suplementos com a concentração na proporção 36/24 de ômega 3, e o preço entre eles variam entre 60 a 90 reais para 1 mês de uso. Pensando em custo-benefício, essas marcas oferecem os melhores suplementos de ômega 3, porque possuem maior concentração e o mesmo valor de suplementos com concentrações mais baixas. Existem suplementos de concentração intermediária que chegam até a custar mais que esses suplementos de alta concentração.

A Sociedade Americana do Coração (AHA – sigla em inglês) orienta que os profissionais da saúde recomendem valores entre 500 mg a 4000 mg de ômega 3 por dia, a depender do estado de saúde do paciente.

Associando essa recomendação com o levantamento dos principais estudos científicos já publicados, na prática clínica geralmente os profissionais recomendam cerca de 1000-1500 mg de ômega 3 ao dia.

É quase impossível encontrar um suplemento de ômega 3 que forneça essa quantidade de ômega em 1 cápsula. As melhores marcas conseguem oferecer essa quantidade em 2 cápsulas, porque 1000mg da cápsula de óleo de peixe pode conter em torno de 600mg de ômega 3. Pensando então em uma cápsula que fornece 600mg de ômega 3, você precisaria consumir 2 cápsulas de 1000mg de óleo de peixe para atingir 1200 mg de ômega 3.

Ômega 3: como comprar

Óleo de peixe não é sinônimo de ômega 3. A maioria dos produtos são chamados de ômega 3 porém são compostos de outros tipos de gordura. Por isso, o melhor suplemento é aquele com alta concentração de EPA e DHA, em menor número de cápsulas por porção, presença de vitamina E e lado técnico para comprovar a segurança e certificação internacional para comprovar a qualidade.

Agora ficou fácil escolher um bom suplemento de ômega 3. Quer mais um bom motivo? Clique aqui e receba um desconto especial para experimentar m ômega 3 de altíssima qualidade, e assim, oferecer os melhores benefícios para o seu organismo.