Muitos que buscam a suplementação de Ômega 3 buscam também pela suplementação de vitamina D, e se deparam com a dúvida, será que o Ômega 3 tem vitamina D?

Já vamos te adiantar que não há um suplemento que tenha a gordura e a vitamina em sua formulação. Mas, também vamos te adiantar que vale a pena comprar esses dois produtos para suplementar e obter seus benefícios! 

Veja no decorrer do texto a relação do Ômega 3 com a vitamina D, de acordo com os especialistas da área seus benefícios e como utilizar!

Mas calma, você está com dúvida se pode ter benefícios com a suplementação de Ômega 3?

Ômega 3 e vitamina D

A vitamina D suplementada em conjunto com o Ômega 3 vem sendo estudada com relação ao transtorno do espectro do autismo, controle da glicemia na diabetes gestacional, patologias psiquiátricas como esquizofrenia, bipolaridade e comportamento impulsivo além de também avaliar o efeito desses suplementos em conjunto para o tratamento da depressão presente em qualquer uma das doenças citadas.

Para saber mais sobre o ômega 3 em particular, veja o vídeo de uma especialista, mestre em ciências e nutricionista, Dra. Priscila Gontijo

Ômega 3 e vitamina D no transtorno do espectro do autismo

Esse tipo de transtorno neurodegenerativo se caracteriza pelo desenvolvimento incomum de habilidades cognitivas, sociais e comunicativas.

Há algum tempo a suplementação de Ômega 3 já é indicada como terapia completar para aqueles com o transtorno. Já que apresentam baixas concentrações de Ômega 3 e por essa gordura ser uma importante aliada na manutenção da saúde cerebral.

E, para esse mesmo público a defiência de vitamina D também é comum, portanto a recomendação da suplementação de vitamina D e exposição solar para a sua ativação estão se tornando comum. 

Os mecanismos que interferem nesses resultados positivos ainda não estão bem esclarecidos pelos cientístas porém o que se observou recentemente em um estudo publicado em 2018, sobre a suplementação de Ômega 3 e vitamina D foi que em um paciente com transtorno do espectro do autismo após um acompanhamento de 2 anos, com a suplementação de ambos, obteve melhores resultados para a movimentação e a comunicação verbal.

Mas esses resultados ainda se encontram em fase inicial de estudos, necessitando de mais estudos na área para afirmar se os resultados positivos encontrados são realmente replicados para as pessoas com transtorno do apecto do autismo. Mas já é um resultado animador!

Ômega 3 e vitamina D na diabetes gestacional

Um estudo científico publicado em 2017 avaliou o efeito da suplementação de ômega 3 mais vitamina D por duas semanas, em 140 pacientes com diabete gestacional ajudou a reduzir a glicemia de jejum, e redução de triglicérides, e melhora do colestorel (LDL).

Ômega 3 e vitamina D nos transtornos psiquiátricos

Assim como para o Ômega 3 a deficiência  de vitamina D é comum na população, e ambas estão relacionadas com a produção de um neurotransmissor chamado serotonina, que segundo estudo publicado na revista da Federação Americana de Biologia Experimental essa relação ajuda na melhora de disturbios de humor, provocando uma melhor sensação de bem estar, diminuindo quadros de ansiedade e sintomas de depressão. 

Ômega 3 e vitamina D: recomendações pela alimentação 

A vitamina D é encontrada em diversos alimentos, como: ovos, leite, queijo, carnes e peixes de água salgada. Mas, deve ser levado em consideração que para a ativação da vitamina D no organismo é necessário a exposição aos raios solares para iniciar o metabolismo dessa vitamina no organismo, então aquela recomendação de 15min ao sol por dia pelo menos, deve ser seguida, pois se não, você irá estocar vitamina D sem ser ativada e portanto, podendo provocar a deficiência dessa vitamina.

O Ômega 3 para muitas pessoas é difícil de adequar apenas com a alimentação já que moram em regiões afastadas da zona costeira, dificultando o consumo de frutos do mar ricos em Ômega 3, e pelo preço elevado desses alimentos.

Ômega 3 e vitamina D: recomendações de suplementação

A recomendação de vitamina D varia, pois são necessários exames bioquímicos para a adequada recomendação. Porém, há um intervalo de segurança para cada faixa etária de uma população saudável disponibilizado pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia que varia de 400 a 2000UI.

As recomendações de Ômega 3 de acordo com a literatura analisada variaram tanto para crianças quanto adultos em torno de 1200mg de EPA+DHA. E tão importante quanto a concentração de EPA e DHA no produto, é a qualidade desse produto.

O modo como ele é apresentado, armazenado, e certificado de qualidade são fundamentais para a eficácia e segurança do produto.

Lembrando que para qualquer suplementação, é necessário a avaliação de um profissional da saúde para adequar a recomendação geral a sua necessidade 🙂  

Ou seja, a suplementação de Ômega 3 com vitamina D potencializa os resultados já esperados para a suplementação de cada um, podendo ser uma importante estratégia para a promoção da saúde em indivíduos saudáveis, prevenindo a deficiência de ambos e para o controle de agravos na saúde de indivíduos com transtorno do espectro do autismo, doenças psiquiátricas e gestantes com diabetes gestacional.  

Quer saber mais?

Que tal um desconto especial para experimentar um ômega 3 de altíssima qualidade?

Referências:

INFANTE, Marco et al. Omega-3 PUFAs and vitamin D co-supplementation as a safe-effective therapeutic approach for core symptoms of autism spectrum disorder: case report and literature review. Nutritional neuroscience, p. 1-12, 2018.

TAGHIZADEH, Mohsen et al. A randomized-controlled clinical trial investigating the effect of omega-3 fatty acids and vitamin E co-supplementation on markers of insulin metabolism and lipid profiles in gestational diabetes. Journal of clinical lipidology, v. 10, n. 2, p. 386-393, 2016.

PATRICK, Rhonda P.; AMES, Bruce N. Vitamin D and the omega-3 fatty acids control serotonin synthesis and action, part 2: relevance for ADHD, bipolar disorder, schizophrenia, and impulsive behavior. The FASEB Journal, v. 29, n. 6, p. 2207-2222, 2015.

MAEDA, Sergio Setsuo et al. Recomendações da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) para o diagnóstico e tratamento da hipovitaminose DArq Bras Endocrinol Metab, v. 58, n. 5, p. 411-33, 2014.