Pular para o conteúdo
Home » Todos os posts » 4 dicas para escolher a melhor marca de Colágeno Tipo 2

4 dicas para escolher a melhor marca de Colágeno Tipo 2

Mulher adulta se alongando na praia
4 minutos de leitura

O colágeno tipo 2 é um suplemento que oferece diversos benefícios na prevenção e tratamento de doenças relacionadas às articulações e cartilagens. Porém, com tantas opções no mercado, como escolher a melhor marca?

Separamos 4 dicas para facilitar sua escolha da melhor marca de colágeno tipo 2, permitindo que inicie a suplementação em busca dos benefícios para a saúde e qualidade de vida.

1ª dica: Certifique-se que a marca oferece colágeno tipo 2

Existem diferentes tipos de colágeno em nosso corpo, cada um com uma função e atuando em um local específico. Por isso também existem suplementos com diferentes tipos de colágeno.

Portanto, o primeiro passo para escolher a melhor marca de colágeno tipo 2 é se certificar de que o produto realmente oferece essa matéria-prima. A informação deve estar descrita no rótulo.

Conheça o suplemento de colágeno da Vhita!

2ª dica: Entenda a diferença do colágeno hidrolisado, peptídeos bioativos e não desnaturado

O colágeno é uma proteína. Quando ingerimos qualquer tipo de proteína, ela passa pelo processo de digestão, sendo quebrada em pedaços menores como peptídeos e aminoácidos.

No entanto, essa quebra leva a perda de função do colágeno. No corpo ele será utilizado em qualquer processo necessário, ao invés de atuar em um tecido específico.

Portanto, a matéria prima do seu suplemento de escolha deve apresentar características que evitem essa perda de função, para que os benefícios do consumo de colágeno tipo 2 sejam obtidos.

  • Colágeno hidrolisado: O colágeno hidrolisado é uma modificação da proteína original para melhor absorção no organismo. Porém, não consegue promover benefícios específicos pois ainda sofre alterações durante a digestão.
  • Peptídeos bioativos de colágeno hidrolisado: Proteína de colágeno em sua menor forma. Não sofre alterações pelo processo de digestão e consegue atuar em tecidos específicos.
  • Colágeno não desnaturado: Passa por processos químicos que permitem que mantenha sua estrutura e especificidade, sem sofrer alterações no processo de digestão. O fato dela não ser desnaturada aumenta a afinidade entre o suplemento e a cartilagem. 

Na hora de escolher a melhor marca de colágeno tipo 2, procure uma marca que ofereça o colágeno tipo 2 não desnaturado ou peptídeos bioativos de colágeno tipo 2.

3ª dica: Escolha o produto com a dose certa

Já sabemos da importância de escolher o tipo certo de colágeno e a matéria-prima mais adequada. Além disso, a quantidade de colágeno tipo 2 ofertada em cada porção diária também deve seguir uma dose ideal.

Para cada benefício desejado com a suplementação de colágeno, existem um tempo  e dose que devem ser seguidos para atingir esse objetivo. Essa informação é encontrada através de estudos científicos .

No caso do colágeno tipo 2, a dose diária para promover benefícios às cartilagens e articulações é de 40mg, com consumo durante 12 semanas. Portanto, certifique-se que o suplemento oferece no mínimo essa dose em cada porção.

4ª dica: Prefira produtos que também sejam fontes de proteína

As melhores marcas de colágeno tipo 2 também são boas fontes de proteína. Isso pode ser alcançado oferecendo uma mistura de colágenos no produto, como colágeno tipo 2 não desnaturado com peptídeos bioativos de colágeno hidrolisado tipo 1.

Aumentar a quantidade de proteínas na dieta é extremamente vantajoso para quem busca a  melhora da saúde das articulações e cartilagens. Afinal as proteínas são a base para a construção dos músculos. 

Uma maior massa muscular pode incrementar os efeitos de melhora da movimentação e qualidade de vida que o uso de colágeno tipo 2  já proporciona.

Quer saber mais?

Referências:

EFSA PANEL ON DIETETIC PRODUCTS, NUTRITION AND ALLERGIES (NDA). Scientific Opinion on the substantiation of a health claim related to VeriSol® P and a change in skin elasticity leading to an improvement in skin function pursuant to Article 13 (5) of Regulation (EC) No 1924/2006. EFSA Journal, v. 11, n. 6, p. 3257, 2013.

ZDZIEBLIK, Denise et al. Improvement of activity-related knee joint discomfort following supplementation of specific collagen peptides. Applied Physiology, Nutrition, and Metabolism, v. 42, n. 6, p. 588-595, 2017.

LIAO, Chun-De et al. Effects of protein supplementation combined with resistance exercise on body composition and physical function in older adults: a systematic review and meta-analysis. The American journal of clinical nutrition, v. 106, n. 4, p. 1078-1091, 2017.

3.3/5 - (41 voto(s))
Priscila Gontijo Correa

Nutricionista e Mestre em Ciências pela UNIFESP.

Experiência acadêmica em pesquisa científica. Atua como professora convidada em cursos de graduação e pós graduação na área da saúde.

Profissional com sólida formação em pesquisa e inovação. Atua na interseção entre o desenvolvimento de produtos com base em ciências e inovação para a saúde, e o marketing de conteúdo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × cinco =


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.