Pular para o conteúdo
Home » Todos os posts » Magnésio para ansiedade: quais os benefícios e como usar

Magnésio para ansiedade: quais os benefícios e como usar

mulher com ansiedade
6 minutos de leitura

O magnésio está presente em quase todos os processos metabólicos do corpo humano. Sendo o 4º elemento mais abundante em nosso organismo.

Isso se dá porque ele é um poderoso indutor e precursor de diversas reações bioquímicas e metabólicas que ocorrem para manter as funções vitais do corpo.

A nível neurológico, o magnésio atua na condução neuromuscular e nas transmissões nervosas. Além disso, ele também desempenha um papel importante para evitar a excitação excessiva dos neurônios, o que pode gerar o falecimento dessas células.

Por essa razão, o magnésio é um mineral poderoso na prevenção e tratamento das doenças neurológicas. Visto que ele exerce um papel protetor nesses distúrbios.

Quanto à ansiedade, alguns estudos têm demonstrado que os baixos níveis de magnésio no organismo são uma das principais causas para o desenvolvimento da ansiedade. Além de ser um grande fator para a piora dos sintomas em pessoas predispostas à doença. 

O magnésio atua como um antidepressivo?

De todos os micronutrientes, o magnésio é um dos que mais desempenham funções na região cerebral e na manutenção do humor.

Desse modo, a sua presença é importante para que as células do sistema nervoso consigam se comunicar adequadamente.

Por outro lado, se este mineral estiver deficiente no corpo, as conexões nervosas podem ser prejudicadas. O que pode levar à depressão e ansiedade.

Nos dias atuais, tem se observado que as deficiências multivitamínicas estão crescendo. Dentre elas, uma das que mais se destacam é a carência de magnésio. O que está pode estar associado às maiores incidências de distúrbios neurológicos.

À vista disso, diversos cientistas já acreditam que o magnésio pode desempenhar um efeito protetor na depressão, assim como na ansiedade. Podendo ser um grande aliado na prevenção e tratamento dessas doenças.

Três embalagens de suplemento de cloreto de magnésio

Como o magnésio age na ansiedade e depressão?

Apesar de ter sintomas distintos, a ansiedade e depressão funcionam quase da mesma maneira. Isso se dá porque ambos os distúrbios estão associados a desregulação do eixo HPA.

De forma resumida, o eixo HPA é o responsável por conectar 3 regiões importantes do cérebro: adrenal, pituitária e hipotálamo. Neste eixo, há a presença do cortisol e serotonina, substâncias que estão relacionadas com o estresse e bem-estar, respectivamente.

Com isso, o papel do magnésio é conduzir o fluxo de comunicação entre essas regiões no eixo HPA. Isso porque, ele modula a síntese de hormônios que agem nessa extensão.

Em outras palavras, isso significa que o magnésio é fundamental para manter a homeostase e a fluidez do eixo HPA. Sendo também crucial para preservar a atuação adequada do cortisol e serotonina.

Quando utilizar a suplementação de magnésio para ansiedade?

O magnésio é um mineral encontrado naturalmente nos alimentos, como semente de abóbora, castanha do Pará, castanha de caju, vegetais verde escuros (couve, espinafre e salsinha), nozes, quinoa e feijão.

No entanto, quando a ingestão alimentar está insuficiente ou há deficiência de magnésio no organismo, a suplementação se faz necessária.

Além disso, o suplemento de magnésio também pode ser um excelente coadjuvante no tratamento da ansiedade, depressão e nos demais distúrbios metabólicos. Havendo a necessidade de consultar um médico para utilizar o composto de forma adequada.

Qual é o melhor magnésio para ansiedade?

Atualmente, há diversos tipos de suplementos disponíveis no mercado. No entanto, o melhor magnésio são os quelatos, como o magnésio dimalato e magnésio bisglicinato.

Isso porque, eles possuem uma alta biodisponibilidade, o que garante que o magnésio chegará na corrente sanguínea em doses adequadas. Evitando, então, grandes perdas durante o processo digestivo.

Afinal, pode substituir o magnésio pelos ansiolíticos e antidepressivos?

Apesar do magnésio ser um mineral com importante função na ansiedade e depressão, ele não pode ser um substituto para os ansiolíticos e antidepressivos. Uma vez que tais medicamentos podem exercer papéis diferentes.

Neste âmbito, o magnésio pode ser um grande aliado no tratamento das doenças neurológicas. Sendo necessário recomendação médica para que o uso esteja de acordo com a individualidade do paciente.

homem com ansiedade

Outras dicas para controlar a ansiedade

A ansiedade é um distúrbio multifatorial que exige um tratamento completo para o seu manejo. Todavia, há alguns cuidados que podem ser tomados para controlar os sintomas, como:

Evite bebidas estimulantes

Café, refrigerante de cola e alguns chás (como chá verde e chá preto) são ricos em cafeína, substância que pode piorar ainda mais os sintomas da ansiedade. Por isso, o ideal é trocá-los por bebidas calmantes, como chá de camomila, mulungu e maracujá.

Pratique exercício físico regularmente

A prática regular de exercícios físicos é de suma importância para o controle da ansiedade, pois eles ajudam no relaxamento e favorecem a batimentos cardíacos mais tênues.

Encontre uma atividade prazerosa

Encontrar atividades prazerosas para fazer nos momentos de lazer também são super bem-vindos no tratamento da ansiedade.

Isso se dá porque essas tarefas trazem relaxamento e alívio do estresse. Com isso, você pode incluir atividades como:

  • artesanato;
  • dança;
  • andar de bike;
  • ouvir música;
  • assistir filmes e/ou séries;
  • ler um livro;
  • atividades ao ar livre;
  • entre outras.

Evite bebidas alcoólicas

Embora as bebidas alcoólicas estimulem um relaxamento momentâneo, o uso para controlar a ansiedade pode gerar vício.

Além disso, pelo fato dos efeitos do álcool serem temporários, não demora muito para os sintomas da ansiedade aparecerem novamente. Tornando-se, então, um ciclo viciante e patológico.

Inclusive, os sintomas podem vir em níveis ainda maiores. O que pode dificultar até mesmo os efeitos do tratamento ansiolítico. E o mesmo acontece com o tabaco ou outras drogas, como a maconha.

Quer saber mais?

Referências

ANDRADE, E. A. F. et al. L-Triptofano, ômega 3, magnésio e vitaminas do complexo B na diminuição dos sintomas de ansiedade. Revista Multidisciplinar e de Psicologia. v. 12, n. 40, 2018.

GROBER, U.; SCHMIDT, J.; KISTERS, K. Magnesium in Prevention and Therapy. Nutrients. v. 7, p. 8199-8226, 2015.

SEVERO, J. S. et al. Aspectos Metabólicos e Nutricionais do Magnésio. Nutrición Clínica Y Dietética Hospitalaria. v. 35, n. 2, p. 67-74, 2015.

Avalie este post

Nutricionista pela Universidade de São Paulo (USP).

Experiência acadêmica em pesquisa científica, trabalhando com projeto sobre tratamento de epilepsia com dieta cetogênica. Atuação em educação alimentar, desenvolvendo curso de capacitação para professores da rede pública sobre nutrição.

Trabalha com marketing de conteúdo, com foco na divulgação de informação de qualidade baseada em ciência sobre alimentação e suplementação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 − dez =


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.