A osteoartrite, também conhecida como artrose, é uma doença causada por muitos fatores, resultando no  desgaste das regiões de cartilagens e articulações com o passar dos anos. Porém, não é sinônimo de envelhecimento, ela pode se desenvolver em qualquer fase da vida.

Como, por exemplo, em praticantes de atividades físicas de alto impacto, indivíduos com sobrepeso, obesidade e por predisposição  genética. Além de também acontecer pela perda de colágeno tipo 2 que ocorre naturalmente e progressivamente com o passar dos anos.

Saiba aqui como se desenvolve a artrose e quais são os principais tratamentos para essa doença. E também como o colágeno tipo 2 pode auxiliar em seu tratamento.

Como se desenvolve a artrose?

A artrose, é uma doença que está relacionada a lesão degenerativa da cartilagem articular. A região articular do corpo, é responsável por ligar os ossos e permitir os movimentos.

E a principal função das articulações é evitar o atrito de um osso contra o outro. Além de amortecer o impacto produzido pelo movimento ou pelo esforço. 

Portanto, as articulações servem como um facilitador do movimento, evitando “movimentos robotizados”, fornecendo lubrificação para realização de movimentos naturais.

Entretanto com o passar dos anos, vamos perdendo naturalmente essa lubrificação e, nesse momento podemos desenvolver a artrose.

O seu principal sintoma é a dor nas regiões das articulações. Atualmente é considerada uma das causas mais frequentes de incapacidade para o trabalho no Brasil e no mundo.

Cerca de 10% dos homens e 18% das mulheres com idade superior a 60 anos possuem artrose. Provavelmente, esses números sejam ainda maiores atualmente. Visto que esses dados são de 2010 e de lá pra cá nenhum tipo de intervenção em massa foi realizada para prevenção.

Quais os tratamentos disponíveis para artrose?

Em 2002 pesquisadores e médicos das principais universidades do país publicaram um consenso, ainda utilizado, com os principais tratamentos.

 Segundo o consenso brasileiro para o tratamento de osteoartrite/artrose, são 3 os tipos de tratamento disponíveis:

  • Tratamento não farmacológico
  • Tratamento farmacológico
  • Intervenção cirúrgica

A indicação do tipo de tratamento vai depender do estágio da doenças em que a pessoa se encontra. E, um tratamento não exclui o outro, cada caso é um caso. Veja resumidamente como funciona cada um dos tratamentos recomendados para a artrose:

TRATAMENTO NÃO FARMACOLÓGICO

O tratamento não farmacológico envolve condutas multidisciplinares. Como por exemplo alguns programas educativos, exercícios terapêuticos, e mais recentemente, a utilização de alguns nutrientes para auxiliar também na diminuição das dores da região.

Esse tipo de tratamento é o principal cuidado  para prevenir o desenvolvimento da doença e das dores. Os programas educativos, apresentam esclarecimentos sobre a doença, práticas de atividades esportivas com orientação de profissionais habilitados.

Além de orientações quanto a postura adequada e movimentos que a longo prazo não resulte em nenhum tipo de desconforto e dor no trabalho doméstico e também no ambiente profissional. 

Pois são os movimentos do dia a dia que podem acelerar o processo de desgaste das articulações.

Exercícios de fortalecimento do músculo da coxa, chamados de quadríceps, são recomendados para evitar dores no joelho. Mas também exercícios para condicionamento físico e flexibilidade podem auxiliar na melhora das dores. 

Porém, qualquer tipo de exercício deve ser prescritos por profissional habilitado, é fundamental o trabalho individualizado, avaliando você e suas queixas.

Alguns equipamentos podem ajudar também, como palmilhas especiais e elásticos específicos. Entretanto, novamente, para utilização correta desses equipamentos, o ideal é a recomendação de um fisioterapeuta.

COLÁGENO TIPO 2 PARA TRATAMENTO DA ARTROSE

Um dos tratamentos que não envolve o uso de medicamentos que está ganhando destaque, é o colágeno tipo 2.

Esse destaque se deve principalmente pelas recentes pesquisas envolvendo a a suplementação com colágeno na melhora da dor articular de pacientes com artrose.

 O colágeno tipo 2 é um dos principais componentes da matriz extracelular da região das articulações. Já se sabe que quando tomamos o colágeno tipo 2, eles direcionam a produção de proteínas  para a região das cartilagens e articulações. 

Estudos em células encontraram esses resultados sem demonstrar efeitos prejudiciais a saúde (citotoxicidade). Dando suporte a afirmação de que o colágeno vai atuar nas células das cartilagens e articulações (condrócitos principalmente).

E quando o colágeno foi testado em  animais com artrose, observaram melhora da estrutura das cartilagens através do estímulo de produção de outros componentes do tecido cartilaginoso. E ainda tiveram um aumento considerável da força muscular após a suplementação.

O efeito da suplementação com colágeno também já foi visto em  humanos, e continuou se mostrando promissor. 

Um tipo de tratamento comum no qual vamos abordar nos próximos tópicos é a utilização de alguns medicamentos como a glucosamina e condroitina.

Testes preliminares demonstraram que o consumo de suplementos de colágeno tipo 2 podem ser uma alternativa eficaz para o tratamento de problemas osteoarticulares, principalmente para a artrose dos joelhos. 

Além de ter sido associado com efeito analgésico e anti-inflamatório, diminuindo as dores. Portanto o colágeno tipo 2 é uma recomendação segura para prevenção e tratamento da artrose.

É considerado uma das alternativas nutricionais mais impactantes na melhora das cartilagens e articulações.

Para obter seus benefícios, é recomendado que o suplemento possua 40mg de colágeno tipo 2 e 10 g de colágeno tipo 1 adicionado em sua composição. 

O alerta fica apenas para qualquer aditivo associado a composição do suplemento, pois a longo prazo podem ser prejudiciais a saúde.

TRATAMENTO FARMACOLÓGICO

Ainda de acordo com o consenso, o tratamento com medicamentos não é suficiente para o controle ideal da artrose.

Alguns analgésicos e anti-inflamatórios são recomendados em quadros de dor intensa, como o paracetamol e dipirona, anti-inflamatórios não hormonais para quadros de dores mais acentuadas. 

Porém, em alguns casos são recomendados inibidores específicos de COX-2 que se trata de uma enzima de sinalização da inflamação para amenizar a percepção de dor.

E também é recomendado outras drogas com ação prolongada na melhora da dor. Como por exemplo o sulfato de glucosamina e diacerína, como mencionado anteriormente no tópico do colágeno tipo 2.

Mas ainda há a utilização de medicamentos através de injeções. Porém são recomendadas apenas em situações inflamatórias bem evidentes como na osteoartrite do joelho graus II e III.

Lembrando sempre que nenhuma das recomendações e especificações referente a utilização de medicamentos descrito nesse texto deve ser utilizado sem o acompanhamento profissional de um médico, para adequada prescrição.

O uso de medicamentos sem acompanhamento médico pode ser um risco a saúde.

TRATAMENTO CIRÚRGICO

O último recurso recomendado é o cirúrgico, para casos mais graves da doença.

Pessoas com comprometimento dos afazeres diários, impactando diretamente na qualidade de vida, devido à gravidade da doença, a cirurgia pode ser recomendada.

As principais cirurgias para a artrite, são: osteotomias, desbridamentos artroscópicos e artroplastias.  

O QUE FAZER PARA TRATAR A ARTROSE?

O objetivo da equipe multidisciplinar é sempre focar na prevenção, para evitar o agravo do desgaste das cartilagens e prevenir as dores que impactam diretamente na qualidade de vida.

Portanto, a realização de exercícios e uma alimentação equilibrada, com quantidade adequadas de proteínas, seja por alimentos ou suplementos alimentares como o colágeno tipo 2, são fundamentais para prevenção e até mesmo para o tratamento das dores.

Mas, o fundamental é o acompanhamento multiprofissional com médico, nutricionista, fisioterapeuta e educador físico para auxiliar na prevenção e tratamento da artrite e promover mais qualidade de vida livre de dores.

Quer saber mais?

Que tal um desconto especial para experimentar um suplemento de colágeno de altíssima qualidade específico para as articulações e cartilagens?

Referências:

COIMBRA, Ibsen Bellini et al. Consenso brasileiro para o tratamento da osteoartrite (artrose). Rev Bras Reumatol, v. 42, n. 6, p. 371-4, 2002.

BELLO, Alfonso E.; OESSER, Steffen. Collagen hydrolysate for the treatment of osteoarthritis and other joint disorders: a review of the literature. Current medical research and opinion, v. 22, n. 11, p. 2221-2232, 2006.

VILAR, José M. et al. Serum collagen Type II cleavage epitope and serum hyaluronic acid as biomarkers for treatment monitoring of dogs with hip osteoarthritis. PloS one, v. 11, n. 2, p. e0149472, 2016.

PORFÍRIO, Elisângela; FANARO, Gustavo Bernardes. Suplementação com colágeno como terapia complementar na prevenção e tratamento de osteoporose e osteoartrite: uma revisão sistemática. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, v. 19, n. 1, p.

CROWLEY, David C. et al. Safety and efficacy of undenatured type II collagen in the treatment of osteoarthritis of the knee: a clinical trial. International journal of medical sciences, v. 6, n. 6, p. 312, 2009.153-164, 2016.