Pular para o conteúdo
Home » Todos os posts » Ovolactovegetarianismo: o que é, benefícios e como se tornar

Ovolactovegetarianismo: o que é, benefícios e como se tornar

Mulher jovem preparando uma refeição vegetariana
6 minutos de leitura

O ovolactovegetarianismo é um tipo de dieta na qual o indivíduo deixa de consumir qualquer tipo de carne, seja ela bovina, suína, de peixe, de frango ou frutos do mar.

À vista disso, a dieta é composta em sua maioria por alimentos de origem vegetal, sendo tolerado, de origem animal, apenas ovos, leites e os seus derivados.

Como os ovolactovegetarianos não consomem nenhum tipo de carne, existem alguns nutrientes que devem ter uma maior atenção nessa dieta, como o ômega-3, ferro e zinco.

Isso porque, esses nutrientes estão presentes em maior quantidade nas carnes, além de possuírem uma melhor absorção no intestino quando vindos dos alimentos de origem animal.

Quais são os benefícios do ovolactovegetarianismo?

Quando o ovolactovegetarianismo é incluído em uma alimentação equilibrada e saudável, ele traz diversos benefícios à saúde, tal qual:

  • prevenção ao câncer, sobretudo da próstata, mama, gastrointestinal e colorretal;
  • efeito positivo na prevenção e tratamento de doenças crônicas, como diabetes, hipertensão arterial, obesidade, doenças cardíacas e doenças da vesícula biliar;
  • favorece a manutenção do peso adequado e a perda de peso.

Como se tornar ovolactovegetariano?

Para muitas pessoas, a transição para o vegetarianismo estrito, quando não se consome nada de origem animal, não é tão simples.

Por isso, o ovolactovegetarianismo costuma ser a porta de entrada para esse estilo de vida, uma vez que ele permite o consumo de ovos, leites e os seus derivados.

Sendo assim, o ideal é dar um passo de cada vez para que a nova rotina alimentar adentre gradativamente em seu dia a dia, o que será mais fácil de manter ao longo do tempo. Confira abaixo as melhores maneiras de se tornar ovolactovegetariano!

Mulher idosa se consultando com um nutricionista

Busque um nutricionista

Antes de tudo, o primeiro passo é consultar um nutricionista. Ao excluir as carnes da dieta, é necessário reajustar a sua alimentação para que você mantenha a ingestão adequada de: 

  • proteínas;
  • ômega-3;
  • vitaminas e minerais, como: vitamina B12, vitamina D, zinco e ferro.

Diante disso, o nutricionista é o profissional mais habilitado para investigar as suas necessidades nutricionais e elaborar um plano alimentar para que você ingira todos os nutrientes cruciais à sua saúde.

Isso irá lhe garantir uma transição mais fácil e saudável.

Conheça os alimentos

Conhecer os alimentos é de extrema importância para quem deseja se alimentar exclusivamente de vegetais. Portanto, busque aprender sobre os nutrientes, onde encontrá-los nos alimentos de origem vegetal e como distribuí-los ao longo do dia.

Isso é fundamental para que você comece a ter autonomia alimentar. Saiba quais são os alimentos que você não pode deixar de consumir para evitar deficiências de vitaminas e minerais.

Ao consultar um nutricionista, esse processo de aprendizagem sobre o ovolactovegetarianismo será mais fácil, pois o especialista aplicará ações de educação nutricional durante a sua jornada de transição.

Descubra novos sabores

No início, pode aparecer uma certa dificuldade com a falta da carne em sua alimentação. 

Para reduzir esses estranhamentos, você pode começar a investir em novos sabores, como o uso de temperos naturais e combinações que você ainda não conhece.

Além disso, aprenda novas formas de preparo dos vegetais, utilizando, por exemplo, livros de receitas saudáveis. Com isso, a dieta vegetariana vai começar a ser uma ótima experiência!

Mude aos poucos

Por fim, se fizer sentido para você, faça a sua mudança gradualmente para que ela seja, de fato, sustentável. Acontece que, para certas pessoas, a carne é um alimento com grande participação na alimentação diária.

Então, nem todos conseguem ser radicais para excluí-la da dieta de imediato. A redução gradual, retirando o alimento de algumas refeições ou em alguns dias da semana pode auxiliar na transição.

Essa é a proposta de movimentos como a segunda sem carne, promovido pela Sociedade Brasileira de Vegetarianismo, que incentiva um dia da semana sem o consumo de produtos de origem animal.

Diversos alimentos de origem vegetal

Tipos de alimentação vegetariana

No geral, muitas pessoas optam por se tornar vegetarianas devido a questões relacionadas ao ambiente, saúde, economia, ética e religião.

Além disso, os adeptos desse tipo de dieta são defensores dos direitos animais e declaram ser cruel e injusto o sofrimento e o abate de animais para o consumo humano.

Por essa razão, o vegetarianismo é um tipo de dieta baseada exclusivamente na ingestão de vegetais, havendo os seguintes tipos:

1. Ovolactovegetariano

O ovolactovegetariano tem uma dieta isenta de qualquer tipo de carne, sendo composta grande parte por alimentos de origem vegetal e, de origem animal, há apenas ovos, leites e os seus derivados.

2. Vegetariano semiestrito

O vegetariano semiestrito abstém de quase todos os alimentos de origem animal, contendo apenas mel, ovos ou leites.

Desse modo, ele pode ser subdividido em duas categorias: lactovegetariano, que exclui ovos, mas consome leites e os seus derivados; e ovovegetariano, que não ingere leites e derivados, mas consome ovos.

3. Vegetariano estrito

O vegetariano estrito é aquele que não consome nenhum tipo de carne ou alimento de origem animal. Ou seja, ele não consome ovos, leites e mel, sendo conhecido também como vegetariano puro.

4. Vegano

Por último, o vegano é o indivíduo vegetariano estrito que, além de não consumir nenhum tipo de carne ou alimento de origem animal, não utiliza outros produtos oriundos de animais.

Alguns exemplos são roupas de couro, lã e seda, bem como produtos de marcas que realizam testes em animais.

Quer saber mais?

Referências

LIMA, F. C. S.; MENEZES, B. B.; MENEZES, M. B. AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO ALIMENTAR E NUTRICIONAL DE VEGETARIANOS. Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Campo Grande, MS, p.134-140. 2017. 

MADIGAN, M.; KARHU, E. The role of plant-based nutrition in cancer prevention. Journal of Unexplored Medical Data. Canadá, EUA, v. 3. n. 9. p. 1-16. nov. 2018. 

NORONHA, B. T. et al. AVALIAÇÃO QUALITATIVA DE NUTRIENTES NA ALIMENTAÇÃO VEGETARIANA. Uningá Review. Maringá, Paraná, v. 29. n. 1. p. 222-226. jan-mar. 2017.

5/5 - (1 voto(s))

Nutricionista pela Universidade de São Paulo (USP).

Experiência acadêmica em pesquisa científica, trabalhando com projeto sobre tratamento de epilepsia com dieta cetogênica. Atuação em educação alimentar, desenvolvendo curso de capacitação para professores da rede pública sobre nutrição.

Trabalha com marketing de conteúdo, com foco na divulgação de informação de qualidade baseada em ciência sobre alimentação e suplementação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 2 =


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.