Pular para o conteúdo
Home » Qual o nome do exame que detecta a falta de vitaminas?

Qual o nome do exame que detecta a falta de vitaminas?

Qual o nome do exame que detecta a falta de vitaminas. Homem adulto realizando um exame de sangue.
4 minutos de leitura

As vitaminas são nutrientes que desempenham papel de grande importância em nosso organismo, mas são exclusivamente obtidas através da alimentação. 

As escolhas alimentares são o principal determinante dos níveis de vitaminas  no corpo. No entanto, algumas doenças e o uso de alguns medicamentos também interferem no metabolismo desses nutrientes, podendo levar a deficiências.

Pela importância das vitaminas para a saúde, a deficiência é notada através de sintomas característicos, que variam de acordo com a falta de cada vitamina. Porém, a única forma de realizar esse diagnóstico com certeza é através de exames laboratoriais.

O nome do exame que detecta a falta de vitaminas é o exame de sangue. Para cada vitamina existem análises específicas que podem ser realizadas a partir do sangue para detectar deficiências. Entenda melhor a seguir.

1. Ferro

  • Ferritina: A ferritina é uma proteína presente no fígado e a principal reserva de ferro no organismo. Por esse papel, o exame de sangue conhecido como ferritina ou ferritina sérica é um dos primeiros a demonstrar alteração em seus níveis.
  • Ferro sérico: Esse exame representa a totalidade do ferro na corrente sanguínea. É o segundo parâmetro a sofrer alteração em caso de deficiência, por isso deve sempre ser analisado junto da ferritina.
  • Transferrina: É a proteína que transporta o ferro estocado no fígado para a medula óssea, local onde a hemoglobina é produzida. Quando ocorre deficiência do mineral, seus níveis aumentam acima do normal no sangue.
  • Eritrograma: O eritrograma é parte do hemograma e avalia características físicas e o número total de glóbulos vermelhos ou hemoglobinas, da qual o ferro faz parte da estrutura. Quando a anemia por deficiência de ferro está estabelecida, podemos encontrar algumas alterações nesse exame.
    • Redução do VCM: Diminuição do volume corpuscular médio, parâmetro que indica o tamanho da hemoglobina, que sofre alteração pela falta de ferro.
    • Redução do CHCM: A anemia por deficiência de ferro também diminui a cor das hemoglobinas, levando a diminuição da  concentração da hemoglobina corpuscular média.

2. Vitamina B12

  • Homocisteína: A homocisteína é uma molécula que faz parte do metabolismo da vitamina B12 em nosso organismo. Na deficiência da vitamina, a homocisteína fica acumulada e seus níveis aumentam, podendo ser verificada através do exame de sangue.
  • Ácido metilmalônico: Da mesma forma que a homocisteína, o ácido metilmalônico também se acumula no organismo em casos de deficiência da vitamina B12.
  • Vitamina B12 sérica: Representa o nível total da vitamina na corrente sanguínea. É um parâmetro importante, mas deve ser acompanhado dos exames mencionados acima, pois pode demorar a apresentar alterações no caso de deficiências mais leves. 
  • Eritrograma: A deficiência de vitamina B12 leva a um quadro conhecido como anemia megaloblástica, devido ao seu papel na formação do DNA da hemoglobina. 
    • Aumento do VCM: É o principal parâmetro alterado no hemograma, onde ocorre aumento do volume corpuscular médio dos glóbulos vermelhos devido a má formação por deficiência de B12.

3. Vitamina D

  • 25-hidroxivitaminaD: A 25-hidroxivitamina ou 25(OH)VD é uma das formas da vitamina D em nosso organismo, anterior a forma ativa que promove todos os benefícios. É utilizada para avaliar a deficiência da vitamina, pois reflete os níveis obtidos através da alimentação e exposição solar.
  • Cálcio e Fósforo: Caso exista a suspeita de deficiência de vitamina D, é importante avaliar os níveis de cálcio e fósforo no sangue, já que a vitamina tem papel fundamental na regulação de ambos.
  • PHT intacto: Esse exame permite verificar os níveis de paratormônio, uma hormônio produzido pela paratireóide que participa da regulação de vitamina D no sangue. Seus níveis aumentam no caso de deficiência.

4. Zinco

  • Zinco plasmático: Esse exame permite verificar como está a ingestão alimentar recente de zinco, pois seus níveis são sensíveis e se alteram com a alimentação recente.
  • Zinco eritrocitário: Reflete os níveis de zinco no organismo dos últimos 3 a 4 meses, sendo o mais indicado no caso de investigação de deficiências já estabelecidas do mineral.

5. Vitamina C

  • Vitamina C em leucócitos: A dosagem realizada neste exame é a mais sensível para verificar os níveis de vitamina C no corpo, pois a concentração do nutriente dentro dos leucócitos é 25 vezes maior que na corrente sanguínea.
  • Vitamina C plasmática: A vitamina C plasmática indica o nível do nutriente no sangue também pode ser avaliada no caso de suspeita de sintomas da falta de vitamina c, de preferência junto com a análise do exame em leucócitos.

Quer saber mais?

Referências:

REIS, N.T.; CALIXTO-LIMA, L. Interpretação de Exames Laboratoriais Aplicados à Nutrição Clínica. Rio de Janeiro: Editora Rubio, 2012.

Avalie este post
nutricionista maria eduarda fortes

Nutricionista pela Universidade de São Paulo (USP).

Experiência acadêmica em pesquisa científica, trabalhando com projeto sobre tratamento de epilepsia com dieta cetogênica. Atuação em educação alimentar, desenvolvendo curso de capacitação para professores da rede pública sobre nutrição.

Trabalha com marketing de conteúdo, com foco na divulgação de informação de qualidade baseada em ciência sobre alimentação e suplementação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.