Qual o melhor tipo de Colágeno: diferenças e para que servem

| | ,

Você sabia que existem diferentes tipos de colágeno? E que colágeno é uma proteína importante para a elasticidade e a estrutura da nossa pele, ossos, vasos sanguíneos, tendões, músculos, córnea, ligamentos e dentes?

E que com o passar dos anos nosso corpo naturalmente diminui a produção de colágeno? É aí que começam os problemas como o aparecimento de rugas, flacidez da pele, osteoartrite, dores articulares e fraqueza muscular.

Quer saber como o colágeno pode te ajudar e ter uma vida mais longa e saudável? Você está no lugar certo, aqui você vai aprender:

Afinal, o que é colágeno?

O colágeno é uma proteína longa e fibrosa abundante em mamíferos, responsável por cerca de 30% da massa proteica total do corpo. 

Existem 28 tipos de colágeno, sendo o colágeno tipo 1 o mais abundante na pele, ossos, dentes, tendões, ligamentos, vasos sanguíneos e órgãos, e o colágeno tipo 2 o mais presente nas cartilagens e articulações.

O colágeno é uma proteína grande e os efeitos benéficos comprovados do colágeno para o corpo humano motivaram a indústria a produzir suplementos de colágeno a partir de vários subprodutos do processamento de alimentos. 

 

Um tipo de colágeno para cada objetivo

  • Colágeno nos alimentos: 

Proteína naturalmente presente em alimentos de origem animal como pele de frango, pele de porco, carne e peixes. 

O consumo desses alimentos em uma dieta equilibrada garantem um consumo adequado de proteínas nas refeições. Porém, não há estudos que avaliaram se o consumo de colágeno pela alimentação teria o mesmo efeito dos suplementos.

Outra fonte alimentar popularmente conhecida é o caldo de ossos, mas atenção, porque os ossos podem sequestrar chumbo e então essa não seria uma fonte segura de ingestão de colágeno.

  • Colágeno hidrolisado:  

Obtido pela “quebra da proteína”, o hidrolisado de colágeno é geralmente preparado por hidrólise ácida, alcalina ou enzimática nos processos industriais. 

Segundo a Dra. Simone Geraldini, mestre e doutora em Medicina pela UNIFESP, o objetivo dessa hidrólise (quebra) é tornar essa proteína grande em uma proteína de menor tamanho, para facilitar a absorção desse nutriente pelo nosso organismo.

Os suplementos de colágeno disponíveis no mercado são feitos a partir da pele, couro, ossos, tendões e cartilagens, provenientes de bovinos, suínos, aves ou peixes.

O consumo de colágeno hidrolisado estimula a produção de proteínas inespecíficas para onde o corpo estiver mais precisando, pois no processo de digestão, esse colágeno será quebrado pelas enzimas presentes no intestino em aminoácidos, que são a menor parte ou os “tijolinhos” que formam as nossas proteínas – destaca Dra. Simone.

A vantagem de consumir o colágeno hidrolisado é que a sua absorção e consequente produção de proteínas no organismo serão mais rápidas do que quando consumido pela alimentação. 

 

  • Peptídeos Bioativos – colágeno hidrolisado específico tipo 1

Os peptídeos bioativos são moléculas menores obtidas a partir do colágeno já hidrolisado, dessa forma o que difere o colágeno hidrolisado dos peptídeos bioativos é principalmente o tamanho da molécula. 

A Dra. Simone explica que os peptídeos bioativos são absorvidos no nosso intestino sem serem quebrados em aminoácidos pelas enzimas digestivas, ou seja, a mesma forma química que ingerimos é a forma absorvida e por isso a ingestão de peptídeos bioativos estimula a produção de proteínas para partes específicas do corpo.  

Existem dois principais tipos de peptídeos bioativos de colágeno do tipo 1 que possuem resultados de uso comprovados. A diferença entre eles está no número de quebras enzimáticas que sofrem no processo de fabricação e especificidade da parte do corpo: 

    • Verisol: É o nome comercial da matéria-prima de peptídeos bioativos de colágeno do tipo 1 desenvolvido para a pele, unhas e cabelos. 

Patenteado por uma empresa alemã chamada Gelita, sendo o composto que possui maior número de estudos científicos publicados que comprovam os benefícios promovidos na saúde e beleza da pele, unhas e cabelos.

    • Bodybalance: Também patenteado pela Gelita e com comprovação científica, bodybalance é o nome comercial dos peptídeos bioativos de colágeno do tipo 1 específicos desenvolvido para a saúde muscular.

Apesar de não possuir grandes quantidades de aminoácidos de cadeia ramificada (BCAA), oferece grandes quantidades de arginina e glicina, dois aminoácidos responsáveis por estimular a síntese de creatina nos músculos.

 

  • Colágeno tipo 2 não desnaturado 

O colágeno tipo 2 é o mais abundante nas cartilagens e articulações, sendo indicado para tratamento de artrose, artrite e dores articulares.

Esse tipo de colágeno é comercializado com diferentes nomes e o que precisamos saber é que as duas principais matérias-primas são fornecidas com os nomes B2Cool e UC II, que podem aparecer no rótulo como: 

    • Proteína não desnaturada de colágeno tipo 2
    • Proteína não hidrolisada de colágeno tipo 2

Caso você não encontre essa informação no rótulo do produto sugerimos que entre em contato direto com a marca do produto e pergunte qual é a matéria prima utilizada por eles.

Diversos estudos científicos já demonstraram que o B2Cool e o UCII apresentaram efeitos benéficos no tratamento de osteoartrite e dores articulares.

Bom, agora que você já sabe que existem diferentes tipos de colágeno e que cada um serve para um objetivo específico, é importante saber que a quantidade é um fator importante para que o consumo tenha o resultado desejado.

Vamos falar sobre como consumir cada um dos tipos de colágeno nas próximas semanas, combinado?

Resumo – Colágeno, Saúde e Estética.

No cenário atual observamos uma utilização crescente de peptídeos de colágeno como suplementos dietéticos em alimentos e bebidas, bem como componentes bioativos em cosméticos, saúde e produtos farmacêuticos.

Em resumo, a Dra. Simone diz que o consumo de colágeno como suplemento alimentar tem se mostrado importante tanto para a saúde quanto para a estética:

    • Da pele, unhas e cabelos: a partir dos 25 anos diminuímos a produção de colágeno, assim qualquer pessoa a partir dessa idade irá ter benefícios como a prevenção de rugas e flacidez, além de melhorar os aspectos das unhas e cabelos;
    • Dos músculos: mulheres, homens e idosos podem se beneficiar do efeito do colágeno para o ganho de massa muscular quando associado à atividade física, e para prevenir a sarcopenia (perda de massa muscular), condição muito comum em idosos;
    • Das articulações: tanto atletas de alto desempenho podem se beneficiar dos efeitos do colágeno em qualquer idade, pois os treinamentos intensos causam sobrecarga nas articulações, quanto pessoas que sofrem de dores articulares, artrose e artrite.

 

Que tal um desconto especial para experimentar o melhor colágeno para a pele?

 

Referências:

Hong H, Fan H, Chalamaiah M, Wu J. Preparation of low-molecular-weight, collagen hydrolysates (peptides): Current progress, challenges, and future perspectives. Food Chem. 2019 Dec 15;301:125222. doi: 10.1016/j.foodchem.2019.125222. Epub 2019 Jul 22. PMID: 31382108.

KIM, Do-un et al. Oral Intake of Low-MolecularWeight Collagen Peptide Improves Hydration, Elasticity, and Wrinkling in Human Skin: A Randomized, Double-Blind, Placebo-Controlled Study. Nutrients, [s.l.], v. 10, n. 7, p.826-0, 26 jun. 2018

León-López A, Morales-Peñaloza A, Martínez-Juárez VM, Vargas-Torres A, Zeugolis DI, Aguirre-Álvarez G. Hydrolyzed Collagen-Sources and Applications. Molecules. 2019 Nov 7;24(22):4031. doi: 10.3390/molecules24224031. PMID: 31703345; PMCID: PMC6891674.

LUGO, James P.; SAIYED, Zainulabedin M.; LANE, Nancy E. Efficacy and tolerability of an undenatured type II collagen supplement in modulating knee osteoarthritis symptoms: a multicenter randomized, double-blind, placebo-controlled study. Nutrition journal, v. 15, n. 1, p. 14, 2015.

PROKSCH, E. et al. Oral Supplementation of Specific Collagen Peptides Has Beneficial Effects on Human Skin Physiology: A Double-Blind, PlaceboControlled Study. Skin Pharmacology And Physiology, [s.l.], v. 27, n. 1, p.47-55, 2014. 

VHITA. Colágeno | Tudo o que você precisa saber. Blog Vhita. São Paulo, 27 de fevereiro de 2020. Disponível em: https://blog.vhita.com.br/gravida-pode-tomar-colageno/ 

 
Anterior

Quais os riscos do consumo de colágeno?

Hábitos saudáveis: confira 3 dicas que você deve seguir

Próximo

Deixe um comentário