O colágeno é uma proteína encontrada em abundância em animais e humanos, localizado principalmente em seus tendões, ossos, veias, cartilagens, dentes, pele, músculos e camada córnea dos olhos. 

Pode representar até 30% das proteínas totais do organismo e sua produção sofre um pequeno déficit com o passar dos anos. Existem dois principais tipos de colágeno em forma de suplementos: o colágeno tipo I e o tipo II, que podem ser encontrados em forma de peptídeos bioativos de colágeno. 

Conheça cada um deles a seguir e confira como e por quem eles podem ser usados!

Colágeno Tipo I 

É o tipo mais comum de colágeno, encontrado em cartilagens fibrosas, ossos, pele, tendões, no tecido conjuntivo denso e no tecido conjuntivo frouxo comum. 

Por passar por um processo de hidrólise onde é quebrado em partículas menores — para que seja absorvido com mais facilidade —, recebe o nome de colágeno hidrolisado.

Colágeno Tipo II 

Abundante principalmente em cartilagens e articulações, também pode encontrar-se nos olhos e discos intervertebrais. 

Apesar de ser difícil de ser encontrado, há alguns suplementos que contêm a fórmula capaz de aumentar a sua produção. Ele alivia dores nas articulações associadas à perda de cartilagem. 

Peptídeos bioativos de colágeno 

Por fim, temos os peptídeos bioativos de colágeno. Eles são altamente hidrolisados, ou seja, suas moléculas são quebradas em partículas ainda menores e de mais fácil absorção.

Não é considerado um tipo de colágeno, mas sim uma forma de apresentação e, por isso, pode ser tanto do tipo I quanto do tipo II. 

Esse tipo de colágeno é bastante conhecido e utilizado entre os praticantes de atividades físicas, por sua fácil disponibilidade ao organismo.

Colágeno e os tipos de suplementos de colágeno disponíveis.

Principais diferenças entre o colágeno hidrolisado e os peptídeos de colágeno 

Embora os dois tipos de colágeno sofram o processo de hidrólise, a quebra em partículas é maior com os peptídeos de colágeno do que com o colágeno hidrolisado, e essa quebra maior torna a absorção mais rápida pelo organismo. 

O colágeno hidrolisado é mais indicado para pessoas que sofrem com problemas como a osteoporose, já que a proteína é capaz de aumentar a massa óssea e reduzir os riscos de fratura. Também pode ser indicado para quem tem problemas de artrite. 

Já os peptídeos bioativos de colágeno são indicados para quem busca combater o envelhecimento da pele, restabelecer a hidratação e a elasticidade e estimular a produção de colágenos e proteoglicanos. 

Suplementação de colágeno para atletas 

É comum quem pratica atividades físicas de impacto sofrer com dores e desconfortos em articulações como joelho, mãos, ombros e quadril.

O uso da suplementação dos peptídeos bioativos de colágeno irá fornecer aminoácidos ao organismo para que a proteína seja formada no corpo, como na pele e cartilagem articular, melhorando esses sintomas.

Agora que você conhece mais sobre a diferença entre o colágeno hidrolisado e os peptídeos bioativos de colágeno, é hora de pensar em iniciar uma suplementação dessa proteína para receber os benefícios que ela tem a oferecer.

É importante lembrar, porém, que embora o produto seja natural, ainda assim é aconselhável buscar ajuda de um nutricionista para que o seu caso seja mais bem avaliado e você possa ingerir o colágeno em quantidade adequada. 

Quer saber mais?

 

Referências:

MOREIRA, Juliana Aparecida Ramiro; GIUSTI, H. H. K. D.; UNIARARAS, Hermínio Ometto. A fisioterapia dermato-funcional no tratamento de estrias: Revisão de literatura. Revista Científica da UNIARARAS, v. 1, n. 2, 2013.

PÉREZ-SÁNCHEZ, Almudena et al. Nutraceuticals for skin care: A comprehensive review of human clinical studies. Nutrients, v. 10, n. 4, p. 403, 2018.

PROKSCH, E. et al. Oral intake of specific bioactive collagen peptides reduces skin wrinkles and increases dermal matrix synthesis. Skin pharmacology and physiology, v. 27, n. 3, p. 113-119, 2014.