Por filosofia ou crenças, muitas pessoas estão adotando um estilo de vida vegano, em que produtos de origem animal são excluídos do uso. Esse contexto reflete muito na alimentação desses indivíduos, e, ao contrário do que muitos pensam, é possível manter um cardápio saudável com a restrição de carnes, leites e ovos.

Se você está cogitando esse estilo de vida ou tem dúvidas sobre, a seguir poderá conhecer algumas coisas que você deve saber antes de ser vegano, efetivamente. Confira!

1. Existem outros tipos de proteínas além da carne

As principais fontes de proteínas são animais, por isso, para garantir a nutrição adequada, deve-se reconhecer que você precisará de substitutos para fornecerem esse nutriente ao seu corpo.

Sim, você precisa delas e seu cardápio deve ser composto de 10 a 35% de proteína. A recomendação é consumir, pelo menos, 0,8 gramas por kg de peso diariamente. Ou seja, se você pesa 60 kg, então deve calcular 0,8 x 60 = 48 g de proteína ao dia. 

Dentre os alimentos que são fontes de proteínas vegetais temos as leguminosas como a lentilha, o feijão, as sementes como a chia e quinoa, e as oleaginosas como amendoim e castanhas. Entretanto, esses alimentos fornecem proteínas de baixo valor biológico, o que significa que a oferta de aminoácidos essenciais ao nosso metabolismo é pequena. Assim, é preciso fazer combinação entre esses alimentos para que se consiga a ingestão adequada de aminoácidos.

A melhor fonte de proteínas de origem vegetal é a combinação de arroz com feijão. Juntos, esses alimentos oferecem aminoácidos essenciais igual a proteína de alto valor biológico. 

A soja é outro alimento que com certeza se tornará sua queridinha, porém, é importante dosar as porções dela. Ela oferece inúmeros benefícios à saúde, mas o seu excesso pode trazer riscos similares ao consumo de proteína animal.

2. É provável que você precisará repor a vitamina B12

A eliminação das carnes e derivados em seu cardápio reduzirá a porção de vitamina B12 em seu organismo, por isso, a suplementação desse nutriente não deve ser descartada. Ela é fundamental para o bom funcionamento do sistema nervoso e circulatório. A sua deficiência pode acarretar problemas cardíacos.

Os sintomas dessa deficiência podem variar de fadiga, anemia e perda de peso, estendendo-se até mesmo a casos de depressão. A identificação da necessidade dessa suplementação só pode ser feita com o acompanhamento e avaliação médica.

3. Talvez terá também que repor o ferro

Os casos de suplementações também podem se estender para esse mineral que tanto é importante para o sistema imunológico. Alimentos de origem animal podem fornecer mais ferro que o feijão, por isso, dietas veganas podem resultar na baixa ingestão do mineral.

A dica é investir em alimentos ricos em vitamina, pois apoiam na melhor absorção desse nutriente. Dentre os principais alimentos, podemos indicar brócolis, frutas cítricas e pimentões vermelhos.

4. As pessoas farão muitas perguntas

Sim, os questionamentos serão inevitáveis. Estilo de vida vegano, para muitos, parece um desafio, e a curiosidade pode aflorar, vindo com ela diversas perguntas, as quais podem se tornar até repetitivas.

Tenha paciência e justifique as razões que levaram à escolha do atual estilo de vida. Ser vegano não é apenas restringir a alimentação, mas saber o “porquê” ter retirado a proteína animal de seu prato.

5. Evitar o consumo de alimentos processados

Muitos alimentos processados possuem grandes concentrações de gorduras e sódio que em excesso trazem diversos malefícios a saúde. Além disso, podem reduzir absorção de nutrientes como vitaminas e minerais, o que não é bom, principalmente para quem tem dietas restritas como os veganos. Estude substituições inteligentes e se conscientize da contribuição de cada alimento para a sua nutrição.

6. Você começará a ver os rótulos

Se você está acostumado a comprar alimentos sem saber a sua composição, saiba que esse hábito deve ser abandonado. Ser vegano significa analisar a composição daquilo que será ingerido, o que pode ser feito por meio da leitura das tabelas nutricionais impressas nos rótulos. Leia-os e saiba o que você estará fornecendo ao seu organismo. 

Os ingredientes são determinantes para o seu bem-estar e essa prática lhe deixará muito mais informado sobre nutrição e o funcionamento de corpo.

7. Perceberá que não é tão barato ser vegano

Sabemos que alimentos de origem animal custam mais do que alimentos de origem vegetal. Mas, mesmo assim, tornar-se vegano não é algo barato. Há diversos alimentos oferecidos e de forma muito mais acessível nos supermercados, mas isso não significa que sua alimentação terá o mesmo custo. 

Os benefícios para a saúde requerem mudanças no orçamento, portanto, prepare-se para trocar os industrializados por produtos vegetais de valores um pouco a cima do esperado.

Gostou de saber mais sobre como é ser vegano e o que é preciso para adotar esse estilo de vida? Então compartilhe essas dicas com seus amigos em suas redes sociais!