De acordo com relatórios emitidos anualmente pela Organização Mundial de Saúde (OMS), o mundo já conta com mais de um bilhão de adultos com sobrepeso e 300 milhões de adultos obesos – um caminho que pode levar a quase 60% da população mundial manifestando problemas de saúde relacionados a obesidade em um futuro muito próximo.

Por esse motivo, a obesidade é listada pela OMS como uma das principais doenças do século, sendo vista atualmente como uma epidemia global.

As consequências metabólicas e fisiológicas da obesidade são graves: aumentam o risco de morte por doenças cardiovasculares principalmente. Impactando de forma negativa na qualidade de vida no aspecto psicossocial do indivíduo e implica em elevados custos para a saúde pública. 

Muitas vezes, a obesidade é uma doença de difícil controle, havendo uma preocupação em tratá-la de maneira eficiente para evitar os riscos de morbimortalidade na população que ela atinge.

Dentre os vários tratamentos já conhecidos para controle do sobrepeso e da obesidade, a cirurgia bariátrica é considerada a opção final para quem não conseguiu resultados satisfatórios com técnicas menos invasivas.

O período pós-operatório da cirurgia bariátrica pode ser acompanhado de várias consequências nutricionais e físicas que demandam atenção e acompanhamento por parte dos profissionais da saúde, os quais buscam por alternativas terapêuticas para melhorar a qualidade de vida dos pacientes. 

Nesse artigo, falaremos um pouco sobre a cirurgia bariátrica, suas consequências e  sua relação do com o uso do colágeno verisol para reduzir alguns sintomas no período pós-operatório.

 

O que é a cirurgia bariátrica?

A cirurgia bariátrica é uma solução encontrada por especialistas em cirurgia geral e gástrica para controlar os sintomas relacionados com um quadro de obesidade mórbida.

É um tipo de cirurgia também chamada de gastroplastia ou cirurgia de redução de estômago, considerada uma das grandes descobertas da ciência médica no avanço do combate à obesidade.

A intervenção é responsável por reduzir o estômago em até 20 centímetros cúbicos, o que esta associado com uma redução da sua capacidade de absorção. Por causa dessa redução, é natural que o indivíduo consuma menos calorias na rotina e, naturalmente, perca peso ao longo do tempo.

Estima-se que pacientes com boa resposta clínica ao tratamento consigam perder cerca de 40% do peso corporal com apenas um ano de período pós-cirúrgico.

A cirurgia bariátrica, além de auxiliar na perda de peso corporal, influenciando na forma física do paciente, também pode garantir benefícios como controle da pressão arterial, menor concentração de açúcar e insulina circulante no sangue e maior controle do apetite.

É uma alternativa indicada apenas para pacientes com alto risco de mortalidade por doenças crônicas que não conseguem adequar o peso corporal apenas com alimentação e exercício.

Além de ser diagnosticado com obesidade mórbida e ter comprovado fracasso com métodos tradicionais de emagrecimento, pacientes indicados para a cirurgia bariátrica precisam apresentar laudo psicológico favorável para conseguir suportar as mudanças metabólicas e físicas radicais que esse tratamento vai fornecer.

Quais são as consequências estéticas e nutricionais da cirurgia bariátrica?

A cirurgia bariátrica é uma estratégia para combater à obesidade e suas consequências, mas também é um procedimento extremamente invasivo e radical, do ponto de vista metabólico e físico.

Muitas mudanças acontecem no organismo do paciente que passou pela cirurgia e, por isso, é preciso conhecer todas elas para saber quando se manifestam e como contornar os sintomas indesejados e melhorar a qualidade de vida do indivíduo no pós-operatório.

Do ponto de vista nutricional, o paciente que passou pelo processo de cirurgia bariátrica perde uma parte do seu estômago importante na absorção de alguns nutrientes específicos, e, por causa disso, a cirurgia resulta em deficiências nutricionais, tanto de vitaminas e minerais, como de macronutrientes como as proteínas e carboidratos.

Assim, o acompanhamento nutricional desse paciente deve ser feito de maneira muito cautelosa, especialmente nos primeiros dias do pós-operatório, quando a alimentação ainda será baseada em refeições líquidas e pastosas.

Um estudo apresentou que  sintomas como vômitos, síndrome de dumpling, constipação e diarreia podem ser observados nesses pacientes. Todos eles influenciando de maneira significativa no aspecto nutricional do paciente. 

Outro estudo mostrou que no aspecto estético, as mudanças começam a ser observadas com algumas semanas de pós-operatório. Como existe uma redução drástica no consumo de calorias diário na rotina do paciente, é esperado que o corpo reaja a essa situação com uma perda de peso intensa. Como resultado, a pele flácida, excesso de pele, novas estrias, além da dificuldade do paciente em reconhecer a própria imagem. 

E para saber mais sobre os diferentes tipos de colágeno, veja o vídeo da especialista Dra. Priscila Gontijo

O que é o verisol?

Verisol é o nome comercial de um suplemento proteico, composto por peptídeos bioativos de um colágeno classificado de tipo 1. Ele é tradicionalmente utilizado para fortalecer as unhas e os cabelos e recuperar a firmeza e elasticidade da pele perdida com o avançar da idade, além de reduzir estrias e celulite.

Por esse motivo, o consumo do verisol tem sido considerado por profissionais da saúde como um bom ajudante na recuperação da flacidez da pele em pacientes no período pós-operatório de cirurgia bariátrica.

Por ser desenvolvido com aminoácidos livres, sua absorção pelo organismo é feita de maneira mais rápida, mesmo quando ingerido via oral, auxiliando na formação da estrutura e parte extracelular da derme e epiderme. Além disso, esses peptídeos também atuam como moduladores de genes corporais que aumentam a produção endógena de colágeno pela pele, melhorando sua qualidade e aspecto visual.

Existe relação entre verisol e o pós-operatório de cirurgia bariátrica?

Pacientes em período pós-operatório de cirurgia bariátrica podem sofrer com falhas estéticas como maior flacidez da pele e desenvolvimento de estrias por conta do processo de perda rápida de peso.

Por isso, a utilização do colágeno verisol é vista como uma maneira de influenciar positivamente na recuperação do paciente nesse período. O uso do colágeno verisol melhora essas falhas estéticas em indivíduos saudáveis.

Um estudo acompanhou um grupo de pessoas que faziam consumo diário de colágeno Verisol, percebeu um aumento da produção endógena de colágeno tipo 1 pelo corpo,  o que estimula a formação de novas estruturas celulares nesse tecido, melhorando a saúde e a aparência da pele.

Uma revisão bibliográfica publicada em 2008 sobre o uso de suplementos dietéticos e a saúde da pele também reforçou a eficácia do consumo do colágeno hidrolisado para o tecido de revestimento corporal. 

Outro estudo mais recente, publicado em 2018, que também testou a suplementação do colágeno hidrolisado na saúde humana. Nesse estudo não encontraram um aumento na proliferação de células da pele. Mas, constataram que esse composto é capaz de modular genes para aumentar a produção de colágeno endógeno. Essa situação pode melhorar significativamente a qualidade do tecido da pele. 

Mas, é importante ressaltar a necessidade de mais estudos que relacionem diretamente o uso do colágeno verisol no pós operatório de cirurgia bariátrica para garantir o efeito do suplemento nesse contexto específico.

Como usar o colágeno verisol no pós operatório?

Para fazer o uso do Verisol no período pós-operatório da cirurgia bariátrica, antes de qualquer coisa, é preciso conversar com seu médico e nutricionista sobre o assunto. Apenas esses profissionais serão capazes de avaliar como o suplemento pode auxiliar na recuperação do paciente e se existe algum risco para a saúde e qualidade de vida do mesmo.

Em seguida, sendo constatado o benefício do suplemento para o caso clínico, o profissional da saúde também será o responsável por orientar volume e frequência do consumo para garantir os resultados desejados. Geralmente a dose recomendada para o consumo do verisol é de 2,5 gramas ao dia.

O Verisol pode ser um importante coadjuvante para sua recuperação no período pós-operatório da cirurgia bariátrica. Que tal conhecer mais sobre ele?

Quer saber mais?

Que tal um desconto especial para experimentar o melhor colágeno para a pele?

Colágeno hidrolisado melhor marca - Collagen vhita

 

Referências:

PEDROSA, Isabella Valois et al. Aspectos nutricionais em obesos antes e após a cirurgia bariátrica. Rev Col Bras Cir, v. 36, n. 4, p. 316-322, 2009.

MARCELINO, Liete Francisco; PATRÍCIO, Zuleica Maria. A complexidade da obesidade e o processo de viver após a cirurgia bariátrica: uma questão de saúde coletiva. Ciência & Saúde Coletiva, v. 16, p. 4767-4776, 2011.

ZAGUE, Vivian et al. Collagen hydrolysate intake increases skin collagen expression and suppresses matrix metalloproteinase 2 activity. Journal of medicinal food, v. 14, n. 6, p. 618-624, 2011.

ZAGUE, Vivian. A new view concerning the effects of collagen hydrolysate intake on skin properties. Archives of dermatological research, v. 300, n. 9, p. 479-483, 2008.

ZAGUE, Vivian et al. Collagen peptides modulate the metabolism of extracellular matrix by human dermal fibroblasts derived from sun‐protected and sun‐exposed body sites. Cell biology international, v. 42, n. 1, p. 95-104, 2018.