Pular para o conteúdo
Home » Todos os posts » 9 alimentos que causam enxaqueca

9 alimentos que causam enxaqueca

mulher com as mãos na cabeça indicando dor de cabeça | alimentos que causam enxaqueca
7 minutos de leitura

A enxaqueca é uma dor de cabeça com variação de moderada a intensa, latejante e que pode ser sentida de forma localizada ou generalizada. 

A principal causa é genética, por isso é considerada uma doença crônica. Seus episódios podem estar relacionados com fatores ligados ao estilo de vida. Por isso, seu tratamento também inclui mudanças de hábitos, além da medicação.

Um dos fatores que podem desencadear as crises é a alimentação. No geral, é recomendado uma dieta saudável e balanceada. Porém, existem alimentos específicos que causam enxaqueca.

Para evitar ou tratar a enxaqueca, pode ser interessante excluir esses alimentos da sua dieta. No entanto, vale lembrar que o efeito desses nutrientes pode variar entre os indivíduos e nem todos têm crises após o seu consumo.

1. Café

Apesar de pequenas doses de cafeína terem efeito analgésico e anti-inflamatório, doses excessivas podem favorecer as crises de enxaqueca.

Inclusive, em algumas pessoas, mesmo doses pequenas podem desencadear as dores. 

Por isso, recomenda-se que indivíduos predispostos evitem alimentos que causam enxaqueca por serem à base de cafeína, como:

  • café
  • chá verde
  • chá preto
  • chá mate
  • refrigerante de cola.

2. Oleaginosas e sementes

Embora sejam saudáveis e nutritivas, as oleaginosas e sementes podem estimular as crises de enxaqueca. Isso acontece porque elas têm altas quantidades de tiramina, substância que provoca as dores.

Logo, pessoas que sofrem com enxaqueca devem evitar: 

  • nozes
  • amendoim
  • castanha de caju
  • avelã
  • castanha do Pará
  • sementes de abóbora
  • chia
  • linhaça
  • gergelim.

3. Frutas cítricas

As frutas cítricas estão entre os alimentos que causam enxaqueca pois possuem alto teor de octopamina, substância que pode gerar crises em algumas pessoas.

Alguns exemplos são:

  • abacaxi
  • kiwi
  • laranja
  • limão.

No entanto, não é todo indivíduo que se sente afetado após consumir esses alimentos. Sendo assim, o ideal é observar se há sintomas para não fazer restrições sem a real necessidade.

Além disso, é recomendado buscar o auxílio de um nutricionista para equilibrar os nutrientes na dieta e evitar deficiências nutricionais.

4. Leite e derivados

O leite e derivados apresentam tiramina em sua composição, especialmente os laticínios envelhecidos como queijo:

  • cheddar
  • gorgonzola
  • parmesão
  • roquefort.

5. Carnes processadas

Carnes processadas possuem nitratos e nitritos. Os quais são elementos que podem favorecer as crises, deixando-as ainda mais intensas e frequentes. 

Por isso, estão entre os alimentos que causam enxaqueca. As principais são:

  • calabresa
  • presunto
  • peito de peru
  • bacon
  • salsicha
  • salame

6. Chocolate

Apesar de estar associado com a liberação de serotonina, o chocolate possui cafeína e tiramina. O que estimula as dores de cabeça e o mal-estar.

7. Adoçante (Aspartame)

O aspartame é um adoçante artificial, popularmente utilizado em:

  • refrigerantes
  • sucos industrializados
  • bolachas recheadas
  • outros ultraprocessados.

Seu consumo está relacionado ao desenvolvimento de enxaqueca principalmente pela ingestão contínua ao longo de um período grande de tempo.

Então, para evitar esse gatilho, procure minimizar o consumo de industrializados com esse ingrediente em sua composição, que estão entre os alimentos que causam enxaqueca. 

Para saber quais produtos utilizam aspartamente, verifique a lista de ingredientes presente no rótulo e procure por “edulcorante aspartame” ou “INS 951” (seu código de registro na ANVISA.

8. Glutamato monossódico

O glutamato monossódico é outro aditivo alimentar, ou seja, utilizado na composição de alimentos industrializados como realçador de sabor. Também pode ser encontrado em supermercados na sua forma isolada para uso culinário.

É comumente encontrado no: 

  • shoyu
  • molhos prontos
  • enlatados
  • carnes processadas
  • salgadinhos. 

Verifique se a lista de ingredientes contém seu nome original ou o código INS 621.

Sua relação com o alimento que causa enxaqueca vem da ação como vasoconstritor, principalmente se ingerido em altas doses e na alteração da função de neurotransmissores.

vinho tinto sendo despejado em uma taça | alimentos que causam enxaqueca

9. Álcool

O álcool é um dos alimentos que causam enxaqueca. Alguns pacientes relatam as dores de forma imediata (em até 3 horas) ou prolongada (após 24 horas).

Os mecanismos desencadeados pelo álcool que levam às dores de cabeça estão relacionados a alteração da circulação sanguínea no cérebro, mudança no padrão de sono, inflamação e depleção dos estoques de magnésio.

Bebidas alcoólicas de cor mais escura, como vinho tinto e uísque, contém congêneres, que são os subprodutos naturais da fermentação do álcool. Dessa forma, são mais propensos a induzir a enxaqueca após seu consumo, em comparação com bebidas alcoólicas de cor clara, como gim ou vodca. 

6 nutrientes que auxiliam no tratamento da enxaqueca

1. Magnésio

A falta de magnésio leva ao desequilíbrio de alguns processos cerebrais, o que pode desencadear as crises de enxaqueca

O principal deles é no bloqueio de receptores cerebrais chamados de NMDA. Na presença de níveis inadequados do mineral, ocorre uma hiperestimulação e hiperexcitação dessa atividade no cérebro.

Além disso, o magnésio também desempenha seu papel na modulação de neurotransmissores e hormônios que geram a sensação de bem-estar e felicidade.

2. Ômega 3

O ômega 3 é um tipo de gordura boa com ação anti-inflamatória e antioxidante. Sendo um nutriente crucial no tratamento da enxaqueca. Visto que os processos inflamatórios e a ação dos radicais livres favorecem as crises.

Além disso, vale ressaltar que o DHA (um tipo de ômega 3) está presente em abundância nas membranas cerebrais. 

Desse modo, ele é um precursor importante na liberação de hormônios e de neurotransmissores que geram a sensação de bem-estar. 

3. Vitamina B12

A vitamina B12 é fundamental para a manutenção do sistema nervoso. Assim, caso ela esteja em deficiência, pode haver uma maior degeneração da bainha que protege os nervos e neurônios. O que aumenta as chances de crises de enxaqueca.

Por essa razão, é muito importante manter os níveis adequados de vitamina B12 no organismo para prevenir e aliviar as dores.

4. Selênio

O selênio é um mineral com propriedades antioxidantes que protegem as células dos danos gerados pelos radicais livres.

Basicamente, os radicais livres aumentados pioram os sintomas da enxaqueca. Sendo também fatores de risco para o desenvolvimento de doenças neurológicas, como Parkinson e Alzheimer.

5. Vitamina E

Assim como o selênio, a vitamina E também desempenha funções antioxidantes no corpo. Com isso, ela pode ser uma grande aliada no tratamento da enxaqueca.

6. Zinco

O zinco estimula a produção de diversos hormônios e apresenta ação anti-inflamatória e antioxidante. Além disso, este mineral também é importante para o bom funcionamento cerebral.

Quer saber mais?

Referências

CARVALHO, S. M. L. et al. Aumento da ingesta de magnésio na dieta associada à redução da dor crônica: Uma revisão sistemática. Anais da Faculdade de Medicina de Olinda. v. 2, n. 2, p. 1-45, 2019.

IGLESIAS, H. C. E.; BOTTURA, R.; NAVES, M. M. V. Fatores nutricionais relacionados à enxaqueca. Comunicação em Ciências da Saúde. v. 20, n. 3, p. 229-240, 2009.

LARA, J. N. et al. A INFLUÊNCIA DA BAIXA CONCENTRAÇÃO DE MAGNÉSIO EM DISTÚRBIOS NEUROLÓGICOS COMO A EPILEPSIA E ENXAQUECA. Revista Multidisciplinar De Educação E Meio Ambiente. v. 2, n. 2, p. 94, 2021.

Sun-Edelstein C, Mauskop A. Foods and supplements in the management of migraine headaches. Clin J Pain. 2009 Jun;25(5):446-52.

4.5/5 - (2 voto(s))

Nutricionista pela Universidade de São Paulo (USP).

Experiência acadêmica em pesquisa científica, trabalhando com projeto sobre tratamento de epilepsia com dieta cetogênica. Atuação em educação alimentar, desenvolvendo curso de capacitação para professores da rede pública sobre nutrição.

Trabalha com marketing de conteúdo, com foco na divulgação de informação de qualidade baseada em ciência sobre alimentação e suplementação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.