Pular para o conteúdo
Home » Todos os posts » 35 alimentos ricos em cálcio 

35 alimentos ricos em cálcio 

alergia à proteína do leite de vaca
6 minutos de leitura

Os alimentos ricos em cálcio se subdividem nos de origem animal, como leite, iogurte, queijo e sardinha, e nos de origem vegetal, como espinafre, rúcula, brócolis, amêndoa e grão de bico.

Esses alimentos devem estar inseridos de forma equilibrada na dieta para evitar a deficiência de cálcio. Que, por sua vez, pode gerar dificuldade na coagulação sanguínea, falhas na contração muscular e enfraquecimento dos ossos e dentes

Além disso, em algumas situações, pode ser necessária a suplementação de cálcio. Como é o caso de idosos, pessoas com osteoporose, grávidas, mulheres na menopausa e crianças.

Veja abaixo os 35 alimentos ricos em cálcio para incluir na rotina alimentar para evitar a carência do mineral:

Confira a tabela dos alimentos ricos em cálcio:

AlimentoQuantidade de cálcio em 100g do alimento
Agrião133 mg
Alfavaca258 mg
Amêndoa237 mg
Bacalhau157 mg
Brócolis86 mg
Camarão960 mg
Caranguejo357 mg
Castanha do Pará146 mg
Couve manteiga177 mg
Espinafre112 mg
Farinha de soja206 mg
Feijão carioca123 mg
Feijão preto111 mg
Gema de ovo114 mg
Grão de bico114 mg
Iogurte natural desnatado157 mg
Iogurte natural integral143 mg
Leite de cabra112 mg
Leite de vaca desnatado134 mg
Leite de vaca integral123 mg
Macaúba67 mg
Nozes105 mg
Ostras66 ng
Queijo minas frescal579 mg
Queijo minas meia cura696 mg
Queijo muçarela875 mg
Queijo parmesão992 mg
Quiabo112 mg
Requeijão cremoso259 mg
Ricota253 mg
Rúcula117 mg
Sardinha438 mg
Semente de gergelim825 mg
Semente de linhaça211 mg
Tofu81 mg

Qual é o alimento que tem mais cálcio?

O alimento que tem mais cálcio é o queijo parmesão, que oferece 992 mg de cálcio a cada 100 g. No entanto, por ser um alimento com alto teor de sódio e gordura, o ideal é consumi-lo em pequenas quantidades. Devendo sempre variar as fontes de cálcio na alimentação para evitar a ingestão excessiva de outros nutrientes.

Neste sentido, recomenda-se ingerir tanto as fontes de origem animal como as fontes de origem vegetal, em conjunto. O que também vai garantir o consumo dos outros nutrientes necessários para o bom funcionamento do corpo.

Qual é a fruta que tem mais cálcio?

A fruta que tem mais cálcio é a macaúba, que contém 67 mg a cada 100 g. Ela é uma fruta nativa da flora brasileira, podendo ser conhecida por diversos nomes, como macajuba, macaúva, mucaia, macaibeira, mucajá, coco-de-catarro e mucajaba.

Qual verdura é rica em cálcio?

Os folhosos verde escuros, como espinafre, brócolis, agrião e rúcula, são os principais alimentos ricos em cálcio de origem vegetal.

Dentre eles, o que tem mais cálcio é o agrião, que oferece 133 mg do mineral a cada 100 g. No geral, o ideal é variar esses alimentos para garantir os níveis adequados de cálcio no organismo.

Por isso, você pode incluir esses alimentos no seu dia a dia, de forma que a sua alimentação não fique monótona e deficiente do mineral.

O que é bom para aumentar o cálcio?

O primeiro passo para aumentar os níveis de cálcio no organismo é manter uma ingestão adequada de alimentos fontes diariamente.

Além disso, é muito importante fazer uma devida exposição solar para obter vitamina D, nutriente que age para melhorar a absorção do cálcio no intestino.

Ou seja, mesmo que a ingestão de cálcio esteja adequada, se houver deficiência de vitamina D, o cálcio não vai ser absorvido devidamente. O que pode gerar uma carência de cálcio, ainda que a ingestão esteja adequada.

Ademais, também é possível aumentar o cálcio por meio de suplementos. Sendo ideal que ele seja ingerido junto com o suplemento de vitamina D para melhorar a sua absorção e aproveitamento do corpo.

Por fim, um outro nutriente importante para a boa ação do cálcio é o magnésio. Que também deve estar em níveis adequados no organismo para prevenir doenças ósseas, como a osteoporose.

Qual é a ingestão diária recomendada de cálcio?

A ingestão diária recomendada de cálcio é determinada de acordo com o gênero e idade do indivíduo. Confira na tabela a seguir!

Bebês de 0 a 6 meses200 mg
Bebês de 6 a 12 meses260 mg
Crianças de 1 a 3 anos700 mg
Crianças de 4 a 8 anos1000 mg
Homens de 9 a 13 anos1300 mg
Homens de 14 a 18 anos1300 mg
Homens de 19 a 70 anos1000 mg
Homens acima de 70 anos1200 mg
Mulheres de 9 a 13 anos1300 mg
Mulheres de 14 a 18 anos1300 mg
Mulheres de 19 a 50 anos1000 mg
Mulheres acima de 50 anos1200 mg
Grávidas de 14 a 18 anos1300 mg
Grávidas acima de 19 anos1000 mg
Lactantes de 14 a 18 anos1300 mg
Lactantes acima de 19 anos1000 mg

O que pode atrapalhar a absorção de cálcio?

A presença de cafeína, sódio, ferro, fitatos e oxalatos pode atrapalhar a absorção de cálcio. Esses nutrientes, além de dificultar a sua absorção, também podem atrapalhar a fixação do cálcio nos ossos e dentes.

Por essa razão, o ideal é consumir os alimentos ricos em cálcio sempre da maneira mais variada possível. Já que a sua absorção pode ser afetada por causa de diversos fatores.

Além disso, recomenda-se evitar a ingestão dos alimentos fontes de cálcio junto de alimentos ricos em ferro, cafeína e sal. Bem como investir em técnicas para reduzir os fitatos e oxalatos dos vegetais, como o molho com vinagre ou limão.

Sinais de deficiência de cálcio

  • Cãibras musculares frequentes;
  • Ossos fracos;
  • Cáries e problemas dentários constantes;
  • Formigamentos nos pés e nas mãos;
  • Ansiedade e/ou depressão;
  • Espasmos musculares;
  • Irritabilidade;
  • Aumento da pressão arterial;
  • Memória falha.

O que a falta de cálcio pode causar?

A falta de cálcio pode gerar doenças graves, como osteoporose, osteomalácia, raquitismo e hipocalcemia. Além de doenças dentárias frequentes, unhas frágeis e quebradiças, depressão, ansiedade e convulsões.

Quer saber mais?

Referências

CORMICK, G. et al. Effect of Calcium Fortified Foods on Health Outcomes:A Systematic Review and Meta-Analysis. Nutrients. v. 13, n. 316, p. 1-32, 2021.

DIETARY REFERENCE INTAKES (DRIS): RECOMMENDED DIETARY ALLOWANCES AND ADEQUATE INTAKES, ELEMENTS. FOOD AND NUTRITION BOARD, INSTITUTE OF MEDICINE, NATIONAL ACADEMIES.

NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM ALIMENTAÇÃO (NEPA). 4ª EDIÇÃO. Tabela Brasileira de Composição dos Alimentos (TACO). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, 2011.

PEREIRA, G. A. et al. Cálcio dietético – estratégias para otimizar o consumo. Revista Brasileira de Reumatologia. v. 49, n. 2, p.164-180, 2009.

5/5 - (1 voto(s))

Nutricionista pela Universidade de São Paulo (USP).

Experiência acadêmica em pesquisa científica, trabalhando com projeto sobre tratamento de epilepsia com dieta cetogênica. Atuação em educação alimentar, desenvolvendo curso de capacitação para professores da rede pública sobre nutrição.

Trabalha com marketing de conteúdo, com foco na divulgação de informação de qualidade baseada em ciência sobre alimentação e suplementação.

Marcações:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.