Quais os riscos do consumo de colágeno?

| | ,

Você está pensando em consumir colágeno mas ficou preocupada se esse suplemento pode trazer riscos para a sua saúde? Ou ainda, quer saber se conseguimos uma quantidade boa pela alimentação de forma segura?

Afinal, colágeno tem contraindicações ou todo mundo pode tomar?

Quer tirar essas dúvidas e descobrir os cuidados que você deve tomar quando o assunto é colágeno? Veja abaixo o que você vai aprender neste texto:

Colágeno – Quais os riscos?

Não existe até o momento riscos conhecidos pelo uso de suplementos de colágeno. 

Mas, um possível risco seria você não obter os resultados desejados, por não consumir o tipo certo de colágeno. 

Conversamos com a Dra. Simone Geraldini, mestre e doutora em Medicina pela UNIFESP, para saber sobre os cuidados que devemos tomar com a suplementação, e a Dra. Simone alerta que um cuidado a se tomar é com a matéria-prima utilizada para a fabricação do suplemento e evitar as receitas caseiras de caldo de ossos, pois essas últimas podem estar contaminadas com chumbo.

Portanto, devemos tomar alguns cuidados para ter certeza que o suplemento de escolha tem a qualidade e a quantidade adequada de matéria-prima e qual a composição do suplemento.

Quem pode tomar colágeno?

O colágeno é uma proteína longa e fibrosa abundante em mamíferos, responsável por cerca de 30% da massa proteica total do corpo. 

É uma proteína presente no nosso corpo que confere elasticidade e estrutura para nossa pele, ossos, vasos sanguíneos, tendões, músculos, córnea, ligamentos e dentina. 

Com o passar dos anos nosso corpo naturalmente diminui a produção de colágeno e é aí que começam os problemas como o aparecimento de rugas, flacidez da pele, artrite, dores articulares e fraqueza muscular.

O colágeno não tem contraindicações, e os estudos científicos já demonstraram diversos efeitos benéficos como:

  • Melhora da força muscular, 
  • Melhora geral da saúde da pele,
  • Pode auxiliar no tratamento da obesidade, 
  • Melhora da densidade óssea,
  • Pode reduzir dores nas articulações,
  • Pode auxiliar no tratamento da pressão alta, e
  • Prevenir o envelhecimento.

Mas, atenção! Para cada tipo de objetivo é indicado um tipo e quantidade diferentes de colágeno. Veja no vídeo a seguir algumas dicas da Dra. Priscila Gontijo Corrêa:

Quais os cuidados a tomar com a suplementação?

Dra. Simone destaca que o primeiro cuidado a se tomar é em relação ao tipo de colágeno e a quantidade por porção, para fins estéticos como melhora da pele e cabelo, assim como para a saúde dos músculos, o mais indicado são os peptídeos bioativos de colágeno do tipo 1, já para a saúde das articulações o mais indicado é o colágeno tipo II não desnaturado.

Mas, vamos ver melhor os tipos de colágeno, entender sobre sua estrutura química e para quê cada um serve no post desta quinta-feira, combinado?

O segundo cuidado é em relação a segurança do suplemento para consumo humano. Uma forma de você saber se o suplemento é seguro para a sua saúde é verificar se o produto de escolha apresenta algum selo de qualidade.

Um produto com selo de qualidade é um atestado de segurança alimentar e comprovação da eficácia, já que o selo atesta que o produto realmente contêm o colágeno indicado na composição e consequentemente será eficaz, pois diversos estudos científicos já demonstraram os benefícios do colágeno hidrolisado, em especial dos peptídeos bioativos do tipo 1 e do colágeno tipo 2 não desnaturado.

E por último, mas não menos importante… os possíveis efeitos colaterais…

Referente a composição, Dra. Simone alerta que alguns suplementos são feitos a partir da pele/escamas de peixe, assim, pessoas com alergia a peixes ou frutos do mar devem optar por um suplemento obtido a partir de subprodutos de bovinos, suínos ou aves.

Algumas pessoas podem ter efeitos colaterais digestivos, como sensação de plenitude ou azia. Contudo, esses suplementos são seguros para a maioria das pessoas.

Quer saber mais?

Que tal um desconto especial para experimentar o melhor colágeno para a pele?

Referências:

HONG, H.; FAN, H.; CHALAMAIAH, M; WU, J. Preparation of low-molecular-weight, collagen hydrolysates (peptides): Current progress, challenges, and future perspectives. Food Chem. 2019 Dec 15;301:125222. doi: 10.1016/j.foodchem.2019.125222. Epub 2019 Jul 22. PMID: 31382108.

LUGO, . P.; SAIYED, Z.M.; LANE, N.E. Efficacy and tolerability of an undenatured type II collagen supplement in modulating knee osteoarthritis symptoms: a multicenter randomized, double-blind, placebo-controlled study. Nutrition journal, v. 15, n. 1, p. 14, 2015.

MONRO, J.A.; LEON, R.; PURI, B.K.. The risk of lead contamination in bone broth diets. Medical Hypotheses, [s.l.], v. 80, n. 4, p.389-390, abr. 2013.

PROKSCH, E. et al. Oral Supplementation of Specific Collagen Peptides Has Beneficial Effects on Human Skin Physiology: A Double-Blind, PlaceboControlled Study. Skin Pharmacology And Physiology, [s.l.], v. 27, n. 1, p.47-55, 2014. 

VHITA. Grávida pode tomar colágeno? Benefícios e riscos. Blog Vhita. São Paulo, 20 de junho de 2018. Disponível em: https://blog.vhita.com.br/gravida-pode-tomar-colageno/

 
Anterior

Importância da rotina de skincare para a saúde da sua pele

Qual o melhor tipo de Colágeno: diferenças e para que servem

Próximo

Deixe um comentário