Pular para o conteúdo
Home » Todos os posts » Qual a importância do magnésio para os ossos?

Qual a importância do magnésio para os ossos?

mulher se exercitando com foco na saúde dos ossos
8 minutos de leitura

Para se manterem saudáveis, os ossos necessitam de diversos nutrientes. Geralmente, o mais lembrado é o cálcio. Mas, o que poucas pessoas sabem é que o magnésio é tão importante quanto ele!

O magnésio para ossos é essencial para a manutenção da sua boa saúde e prevenção de doenças. Inclusive, os baixos níveis de magnésio podem levar a taxas baixas de cálcio e vitamina D no organismo.

Ou seja, há uma grande conexão do nutriente, que, se não for considerada, pode favorecer as doenças ósseas.

Quais os benefícios do magnésio para os ossos?

Os benefícios do magnésio para os ossos estão associados à formação e manutenção da massa óssea. 

  • Formação óssea 

Metade da quantidade total do mineral do corpo está nos ossos, pois o magnésio faz parte da sua composição. 

  • Produção de calcitonina

Ele também estimula a produção de calcitonina, hormônio responsável por direcionar o cálcio do sangue para os ossos. Dessa forma, previne o acúmulo de cálcio na corrente sanguínea, o que pode gerar pedras nos rins.

  • Regula a ação do paratormônio

Além disso, o magnésio também regula a ação do paratormônio, evitando a retirada excessiva de cálcio dos ossos e perda de massa óssea.

  • Ativação da Vitamina D

Ademais, o magnésio é crucial para converter a vitamina D inativa em ativa. A qual é importante para a absorção do cálcio e a sua fixação nos ossos.

mulher com dores nos ossos da coluna

O papel do magnésio na prevenção da osteoporose

A osteoporose é uma doença na qual há a redução da massa óssea, fazendo com que os ossos fiquem quebradiços e frágeis. 

Consequentemente, há o maior risco de fraturas, especialmente no quadril, coluna, fêmur e braço.

Os sintomas mais comuns são: 

  • Dores ósseas (principalmente nas costas e no quadril)
  • Sensação de formigamento nas pernas
  • Postura curvada
  • Redução da altura de pelo menos 2 cm.

Em grande parte dos casos, muitas pessoas fazem apenas a suplementação de cálcio e vitamina D para a prevenção e tratamento da osteoporose.

No entanto, o magnésio para os ossos também é um mineral de grande importância devido às suas atividades na formação e manutenção da saúde óssea.

À vista disso, a carência de magnésio no corpo também aumenta o risco para osteoporose. Podendo, inclusive, levar também a deficiência de cálcio e vitamina D.

Vale ressaltar que suplementar o cálcio de forma isolada pode levar a um desequilíbrio no corpo, favorecendo a diminuição na absorção de magnésio.

Qual é o melhor magnésio para os ossos?

O melhor magnésio para os ossos é o magnésio quelato

O tipo quelado corresponde a um grupo de fontes do mineral que incluem o dimalato, bisglicinato, taurato, treonato, citrato e entre outros.

Sua principal característica é que o magnésio está ligado a um composto orgânico. Isso leva a melhor absorção do suplemento pelo organismo e menores risco de efeitos adversos.

A combinação de dois tipos de magnésio quelado otimiza ainda mais a absorção do nutriente no corpo humano.

Outros pontos importantes para a saúde dos ossos são:

  • Dose diária de 200 a 350mg: A recomendação para a reposição do magnésio e prevenção de inadequações e deficiências;
  • Alta concentração: Atingir a recomendação de 200 a 350mg em no máximo 2 cápsulas;
  • Presença de Vitamina B6: Essa vitamina auxilia na entrada de magnésio nas células, onde o mineral desempenha seus principais benefícios.

Outras doenças que acometem os ossos

Além da osteoporose, há também outras doenças comuns que podem acometer os ossos. Conheça abaixo quais são elas, quando surgem e os seus sintomas!

Osteoartrite

A osteoartrite é uma doença que provoca alterações ósseas e desgastes nas cartilagens articulares. Ela pode ocorrer devido ao envelhecimento natural, sendo mais comum em pessoas a partir dos 70 anos. Mas, também pode surgir antes dessa idade.

Além disso, a osteoartrite também pode ser desenvolvida devido a movimentos repetitivos e esforços físicos intensos e contínuos.

Os seus sintomas incluem perda de flexibilidade, dores articulares e ósseas, rigidez e sensibilidade nas articulações.

Na maioria dos casos, o tratamento é feito com fisioterapia, medicamentos corticoides, analgésicos, exercícios físicos, alimentação saudável e terapia ocupacional. Em casos mais graves, pode ser necessário cirurgia de reabilitação.

Osteomalácia

A osteomalácia é uma doença na qual há o amolecimento dos ossos. Sendo mais comum em crianças, adolescentes ou adultos jovens.

No geral, a principal causa desta doença é a carência de nutrientes, sobretudo o cálcio, fósforo, vitamina D e magnésio. 

Isso porque, sem eles, a massa óssea não é formada adequadamente. O que gera a má formação dos ossos.

Por isso, o tratamento da osteomalácia envolve a suplementação destes nutrientes em doses adequadas e com orientação médica e/ou nutricional.

Doença de Paget

A doença de Paget é uma enfermidade metabólica em que há uma falha na substituição do tecido ósseo antigo pelo novo.

Essa doença costuma ser bastante comum entre os idosos europeus, especialmente aqueles que têm parentes com essa mesma patologia.

De modo geral, acredita-se que a doença de Paget ocorre por questões genéticas. Sendo uma doença crônica e sem cura.

Com isso, ela pode levar ao enfraquecimento e aumento dos ossos. Por isso, é necessário fazer o tratamento correto para evitar a sua progressão.

Na maioria dos casos, o tratamento é feito à base de medicamentos bifosfonatos, os quais ajudam a retardar a doença e evitar as dores.

Em situações mais graves, cirurgias também podem ser necessárias para restaurar complicações, como desalinhamentos e fraturas.

Além disso, é importante também que haja a prática regular de exercícios físicos e uma alimentação equilibrada. Uma vez que a ingestão adequada de nutrientes é fundamental para a boa saúde dos ossos.

Osteogênese imperfeita

A osteogênese imperfeita é uma doença genética na qual os ossos ficam frágeis, deformados e curtos. 

Embora seja rara, ela pode ocorrer desde o nascimento da criança. Sendo causada devido a um defeito no gene que estimula a produção de colágeno.

Os seus sintomas envolvem facilidade para fraturas, perda da audição, tom azulado no branco dos olhos e dores ósseas.

Como não tem cura, o tratamento envolve medicamentos para alívio da dor e prevenção das complicações. Podendo também ser necessário cirurgias para reparos das complicações.

mulher segurando cápsulas

Outros nutrientes importantes para a saúde dos ossos

1. Cálcio

O cálcio é o mineral principal para a boa saúde dos ossos. Visto que ele está presente na massa óssea, oferecendo a estruturação para esses tecidos.

2. Vitamina D

Além de favorecer a absorção do cálcio no organismo, a vitamina D também é responsável por estimular a devida atividade deste mineral. Sem contar que a deficiência de vitamina D também pode levar a carência de cálcio.

3. Vitamina K

A vitamina K é um nutriente que favorece a fixação do cálcio nos ossos. Sendo então crucial para a prevenção da osteoporose e das demais doenças ósseas degenerativas.

Além disso, ela também é importante para evitar hemorragias, já que atua no processo de coagulação sanguínea.

4. Zinco

O zinco é um mineral fundamental para a formação de novos tecidos. Com isso, ele ajuda na produção adequada das células ósseas e em sua manutenção.

Quer saber mais?

Referências

BARBAGALLO, M.; VERONESE, N.; DOMINGUEZ, L. J. Magnesium in Aging, Health and Diseases. Nutrientes. Palermo, Itália, v. 13, n. 463, p. 1-20, 2021

GROBER, U.; SCHMIDT, J.; KISTERS, K. Magnesium in Prevention and Therapy. Nutrients. v. 7, p. 8199-8226, 2015.

GUERERA, M. P.; VOLPE, S. L.; MAO, J. J. Therapeutic Uses of Magnesium. American Family Physician. v. 80, n. 2, p. 157-162, 2009.

SEVERO, J. S. et al. Aspectos Metabólicos e Nutricionais do Magnésio. Nutrición Clínica Y Dietética Hospitalaria. v. 35, n. 2, p. 67-74, 2015.

2/5 - (1 voto(s))

Nutricionista pela Universidade de São Paulo (USP).

Experiência acadêmica em pesquisa científica, trabalhando com projeto sobre tratamento de epilepsia com dieta cetogênica. Atuação em educação alimentar, desenvolvendo curso de capacitação para professores da rede pública sobre nutrição.

Trabalha com marketing de conteúdo, com foco na divulgação de informação de qualidade baseada em ciência sobre alimentação e suplementação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 + 12 =


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.