Pular para o conteúdo
Home » Todos os posts » Ômega 3 é bom para memória? Nutricionista explica

Ômega 3 é bom para memória? Nutricionista explica

Mulher com blusa listrada e cabelo amarrado apontando para a cabeça
4 minutos de leitura

O ômega 3 é um dos principais constituintes do cérebro. Cerca de 60% do órgão é formado por gordura, desse total 20% é ômega 3.

Além desse papel essencial na constituição do cérebro, o ômega 3 é bom para a memória pois também atua na comunicação entre os neurônios, as células do cérebro.

É através do impulsos nervosos entre neurônios que os processos cognitivos, incluindo a memória, se formam e delimitam. Dessa forma, tornando o consumo adequado de ômega 3 essencial para o processo.

Por que o ômega 3 é bom para a memória?

Um dos principais motivos para as pessoas começarem a suplementação de ômega 3 é pela sua atuação na memória. E isso não está errado, o ômega 3 é um ótimo aliado para a memória.

Isso acontece porque o ômega 3 tem uma função muito importante no sistema nervoso, ele protege e fortalece suas células. Então, esse nutriente vai contribuir para a memória, concentração mental e auxiliar nos processos de aprendizagem. 

Um estudo feito com crianças, de todas as idades, comprovou que o ômega 3 auxilia nos processos de aprendizagem e fortalece a memória. Então, sua suplementação vai ser ótima para quem está em fase de desenvolvimento. 

Mas não só para essa faixa etária, quem quiser melhorar suas capacidades de aprendizagem e fortalecer a memória também deve apostar no ômega 3.

Além disso, o ômega 3 ajuda na prevenção e no tratamento de doenças cerebrais, como Alzheimer e esquizofrenia, que é comum em idosos. 

Qual ômega 3 é bom para memória?

Como mencionado, 20% de toda a gordura que constitui o cérebro é ômega 3. Porém, esse grupo é formado por diferentes representantes com estruturas químicas similares.

A principal encontrada no cérebro é o ácido docosaexaenoico (DHA). Esse tipo de ômega 3 é encontrado em alimentos de origem animal, normalmente junto ao ácido eicosapentaenoico (EPA).

Quando o foco é consumir ômega 3 para memória, procure boas fontes de DHA.

Quem pode consumir ômega 3 para memória?

O ômega 3 é uma gordura essencial para o nosso corpo, então não tem contraindicações e é recomendada para todas as idades como vitamina para memória.

Ela vai promover benefícios para quem está em qualquer etapa da vida, desde crianças até idosos.

Por isso, a recomendação é que todos façam a suplementação do ômega 3 para obter suas melhorias. 

No geral, a dose recomendada diariamente é de 1200 mg de ômega 3, mas pode variar de acordo com as necessidades de cada um. Então, procure orientação médica para adequar sua suplementação e garanta os benefícios do ômega 3.

Fontes de ômega 3 para a memória

O ômega 3 é uma gordura boa e essencial para o corpo humano, é considerada, segundo a biologia, um ácido graxo poli-insaturado. 

Nós não conseguimos produzir essa substância naturalmente, então precisamos adquiri-la por meio da alimentação ou suplementação.

Ela está presente em alimentos de origem animal, como salmão, sardinha, óleo de bacalhau, ou vegetais, como sementes de chia ou linhaça. Outra maneira de consumir ômega 3 é por meio da suplementação

criança estudando

Como tomar ômega 3 para estudar?

O ômega 3 não é um nutriente de ação imediata. Diferente de, por exemplo, a cafeína que, quando consumida, proporciona benefícios quase imediatos para a cognição.

Para exercer benefícios para a memória e estudos, o consumo de ômega 3 deve ser contínuo e diário. 

A ingestão não precisa ser realizada próxima ao horário de estudos, porém é recomendado o consumo próximo às refeições principais para diminuir o gosto residual de peixe e otimizar a absorção de vitaminas lipossolúveis.

Quer saber mais?

Referências

Waitzberg, Dan L., and Priscila Garla. “Contribución de los ácidos grasos Omega-3 para la memoria y la función cognitiva.” Nutrición Hospitalaria 30.3 (2014): 467-477.

GONZÁLEZ, Francisca Echeverría; BÁEZ, Rodrigo Valenzuela. IN TIME: IMPORTÂNCIA DOS ÔMEGA 3 NA NUTRIÇÃO INFANTIL. Revista Paulista de Pediatria, v. 35, n. 1, p. 3-4, 2017.

5/5 - (3 voto(s))
Priscila Gontijo Correa

Nutricionista e Mestre em Ciências pela UNIFESP.

Experiência acadêmica em pesquisa científica. Atua como professora convidada em cursos de graduação e pós graduação na área da saúde.

Profissional com sólida formação em pesquisa e inovação. Atua na interseção entre o desenvolvimento de produtos com base em ciências e inovação para a saúde, e o marketing de conteúdo.

Marcações:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.