Pular para o conteúdo
Home » Todos os posts » 9 melhores vitaminas para memória

9 melhores vitaminas para memória

mulher jovem com dificuldade em ler um livro
8 minutos de leitura

A cada dia que passa, cresce mais a preocupação sobre como manter a memória e cognição boas mesmo com o avançar da idade.

Contudo, mesmo quando esforços e exercícios são feitos com a intenção de melhorar estes aspectos, o funcionamento cerebral passa por irregularidades, principalmente após os 40 anos.

Para impedir que a memória diminua e a capacidade de concentração e reflexos mantenham-se normalizadas, existem as vitaminas e os suplementos.

Logo, nem toda vitamina e nem todo suplemento é indicado para melhorar a memória e manter a cognição funcionando corretamente.

Existem algumas vitaminas que produzem efeitos mais protetores do que outras e os motivos pelos quais são mais efetivas são diversos.

Por isso, hoje você vai ver quais são as melhores opções de vitamina e suplementos para memória, de acordo com a ciência.

1. Magnésio

O magnésio é o quarto mineral mais abundante no organismo e manter seus níveis adequados é uma obrigação quando se trata de prevenção de problemas na memória.

Nesse sentido, a ciência afirma que níveis adequados de magnésio no cérebro contribuem para o aumento e melhor funcionamento das funções cerebrais.

Além disso, o magnésio melhora o aprendizado e a memória de curto e longo prazo, aumentando a densidade e elasticidade das sinapses nervosas existentes na área que corresponde a memória.

Sendo assim, o magnésio é uma das primeiras opções a serem analisadas quando o assunto é manter a boa memória.

2. Vitamina D

A vitamina D é muito fácil de ser metabolizada e absorvida, afinal, a luz solar é sua principal fonte, no entanto, é alto o número de pessoas que possuem deficiência desta substância.

Todavia, sua deficiência causa efeitos notáveis no funcionamento do cérebro e ainda que você se considere saudável, a chance de ter problemas cerebrais em virtude da falta de vitamina D é alta.

Logo, estudos têm associado a redução da memória e cognição com a falta de vitamina D, o que indica que ela é benéfica para melhorar essas funções.

Sem contar que ela também é importante para prevenir a osteoporose e contribuir para o fortalecimento do sistema ósseo e dentário, pois aumenta a absorção de cálcio.

cápsulas de ômega 3

3. Ômega 3 

Se tem um suplemento que é referência quando o assunto é memória e cognição, este suplemento é o ômega 3.

Afinal, esta gordura proporciona inúmeros benefícios para o organismo, além de aumentar a expectativa de vida.

Como faz parte do revestimento das membranas cerebrais e é um ácido graxo constituinte dessas células, seu consumo é eficaz para manter a boa memória.

Por sua vez, o ômega 3 deve ser tomado todos os dias após os 40 anos e em situações como gestação, doenças cardíacas e degenerativas.

4. Zinco 

O zinco é um mineral riquíssimo em compostos antioxidantes, que neutralizam a ação dos radicais livres.

Dessa forma, ele melhora a capacidade cognitiva, diminuindo o cansaço mental e a fadiga, aumentando o foco e assimilação.

Na memória, o zinco é eficaz no combate a doenças como o Alzheimer e auxilia na agilidade do pensamento.

Portanto, é mais uma das várias formas de impedir o declínio da memória e capacidade cerebral.

5. Colina 

A colina é um nutriente existente nas vitaminas do Complexo B, tendo como principal função a síntese de acetilcolina.

A acetilcolina age diretamente na transmissão dos impulsos nervosos, acelerando e liberando os neurotransmissores.

Sendo assim, é um suplemento bastante eficaz para a memória e capacidade de pensar, sendo encontrada em alimentos como ovos, laticínios, frango, carne de boi e cereais integrais.

No entanto, para um efeito mais notável é indicado a suplementação diária por um período mínimo de 1 mês.

6. Luteína

A Luteína é um carotenóide, que tem sido descrita como mantenedora da jovialidade do cérebro, mesmo com o avançar da idade.

Assim, algumas pesquisas afirmam  que doses concentradas de luteína no cérebro podem aumentar o QI de crianças e adolescentes.

Logo, consumir alimentos ricos em Luteína é uma alternativa válida para quem está em fase de aprendizado ou quer manter a memória sadia.

Alguns exemplos de alimentos ricos em luteína são brócolis, espinafre, laranja, limão, milho, ervilha, vegetais verde escuros e alimentos cítricos. 

7. Vitamina B6 

As vitaminas do Complexo B são fundamentais para manter a saúde do cérebro, e a vitamina B6 não pode ser esquecida.

Esta vitamina influencia na formação da bainha de mielina, que é responsável pela condução dos impulsos elétricos nos neurônios.

Então, uma alimentação rica em vitamina B6 é eficaz na manutenção da memória, evita a perda da cognição e diminui o risco de doenças como Parkinson e o já mencionado Alzheimer.

Além disso, a suplementação de B6 evita o acúmulo de homocisteína, uma substância que em níveis elevados aumenta o fator de risco para o surgimento de transtornos neuropsiquiátricos. 

grão de café e xícara de café

8. Cafeína

Muita gente utiliza a cafeína para aumentar a energia e vigor para as atividades do dia, porém, poucos sabem que a cafeína também é útil para a memória.

Por ser estimulante do sistema nervoso central, a cafeína eleva a concentração e protege o cérebro contra a demência e esquizofrenia.

Em um estudo feito pela Universidade Johns Hopkins, dos Estados Unidos, os pesquisadores descobriram que a cafeína prolonga a memória de curto prazo por até 24 horas após sua ingestão.

Assim, é uma alternativa acessível e saudável para quem precisa melhorar a capacidade de memória e atenção.

9. Vitamina C

Famosa por melhorar a imunidade e contribuir para a redução do estresse oxidativo, a vitamina C é uma boa opção para a memória.

Por sua vez, de acordo com a Universidade Flinders da Austrália, a deficiência de vitamina C prejudica a cognição, principalmente nas pessoas mais velhas.

Sendo assim, a suplementação é eficiente também para manter o cérebro sadio e a memória eficiente.

Pois o declínio da cognição causa dificuldades para concentrar-se, impede a tomada de decisões e aumenta o risco de depressão.

Essas foram as 9 melhores opções de vitaminas e suplementos para a memória, lembre-se que a suplementação de qualquer uma dessas opções deve ser prescrita e supervisionada por um médico ou profissional da nutrição.

Conheça o suplemento de vitamina C da Vhita!

Quer saber mais?

Referências: 

Lopresti AL, Smith SJ, Drummond PD. Os efeitos da suplementação de luteína e zeaxantina na função cognitiva em adultos com queixas cognitivas leves auto-relatadas: um estudo randomizado, duplo-cego, controlado por placebo. Frente Nutr. 17 de fevereiro de 2022;9:843512. 

Sharma Y, Popescu A, Horwood C, Hakendorf P, Thompson C. Relationship between Vitamin C Deficiency and Cognitive Impairment in Older Hospitalised Patients: A Cross-Sectional Study. Antioxidants (Basel). 2022 Feb 26;11(3):463. 

Cooper RE, Tye C, Kuntsi J, Vassos E, Asherson P. Omega-3 polyunsaturated fatty acid supplementation and cognition: A systematic review and meta-analysis. J Psychopharmacol. 2015 Jul;29(7):753-63. 

Liu C, Cheng Y, Guo Y, Qian H. Magnesium-L-threonate alleviate colonic inflammation and memory impairment in chronic-plus-binge alcohol feeding mice. Brain Res Bull. 2021 Sep;174:184-193. 

Juan SMA, Adlard PA. Ageing and Cognition. Subcell Biochem. 2019;91:107-122. 

Gromova OA, Torshin IY, Pronin AV, Kilchevsky MA. Synergistic application of zinc and vitamin C to support memory, attention and the reduction of the risk of the neurological diseases. Zh Nevrol Psikhiatr Im S S Korsakova. 2017;117(7):112-119. Russian. 

Nakazaki E, Mah E, Sanoshy K, Citrolo D, Watanabe F. Citicoline and Memory Function in Healthy Older Adults: A Randomized, Double-Blind, Placebo-Controlled Clinical Trial. J Nutr. 2021 Aug 7;151(8):2153-2160. 

Browne K, Zhang E, Sullivan JK, Evonuk KS, DeSilva TM, Jorgensen TN. Lupus-prone B6.Nba2 male and female mice display anti-DWEYS reactivity and a neuropsychiatric phenotype. Brain Behav Immun. 2021 May;94:175-184.

4.7/5 - (3 voto(s))

Nutricionista pela Universidade de São Paulo (USP).

Experiência acadêmica em pesquisa científica, trabalhando com projeto sobre tratamento de epilepsia com dieta cetogênica. Atuação em educação alimentar, desenvolvendo curso de capacitação para professores da rede pública sobre nutrição.

Trabalha com marketing de conteúdo, com foco na divulgação de informação de qualidade baseada em ciência sobre alimentação e suplementação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.