Pular para o conteúdo
Home » Qual o melhor ômega 3 para idosos? Entenda os benefícios

Qual o melhor ômega 3 para idosos? Entenda os benefícios

Qual o melhor ômega 3 para idosos? Uma mulher idosa segurando uma cápsula de ômega 3
6 minutos de leitura

Conforme envelhecemos, ficamos mais expostos ao desenvolvimento de diversas doenças e condições. No entanto, mudanças no estilo de vida, atividade física e a alimentação podem auxiliar na prevenção de algumas condições.

Entre os nutrientes que podem melhorar a qualidade de vida e a saúde na fase idosa está o ômega 3. Essa gordura essencial que não produzimos naturalmente e precisa ser consumida através da alimentação tem diversas propriedades benéficas. 

Entre elas podemos citar a prevenção do declínio cognitivo, doença de Alzheimer, sarcopenia, doenças cardiovasculares e diabetes. Abaixo falaremos mais sobre cada benefício e como escolher o melhor ômega 3 para idosos.

Quais são os benefícios do consumo de ômega 3 para idosos?

Para falar sobre os benefícios do ômega 3 para idosos devemos relembrar que esse termo se refere a uma família de gorduras com estrutura similar, onde o EPA e o DHA são os principais responsáveis pelos benefícios do nutriente no corpo humano.

1. Cognição

O declínio progressivo das funções cognitivas como com prejuízo da memória, problemas de comportamento e perda de habilidades sociais acomete grande parcela da população idosa.

Baixos níveis sanguíneos e de ingestão de DHA estão diretamente relacionados com o declínio cognitivo, devido ao importante papel que ele desempenha para as funções cerebrais.

O DHA é um dos principais componentes das membranas de neurônios do cérebro. Representando cerca de 50% do total de ácidos graxos poliinsaturados do sistema nervoso central.

2. Doença de Alzheimer

De acordo com o Ministério da Saúde, a doença de Alzheimer é “um transtorno neurodegenerativo progressivo, que se manifesta pela deterioração cognitiva e da memória, com comprometimento progressivo das atividades de vida diária e uma variedade de sintomas neuropsiquiátricos e de alterações comportamentais”. 

A ação do DHA também está relacionada com a prevenção e tratamento da doença. Bons níveis de ômega 3 no organismo estão relacionados a um risco 39% menor de desenvolver o Alzheimer.

Comparados com uma população idosa saudável, pacientes com Alzheimer apresentam menores níveis de DHA no cérebro e no fluido cerebroespinhal. A suplementação preventiva ou nos estágios iniciais da doenças apresenta os melhores resultados.

3. Sarcopenia

A sarcopenia é a perda da massa muscular, com redução da força e sustentação do corpo. Essa doença está diretamente associada à desnutrição, comum em idosos por redução do apetite, alterações no paladar e possíveis problemas de deglutição.

A sarcopenia é favorecida por um estado inflamatório, que promove a perda de massa muscular. O ômega 3, principalmente o EPA, tem papel anti inflamatório, podendo auxiliar na prevenção e combate do quadro.

Além disso, o nutriente também desempenha papel no estímulo à síntese de massa muscular. A manutenção e ganho de massa muscular é um dos principais indicadores de qualidade de vida entre idosos.

4. Doenças Cardiovasculares

Você sabia que as doenças cardiovasculares são consideradas a principal causa de morte no mundo nos últimos 20 anos? O dado foi divulgado pela Organização Mundial da Saúde com base em dados coletados entre 2000 a 2019.

O ômega 3 auxilia na promoção e recuperação da saúde cardiovascular, através da redução dos níveis de triglicerídeos e no controle do colesterol, que são a base para a prevenção de doenças como a aterosclerose e o infarto agudo do miocárdio.

Como escolher o melhor ômega 3 para idosos?

O ômega 3 tem diversos potenciais de aplicação no tratamento e prevenção de doenças relacionadas ao envelhecimento. Porém, entre tantas marcas no mercado que oferecem o suplemento, qual o melhor ômega 3 para idosos?

1. Alta concentração de ômega 3 por cápsula

Você sabia que cada cápsula de ômega 3 não é composta somente pelo nutriente? Escolha as marcas que oferecem no mínimo 70% de concentração por cápsula, uma alta concentração é sinal de qualidade.

Ou seja, em uma cápsula de 1000mg (peso normal de um cápsula, porém pode variar entre marcas), caso a concentração seja de 70%, no mínimo 700 mg devem ser compostos por EPA e DHA. 

2. Mínimo de 1200 mg de EPA e DHA na porção

A recomendação de ômega 3 pode variar de 1200 a 3000 mg a depender de características individuais e a doença alvo do tratamento. No entanto, um bom ômega 3 deve oferecer a recomendação mínima na porção recomendada.

A “porção” é uma recomendação que a marca faz de quantas cápsulas consumir ao dia, que deve atingir o mínimo de 1200mg de EPA + DHA. 

3. Vitamina E

O ômega 3 é uma gordura e pode sofrer alterações em sua estrutura, principalmente pelo ataque de radicais livres, perdendo sua função e benefícios. 

Uma forma de proteger o seu produto contra esse danos é adicionando um antioxidante. A Vitamina E cumpre esse papel quando presente na formulação do suplemento.

Diferente da grande maioria das opções disponíveis no mercado, a Vitamina E é um antioxidante natural, além de ser um nutriente importante para o corpo humano, adicionando mais um benefício ao produto.

4. Certificado de qualidade e Selo IFOS

As três características são importantes para um bom suplemento. No entanto, documentos técnicos como o certificado de qualidade e o selo IFOS asseguram a pureza da matéria-prima e a segurança do suplemento.

O selo IFOS é o principal deles, pois é específico para averiguar os suplementos de ômega 3, garantindo que o produto é uma boa fonte de ômega 3 e livre de contaminantes, como os metais pesados.

5. Melhor custo-benefício

A recomendação do uso de ômega 3 para prevenção e tratamento de doenças do envelhecimento é de longo termo. O uso de um suplemento por longos períodos acarreta em gastos.

Portanto, para escolher qual o melhor ômega 3 para idosos também devemos verificar o preço por dose. Esse preço indica o custo-benefício, pois verifica o valor gasto por dia da suplementação.

Para encontrar o preço por dose basta dividir o número total de cápsula pelo número de cápsulas recomendadas na porção, assim você descobre a duração do produto em dias. 

Depois divida o valor total pela duração em dias, encontrando o valor de cada dose. Exemplo: Um ômega 3 com 60 cápsulas e 2 cápsulas por porção, terá duração de 30 dias. Dividindo o valor de R$129,00 por 30, o preço por dose é R$4,30.

Quer saber mais?

Referências:

Troesch B, Eggersdorfer M, Laviano A, Rolland Y, Smith AD, Warnke I, Weimann A, Calder PC. Expert Opinion on Benefits of Long-Chain Omega-3 Fatty Acids (DHA and EPA) in Aging and Clinical Nutrition. Nutrients. 2020 Aug 24;12(9):2555.

Ministério da Saúde. Brasília, 2020. Disponível em: <https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/saude-de-a-a-z/a/alzheimer>. Acesso em: 30 jul. 2022.

Organização Pan-Americana da Saúde. Washington, 2020. Disponível em: <https://www.paho.org/pt/noticias/9-12-2020-oms-revela-principais-causas-morte-e-incapacidade-em-todo-mundo-entre-2000-e>. Acesso em: 30 jul. 2022.

Avalie este post
nutricionista maria eduarda fortes

Nutricionista pela Universidade de São Paulo (USP).

Experiência acadêmica em pesquisa científica, trabalhando com projeto sobre tratamento de epilepsia com dieta cetogênica. Atuação em educação alimentar, desenvolvendo curso de capacitação para professores da rede pública sobre nutrição.

Trabalha com marketing de conteúdo, com foco na divulgação de informação de qualidade baseada em ciência sobre alimentação e suplementação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.