A sarcopenia é uma condição que acontece naturalmente com o avanço da idade.  A palavra sarcopenia surgiu no final do século XX, por Irving Rosenberg, de origem grega, com o significado de “perda de massa magra”.

Esse processo natural acontece por diversos fatores: questões nutricionais relacionados a perda de apetite, alterações hormonais, maior inflamação com aumento da idade, perda de fibras musculares tipo II, etc. 

Porém, apesar de incomum, a perda muscular progressiva pode iniciar antes da terceira idade. E pode atingir adultos jovens, que podem desenvolver a sarcopenia como resposta a outras doenças, como a obesidade, o câncer e doenças neurodegenerativas.

Saiba quais são as situações que a sarcopenia acontece precocemente, e como a nutrição pode auxiliar no tratamento.

Apesar da sarcopenia  ser muito comum em idosos, alguns fatores e até outras doenças, podem contribuir para que adultos  também desenvolvam sarcopenia. Saiba agora quais são as principais:

OBESIDADE SARCOPÊNICA

Em situações normais, o ganho de peso que leva a obesidade em adultos e idosos, é tanto de massa gorda quanto de massa muscular. Mas, às vezes, o ganho de massa gorda pode ser predominante e não ser acompanhado de massa muscular, isso acontece por diversos fatores, principalmente devido o sedentarismo e hábitos alimentares ruins.

Além disso, o aumento da massa gorda acentua a produção de moléculas inflamatórias, resultando na perda de massa muscular. 

Dessa forma, quando  o aumento de peso é muito elevado, desenvolvendo a obesidade, o ganho predominante é de massa gorda, podendo levar à condição chamada de obesidade sarcopênica, caracterizada pelo excesso de gordura e falta de massa muscular.

PARALISIA CEREBRAL

A maioria dos adultos com paralisia cerebral enfrentam problemas motores, que diminuem a mobilidade e aumentam o risco de sarcopenia.

Um estudo recentemente publicado avaliou a relação da sarcopenia em adultos com paralisia cerebral. Ao avaliar homens e mulheres com uma média de 42 anos, encontraram uma maior relação de risco de sarcopenia do que com a população saudável. 

Mesmo com a pouca idade, portadores de paralisia cerebral estão propensos ao desenvolvimento precoce da sarcopenia.

CÂNCER E SARCOPENIA 

O câncer é uma doença grave, apesar do seu alto índice de mortalidade, o desenvolvimento de novos tratamentos aumentam cada vez mais as chances de cura do paciente. 

Porém, muitos efeitos colaterais ao tratamento ocorrem, e um desses efeitos é a perda de peso grave. Devido a fragilidade e a não aceitação de alimentos durante o tratamento, os pacientes correm o risco de desenvolver a sarcopenia. Contudo, diversas alternativas nutricionais podem ser abordadas para evitar essa situação tanto no hospital quanto em casa. 

No hospital é muito comum utilizar de dietas por sonda, chamadas de dieta enteral para garantir a oferta dos nutrientes ao organismo independente da ingestão dos alimentos via oral. 

E quando o paciente está em casa, ele possui orientações de dieta equilibrada e de suplementos proteicos. 

DIETA PARA SARCOPENIA 

Através de revisões de estudos científicos, é um consenso entre os estudiosos da área que dietas envolvendo suplementação proteica melhoram a mobilidade e a força de indivíduos com sarcopenia. Lembrando que a associação de dieta e exercícios promovem efeitos ainda melhores na sarcopenia.

Através do exercício com a dieta rica em proteínas fornecidas por alimentos ou suplementos, é possível aumentar a força muscular na parte inferior do corpo e melhorar a mobilidade. Enquanto outras abordagens nutricionais, como a restrição de calorias são menos eficazes. 

SUPLEMENTOS PARA SARCOPENIA

Dentre os suplementos proteicos usados para a sarcopenia, temos: whey protein, creatina, aminoácidos de cadeia ramificada e glutamina. E também outros suplementos de proteína ou aminoácidos isolados parecem ter participação importante na síntese proteica desses pacientes. 

Recentemente, estudos científicos mostraram efeito da suplementação de peptídeos bioativo de colágeno para o ganho de massa muscular em pacientes com sarcopenia.

COLÁGENO PARA OS MÚSCULOS

Estudos recentes, mostraram que tanto para idosos como em adultos a suplementação de colágeno é capaz de auxiliar o ganho de massa muscular e força.

Como a sarcopenia acontece principalmente em idosos, esse público em específico foi avaliado nas seguintes condições:

Idosos sarcopênicos:

  • Estudo feito com idosos sarcopênicos classe 1 e 2
  • 15g de colágeno BodyBalance® em conjunto com um protocolo de exercícios de força
  • Suplementação diária por 3 meses
  • Exercícios por 3 meses feitos 3x por semana
  • Resultado: Aumento de ganho de massa muscular e força

Até o momento não ter nenhum estudo publicado mostrando a avaliação da suplementação de colágeno com sarcopenia em outros públicos (jovens ou a associação de sarcopenia como doenças secundárias em adultos).

Mais existem estudos que tiveram como resultados o ganho de massa muscular e força tanto em homens jovens saudáveis e mulheres em período pré menopausa associado a prática de exercícios. 

Portanto, o colágeno também parece ser uma estratégia nutricional para combater a sarcopenia em idosos e para prevenção em adultos homens e mulheres. 

Quer saber mais?

Que tal um desconto especial para experimentar um suplemento de colágeno de altíssima qualidade específico para os músculos?

 

 

Referências:

MISRA, Devyani. Sarcopenic Obesity: An Undefined Dilemma. Osteoarthritis and cartilage, 2019.

JEON, Inpyo et al. Sarcopenia among adults with cerebral palsy in South Korea. PM&R, 2019.

DELUCHE, Elise et al. Impact of body composition on outcome in patients with early breast cancer. Supportive Care in Cancer, v. 26, n. 3, p. 861-868, 2018.

ANTON, Stephen D. et al. Nutrition and exercise in sarcopenia. Current Protein and Peptide Science, v. 19, n. 7, p. 649-667, 2018.

ZDZIEBLIK, Denise et al. Collagen peptide supplementation in combination with resistance training improves body composition and increases muscle strength in elderly sarcopenic men: a randomised controlled trialBritish Journal of Nutrition, v. 114, n. 8, p. 1237-1245, 2015.

JENDRICKE, Patrick et al. Specific collagen peptides in combination with resistance training improve body composition and regional muscle strength in premenopausal women: A randomized controlled trialNutrients, v. 11, n. 4, p. 892, 2019.

OERTZEN-HAGEMANN, Vanessa et al. Effects of 12 Weeks of Hypertrophy Resistance Exercise Training Combined with Collagen Peptide Supplementation on the Skeletal Muscle Proteome in Recreationally Active Men. Nutrients, v. 11, n. 5, p. 1072, 2019.