Recomendações de medicamentos são comuns depois de passarmos por cirurgias, sejam para aliviar a dor ou ajudar na recuperação. Os remédios mais indicados para essas horas são chamados de anti-inflamatórios. Neste post vamos te contar mais sobre eles e quando tomá-los. 

O que são anti-inflamatórios?

Os anti-inflamatórios são substâncias, como o próprio nome diz, que reduzem inflamações no organismo. Os medicamentos anti-inflamatórios impedem ou amenizam essa reação e minimizam sintomas comuns da inflamação, como a dor.

Também apresentam ação antipirética (redução da febre), e como a inflamação pode causar dor, eles acabam apresentando ação analgésica. Um exemplo muito comum de anti-inflamatório é o Ibuprofeno. 

Servem para melhor sintomas como:

  • Dor de cabeça
  • Dor nas costas
  • Cólicas em geral
  • Dor de dente
  • Febre
  • Artrite
  • Dores pós-cirúrgicas
  • Dores de lesões
  • Gripe e resfriado.

Pode tomar anti-inflamatório depois de cirurgias? 

Sim, os remédios anti-inflamatórios são muito recomendados após procedimentos cirúrgicos, para alívio de dores e desconfortos pós-operatórios e ajudar na recuperação do paciente.

A principal queixa de pacientes pós-cirúrgicos é de dor. A intensidade dessa dor varia de acordo com o procedimento que foi realizado, local da cirurgia e estado físico e psicológico do paciente, sendo o principal fator o local da cirurgia. 

Então, os anti-inflamatórios podem ser tomados e são comuns para quem passou por cirurgias. Esses medicamentos trazem um maior conforto para os pacientes depois de passarem por cirurgias.

Mas claro, devem ser tomados apenas com indicação médica, nos momentos necessários. Como cada caso é um caso, o remédio indicado também vai variar, de acordo com a necessidade do indivíduo, dependendo da intensidade da dor e do procedimento ao qual ele foi submetido. 

Anti-inflamatórios naturais

Além dos medicamentos existem alimentos que são anti-inflamatórios naturais. Eles vão agir reduzindo os processos de inflamação dentro do organismo.

Esses alimentos podem ser consumidos sem prescrição médica e fazem muito bem à saúde, podendo ser tomados no dia a dia e não apenas em casos de recuperação cirúrgica ou doenças inflmatórias. Alguns exemplos são: chia; linhaça; óleo de peixe; gengibre; amora; morango. 

Ômega 3 

Desses exemplos acima, vários são fontes de ômega 3, que é uma gordura boa para o corpo. O ômega 3 é um ótimo anti-inflamatório natural. Por isso, deve ser consumido por quem sofre com doenças inflamatórias, como artrite, bronquite, asma, pois ele reduz os desconfortos causados por essas situações. Além de proteger o sistema cardiovascular e nervoso. 

Veja mais sobre os dois principais tipos de ômega 3

EPA

Chamado ácido eicosapentaenoico, tem ação anti-inflamatória por meio da produção de substâncias denominadas prostaglandinas, que atuam na saúde cardiovascular e nos problemas circulatórios.

DHA

É o ácido decosahexaenoico atua na saúde cerebral, se destacando por sua ação na melhora dos processos de aprendizado, como o funcionamento da memória e proteção dos neurônios. 

Uso de ômega 3 depois de cirurgias 

Um estudo (1) analisou que pacientes que estavam passando por cirurgias cardíacas e suplementam ômega 3 depois da operação. Os resultados mostraram que esses indivíduos ficaram menos tempo internados e reduziram o risco de complicações pós-cirúrgicas.

Um outro estudo (2) fez uma análise de pacientes com câncer gastrointestinal, que passaram por cirurgias, também suplementando ômega 3. No processo pós-cirúrgico, eles tiveram uma recuperação mais rápida e melhora significativa dos sintomas inflamatórios causados pela cirurgia. 

Ou seja, o ômega 3 pode ser um bom aliado para a recuperação de procedimentos cirúrgicos, já que tem ação anti-inflamatória e ajuda na recuperação. 

Mas lembre-se, o uso de medicamentos e suplementos deve ser feito apenas com recomendação médica, seja qual for seu caso. Então, se você passar por um procedimento cirúrgico ou tiver sentir algum desconforto, siga as indicações de um profissional de saúde para uma recuperação sem complicações. 

Quer saber mais?

Referências: 

1- LANGLOIS, Pascal L.; HARDY, Gil; MANZANARES, William. Omega-3 polyunsaturated fatty acids in cardiac surgery patients: An updated systematic review and meta-analysis. Clinical Nutrition, 2017.

2- YU, Jing et al. Effects of omega-3 fatty acids on patients undergoing surgery for gastrointestinal malignancy: a systematic review and meta-analysis. BMC cancer, v. 17, n. 1, p. 271, 2017.

3- PEREIRA, Rodney Junqueira; MUNECHIKA, Masashi; SAKATA, Rioko Kimiko. Tratamento da dor após procedimento cirúrgico ambulatorial. Revista Dor, 2013.