Pular para o conteúdo
Home » Todos os posts » Magnésio transdérmico: para que serve e realmente funciona?

Magnésio transdérmico: para que serve e realmente funciona?

mulher usando magnesio transdermico na pele
5 minutos de leitura

O magnésio transdérmico é um suplemento no qual a aplicação ocorre através da pele. Dessa forma, sua indicação é para pessoas que sofrem de desconfortos gastrointestinais ao ingerir o magnésio via oral.

Logo, essa via de administração tem sido uma boa proposta para ajustar os níveis do mineral no organismo, de forma simples, efetiva e sem utilizar o trato gastrointestinal.

No entanto, existem poucos estudos que comprovam a eficácia do produto e se realmente atua na prevenção de inadequações e deficiências. A administração via oral ainda é mais recomendada.

Os efeitos colaterais comuns associados à suplementação oral, como diarreia, dores abdominais, náuseas e vômitos, podem ser evitados consumindo o suplemento junto de refeições e evitando os tipos de magnésio inorgânico (como cloreto ou sulfato).

Para que serve o magnésio transdérmico?

O magnésio transdérmico serve para normalizar os níveis de magnésio no organismo, com a aplicação através da pele. Uma vez que ele é administrado de forma tópica e não passa pelo sistema digestivo.

O magnésio transdérmico funciona mesmo?

O magnésio transdérmico parece funcionar e pode ser uma boa alternativa para as pessoas que sentem desconfortos com a suplementação oral, mas ainda está em fase de estudos. 

A suplementação tradicional via oral ainda é a opção mais segura para a prevenção de deficiência do nutriente.

Um estudo avaliou o efeito do creme transdérmico de magnésio nos níveis séricos e urinários de magnésio em humanos.

Para fazer a pesquisa, os especialistas utilizaram 25 participantes com idade entre 14 a 34 anos. Com isso, um grupo utilizou 56 mg de magnésio transdérmico por dia, durante duas semanas, enquanto o outro grupo aplicou um creme placebo.

Como resultado, os pesquisadores observaram que os participantes que aplicaram o creme de magnésio obtiveram um aumento relevante de magnésio sérico, cerca de 0,82 a 0,89 mmol/l.

Enquanto que o grupo placebo, não apresentou nenhuma alteração estatisticamente significativa.

No entanto, são necessários mais estudos para garantir se o magnésio transdérmico mantém os níveis adequados do nutriente no sangue, evitando inadequações e deficiências.

Qual a melhor opção: magnésio transdérmico ou oral?

Existem diferentes vias para a suplementação de magnésio, sendo a oral a mais tradicional e a melhor opção de escolha.

Algumas pessoas relatam sentir desconfortos gastrointestinais com o consumo do nutriente. No entanto, isso pode ser manejado com a utilização de diferentes tipos de magnésio e evitar a ingestão em jejum.

Formatos de magnésio inorgânico, como cloreto de magnésio e sulfato de magnésio, são mais associados aos efeitos adversos gastrointestinais, como náuseas, vômitos e diarréia.

As opções orgânicas ou queladas, como dimalato, bisglicinato, taurato e citrato, não causam os mesmos desconfortos na maior parte dos indivíduos, principalmente se consumido junto às refeições.

A suplementação de magnésio via oral é mais segura que a transdérmica, devido ao número de estudos e comprovação na prevenção de inadequações e deficiências.

embalagem de magnesio transdermico

Como usar o magnésio transdérmico?

O magnésio transdérmico costuma ser encontrado em forma de spray ou creme. Basicamente, eles possuem o mesmo modo de aplicação!

No caso do spray, basta borrifar na pele e massagear a região para estimular a absorção do mineral. Já no caso do creme, basta aplicar diretamente na pele e massagear o local.

Se o magnésio transdérmico for utilizado para normalizar os níveis séricos do mineral, o ideal é passá-lo nos braços e pernas.

Em contrapartida, se o objetivo é melhorar a enxaqueca, o ideal é aplicar na nuca. Já para alívio de dores musculares, o mais indicado é aplicar sobre o local machucado.

Quem pode usar?

O magnésio transdérmico pode ser utilizado por qualquer pessoa que precisa suplementar o mineral e sofre de desconfortos gastrointestinais ao utilizar o magnésio via oral.

Na maioria dos casos, isso costuma ocorrer em crianças, idosos ou indivíduos com o trato gastrointestinal comprometido.

Tem contra-indicações?

O magnésio transdérmico é contra-indicado para pessoas com insuficiência renal, úlceras e indivíduos com sensibilidade à formulação.

Também não é recomendado a utilização na pele lesionada ou irritada.

Como escolher o melhor magnésio transdérmico?

O melhor magnésio transdérmico é aquele que tem uma formulação hipoalergênica, não irritante, sem parabenos e BHT e que seja de fácil secagem.

Quer saber mais?

Referências

GROBER, U. et al. Myth or Reality—Transdermal Magnesium?. Nutrients. v. 9, n. 813, p. 1-8, 2017.

KASS, L. et al. Effect of transdermal magnesium cream on serum and urinary magnesium levels in humans: A pilot study. PLOS ONE. v. 12, n. 4, p. 1-11, 2017.

SOARES, S. J. et al. Aspectos Metabólicos e Nutricionais do Magnésio. Nutricíon Clínica Y Dietética Hospitalaria. v. 35, n. 2, p. 67-74, 2015.

Avalie este post

Nutricionista pela Universidade de São Paulo (USP).

Experiência acadêmica em pesquisa científica, trabalhando com projeto sobre tratamento de epilepsia com dieta cetogênica. Atuação em educação alimentar, desenvolvendo curso de capacitação para professores da rede pública sobre nutrição.

Trabalha com marketing de conteúdo, com foco na divulgação de informação de qualidade baseada em ciência sobre alimentação e suplementação.

2 comentários em “Magnésio transdérmico: para que serve e realmente funciona?”

    1. Não há uma regra estrita sobre se você pode aplicar durante o dia ou apenas à noite. No entanto, durante o dia, é importante usar protetor solar para proteger a pele dos raios UV. Se a solução líquida de cloreto de magnésio não interferir com outros produtos que você usa durante o dia e não causar sensibilidade à luz solar, pode ser aplicada durante o dia.
      Lembre-se de que a resposta da pele a produtos pode variar de pessoa para pessoa, então, ao introduzir algo novo na sua rotina de cuidados com a pele, é sempre bom ser cauteloso e observar qualquer reação.

      Se você tiver dúvidas sobre a aplicação específica do cloreto de magnésio na sua pele, é recomendável consultar um dermatologista. Eles podem fornecer orientações personalizadas com base no seu tipo de pele e necessidades.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.