Pular para o conteúdo
Home » Todos os posts » Melatonina infantil é segura para crianças?

Melatonina infantil é segura para crianças?

criança tomando melatonina infantil
7 minutos de leitura

Muitos associam melatonina a uma substância natural, quando na verdade trata-se de um hormônio.

Sendo assim, é válido repensar se a melatonina infantil é realmente necessária para as crianças, uma vez que altas doses de um mesmo hormônio no sangue podem interferir na produção de outros hormônios. 

Ainda não existe um veredito para afirmar com segurança seus efeitos na saúde das crianças.

Contudo existem fortes evidências de que alguns grupos podem se beneficiar com o uso da substância, na forma de suplemento, mediante prescrição médica.

Como a melatonina é produzida nas crianças?

Este hormônio é secretado através da glândula pineal, localizada nas profundezas do cérebro, e sua produção é responsável por regular o ciclo sono-vigília ou ritmo circadiano.

Contudo, a melatonina infantil é mais efetiva para tratar a latência do sono, que é a quantidade de tempo que as crianças levam para adormecer.

Além disso, também pode ser usada para combater a dificuldade de adaptação de fuso horário nas mudanças em que o jet lag aparece.

Por sua vez, o uso infantil apresenta efeitos que variam de entre crianças, já que existem diferentes distúrbios do sono que causam uma grande variabilidade no ritmo circadiano de cada pequeno.

Em estudos randomizados que avaliaram o tratamento com melatonina para crianças, verificou-se que o hormônio diminui o tempo para adormecer, variando entre 11 e 51 minutos.

Sendo assim, especialistas só recomendam o uso para aquelas que apresentam dificuldade elevada para dormir ou permanecer desacordadas durante a noite.

Uma vez que os efeitos do consumo prolongado da substância no crescimento e desenvolvimento das crianças ainda não são totalmente esclarecidos.

criança dormindo sob supervisão da sua mãe

Efeitos indesejados da melatonina infantil 

De modo geral, a melatonina infantil é segura para a maioria das crianças, desde que o uso seja de curto prazo.

No entanto, existem divergências na comunidade médica, com relação ao tamanho das doses e quanto a sua forma de administração.

Portanto, ainda é cedo para afirmar sobre os efeitos do uso prolongado de na saúde das crianças.

Veja a lista de efeitos colaterais que a melatonina infantil pode causar em crianças:

  • Dor de cabeça;
  • Sonolência;
  • Agitação;
  • Urina excessiva;
  • Enurese noturna ( xixi na cama);
  • Reação alérgica, quando tomada junto de outros medicamentos.

Influência no desenvolvimento e na puberdade

O uso indiscriminado de melatonina nas crianças pode afetar o desenvolvimento e a produção hormonal.

Além disso, pode antecipar a puberdade e o ciclo menstrual das meninas, com o aumento da produção da prolactina, hormônio que causa o desenvolvimento das mamas e produção de leite nas mulheres.

Cuidados na compra e manipulação

Como dito anteriormente, a melatonina infantil é segura, quando prescrita por médicos e profissionais da saúde.

Entretanto, este hormônio vendido como suplemento alimentar é suscetível a fraudes dos fabricantes, que muitas vezes não seguem as regras de medidas de segurança.

Neste caso, autoridades de saúde já encontraram outras substâncias que não seja o hormônio, sendo vendidas como melatonina.

Assim, uma pesquisa de 2017, realizada nos Estados Unidos, apontou que 31 marcas diferentes testadas e avaliadas, continham níveis do hormônio que não correspondiam à descrição do frasco.  

Outro dado preocupante é que 26% das amostras continham serotonina, outro hormônio que pode provocar efeitos prejudiciais, sobretudo nas crianças.

Portanto, caso seu filho precise utilizar, prefira marcas confiáveis e que possuam o selo de segurança e qualidade da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

criança dormindo bem

Dosagem Recomendada para as crianças 

Recomenda-se que a melatonina infantil só seja usada com supervisão profissional e deve-se evitar dar a melatonina adulta para este público.

Esta orientação é importante porque os níveis de melatonina para adultos excedem em grandes quantidades a recomendação de ingestão diária para as crianças.

Sendo assim, para melhorar o ciclo do sono, a melatonina para o público infantil deve ser tomada pelas crianças em doses que variam de 0,5 a 1mg por noite.

Logo, a cultura do quanto mais melhor não é válida nesse caso, já que uma dose pequena é muito potente para este grupo.

Grupo de crianças que mais precisam de melatonina infantil 

Alguns grupos de crianças realmente precisam de melatonina e a ingestão diária é altamente recomendada pelos médicos.

Dentre este grupo, estão as crianças com diagnóstico de autismo, Síndrome de Down ou que apresentam muita dificuldade para dormir ou permanecer dormindo.

Contudo, as doses para crianças autistas devem ser maiores, variando de 6 a 10 mg por noite, ou de acordo com a prescrição médica.

Outro grupo de crianças em que a melatonina é indicada é aquelas que possuem Transtorno de Déficit de Atenção (TDAH) e Hiperatividade.

Por fim, crianças que necessitam de estimulantes para ajudar nas atividades escolares, também podem precisar do hormônio durante a noite.

Todavia, estes grupos sofrem para desligar-se e se acalmar durante o período da noite, prejudicando o descanso e a higiene do sono.

Onde encontrar melatonina infantil?

A melatonina infantil está disponível em farmácias e na internet, sendo vendida em forma de gotas, cápsulas ou em pó.

Contudo, antes de começar a administração para as crianças recomenda-se a visita a um pediatra de confiança para avaliar se realmente existe a necessidade e qual o tamanho da dose no início do tratamento.

Quer saber mais?

Referências:

Esposito S, Laino D, D’Alonzo R, Mencarelli A, Di Genova L, Fattorusso A, Argentiero A, Mencaroni E. Pediatric sleep disturbances and treatment with melatonin. J Transl Med. 2019 Mar 12;17(1):77.

Gagnon K, Godbout R. Melatonin and Comorbidities in Children with Autism Spectrum Disorder. Curr Dev Disord Rep. 2018;5(3):197-206. 

Williams Buckley A, Hirtz D, Oskoui M, Armstrong MJ, Batra A, Bridgemohan C, Coury D, Dawson G, Donley D, Findling RL, Gaughan T, Gloss D, Gronseth G, Kessler R, Merillat S, Michelson D, Owens J, Pringsheim T, Sikich L, Stahmer A, Thurm A, Tuchman R, Warren Z, Wetherby A, Wiznitzer M, Ashwal S. Practice guideline: Treatment for insomnia and disrupted sleep behavior in children and adolescents with autism spectrum disorder: Report of the Guideline Development, Dissemination, and Implementation Subcommittee of the American Academy of Neurology. Neurology. 2020 Mar 3;94(9):392-404. 

Huggard D, Kelly L, Worrall A, Gallagher E, Fallah L, Yoo LL, McGrane F, Lagan N, Roche E, Balfe J, Doherty DG, Molloy EJ. Melatonin as an immunomodulator in children with Down syndrome. Pediatr Res. 2022 Jun;91(7):1812-1820. 

Bloch MH, Mulqueen J. Nutritional supplements for the treatment of ADHD. Child Adolesc Psychiatr Clin N Am. 2014 Oct;23(4):883-97. 

Abad VC, Guilleminault C. Insomnia in Elderly Patients: Recommendations for Pharmacological Management. Drugs Aging. 2018 Sep;35(9):791-817. 

Avalie este post

Nutricionista pela Universidade de São Paulo (USP).

Experiência acadêmica em pesquisa científica, trabalhando com projeto sobre tratamento de epilepsia com dieta cetogênica. Atuação em educação alimentar, desenvolvendo curso de capacitação para professores da rede pública sobre nutrição.

Trabalha com marketing de conteúdo, com foco na divulgação de informação de qualidade baseada em ciência sobre alimentação e suplementação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × cinco =


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.