Esse post irá te esclarecer sobre as principais dúvidas envolvendo suplementação alimentar. O que são, como saber se é um bom suplemento, recomendações, doses, onde buscar informação e 10 coisas que você precisa saber sobre suplementos. Lembrando sempre que, a recomendação por um profissional capacitado, médico ou nutricionista, e estudos científicos, devem ser sempre levados em consideração antes da compra de qualquer suplemento alimentar.

O que são suplementos alimentares?

Os suplementos alimentares servem para complementar ou aumentar a oferta de nutrientes na alimentação. Eles podem ser vitaminas, minerais, proteínas, carboidratos, lipídeos e fibras. Que através de processos industriais são vendidos em formas de: cápsulas, em pó, e bebidas. E quando utilizamos esses suplementos alimentares de forma correta, eles tendem a trazer benefícios para a saúde.

E são diversas alegações positivas a saúde, como: favorecer o emagrecimento, hipertrofia muscular, melhora no desempenho esportivo, combate e prevenção de deficiências alimentares e terapia complementar a diversas doenças.  

Como saber se um suplemento é confiável para a minha saúde?

No mundo dos suplementos, dúvidas como “isso faz bem ou faz mal”, ou “qual tomar” ou “como escolher” é comum. Não confie apenas na aparência, às vezes há pessoas que pagam para alguém levar algo como verdade, apenas pelo fato de passar uma imagem ”confiável”. Afinal, alguém forte, vende melhor um suplemento para hipertrofia do que alguém que não apresenta essa característica.

A forma mais confiável, seja você o consumidor ou o especialista é utilizar dos estudos científicos, com uma boa base de evidência (grande número de estudos, estudos populacionais e consensos). Vamos falar um pouco sobre a pesquisa, já que é através dela que o suplemento irá apresentar seus verdadeiros resultados para a saúde.

Como saber se o suplemento é confiável para a minha saúde, através de artigos científicos?

  1. Observe a existência de estudos que demonstrem os efeitos do suplemento nos mecanismos biológicos. E se você não for da área, tire a dúvida com especialistas se o efeito esperado do suplemento está de fato associado ao mecanismo biológico para o qual ele tem que servir.   
  2. Ter uma avaliação da dose resposta. Que significa o quanto é preciso ingerir daquele nutriente para se ter o efeito, resultando na dose recomendada para o consumo.
  3. Avaliar se o efeito é visto no público para o qual o suplemento é indicado – populações ou subpopulações (Ex: diabéticos, hipertensos, idosos, atletas ou não, etc).
  4. Estudos científicos longitudinais que mostram o efeito entre a população.

Quais são os suplementos alimentares com bom nível de evidência científica sobre seus resultados e benefícios a saúde?

Apesar da indústria oferecer muitos produtos com alegações de resultados positivos a saúde, a verdade é que poucos são consensos na literatura científica sobre seus verdadeiros resultados. Mas, existem artigos científicos que suportam diversos benefícios dos suplementos alimentares para a saúde e para a prática esportiva, como: ômega 3, colágeno, creatina, cafeína, carboidratos, proteína do soro do leite, vitamina D e compostos de fibras. 

Por exemplo, o ômega 3 é uma gordura necessária para nosso metabolismo, mas nosso corpo não a produz, por isso, precisamos consumir através da alimentação. Como a maioria da população não consegue atingir as quantidades necessárias apenas pela alimentação, os suplementos de ômega 3 são recomendados pela maioria dos profissionais da área da saúde. Esse suplemento conta com estudos populacionais e até mesmo diretrizes de consumo para a população em geral. Ou seja, a necessidade de consumo e bom nível de evidência, nos dá o necessário para suplementar de forma segura.

Outro bom exemplo é o colágeno, há uns 12 anos atrás lançaram o colágeno hidrolisado como suplemento, com alegações de benefícios para a pele, unhas e cabelos, entretanto, a ciência não comprovou a eficácia de benefícios para esse tipo de produto. A indústria financia muitos estudos, o que não é ruim, desde que o estudo seja realizado com ética. Apenas 5 anos depois, estudos apontaram o uso do peptídeo bioativo de colágeno como positivo na melhora da estética da pele para mulheres adultas com idades entre 18 a 54 anos.

Esses dois exemplos são produtos que apresentam níveis satisfatórios de evidências, mas como mencionamos, existem muitos produtos no mercado, e nem todos auxiliam na saúde, podendo até ser prejudiciais com o consumo sem orientação adequada.

Posso consumir qualquer suplemento?

Não. Alguns suplementos, assim como alimentos, que possuem contraindicações a depender do estado de saúde. Por exemplo, pessoas com doenças cardíacas devem evitar suplementos com cafeína pois dependendo da dose podem ter efeitos prejudiciais, como arritmias. Enquanto para o ômega 3, essa população consegue benefícios. Por isso a recomendação de suplementar apenas com orientação especializada e com embasamento científico é a melhor forma de se prevenir de qualquer possível risco a saúde. 

Os resultados dos suplementos são os mesmos para todos?

Não. Por exemplo, o resultado positivo apresentado, não implica na sua eficiência e nem se o efeito pode ser visto para toda a população. Há uma variabilidade biológica e particularidades de gênero, idade, cultura e ambiente que influenciam de forma positiva ou negativa no efeito dos suplementos. Ou seja, um suplemento testado só em mulheres pode não apresentar os mesmos efeitos em homens, ou em uma população de idosos ser diferente em uma população de crianças e daí por diante.

Por quanto tempo preciso tomar um suplemento?

Depende. O ideal é sempre usar um suplemento com a recomendação de um nutricionista ou médico para suplementar de modo correto para ter os benefícios. 

Porém alguns nutrientes, como o ômega 3, que segundo os estudos científicos, a recomendação de ingestão é para crianças, adultos e idosos. Ou seja, sua recomendação é durante toda a vida, que fica em torno de 0,6 a 1,2mg ao dia de ômega 3. 

Outros suplementos como os utilizados para emagrecer, chamados de termogênicos, não é recomendado o uso contínuo. A recomendação dos profissionais é de além da dieta para perda de peso, utilizar esses suplementos junto a exercícios, como pré treino. Isso porque eles são capazes de te dar mais disposição para realizar as atividades. E mesmo assim, use pontualmente pois muitos podem causar efeitos colaterais ao nosso organismo.

10 coisas que você precisa saber sobre suplementação:

  1. A suplementação pode auxiliar a combater doenças, e diversos benefícios mas uma alimentação adequada rica em nutrientes também.
  2. Alguns suplementos são melhores aproveitados pelo organismo do que alimentos fontes do nutriente.
  3. Nem todos os suplementos são bons para a saúde, tudo depende.
  4. Suplementos alimentares podem auxiliar a emagrecer mas também podem auxiliar o ganho de peso.
  5. As vezes os benefícios foram testado apenas em homens, ou apenas em mulheres, ou apenas para determinada doença, busque informação se aquele benefício também se aplica a você.
  6. Atletas possuem necessidades nutricionais diferentes, e a suplementação é comum.
  7. Suplementos alimentares também auxiliam na aparência estética, além da saúde.
  8. Para crianças as recomendações diárias costumam ser menores que para adultos e idosos.
  9. A recomendação nutricional para idosos é maior, e muitas vezes necessário algum tipo de suplementação, e um dos motivos é a não alimentação por falta de paladar.
  10. Os suplementos sem sabores para idosos aumentam a aceitação.

Procure sempre por um profissional com informação confiável, de origem científica e marcas que passem confiança para o consumidor do produto oferecido.

Como confiar em uma empresa de suplementos alimentares

Além da matéria prima, outros fatores precisam ser avaliados como a regularização do produto por órgãos específicos (como a ANVISA) e a presença de certificações ou laudos técnicos de segurança que são bons parâmetros para avaliação da qualidade da marca.

Continuo com dúvidas sobre suplementos, o que faço agora?

Então, fica o alerta para os dois principais problemas: visão crítica e saber como interpretar. Antes de fazer um julgamento, consulte quem entende do assunto e cobre deles informações confiáveis. E por fim, após tirar suas maiores dúvidas, pense em como aquele suplemento vai contribuir para a sua saúde e reflita se vale a pena investir nele. Promover mudança na estética ou na saúde envolve mudar hábitos e não apostar apenas na aquisição de um produto para essa mudança.

 

Referências: 

YANG, Jinchunzi et al. Oxidative Stress and Non-Alcoholic Fatty Liver Disease: Effects of Omega-3 Fatty Acid SupplementationNutrients, v. 11, n. 4, p. 872, 2019.

CHANG, Szu-Wen; LEE, Hung-Chang. Vitamin D and health-The missing vitamin in humans. Pediatrics & Neonatology, v. 60, n. 3, p. 237-244, 2019.

KERKSICK, Chad M. et al. ISSN exercise & sports nutrition review update: research & recommendations. Journal of the International Society of Sports Nutrition, v. 15, n. 1, p. 38, 2018.

KREIDER, Richard B. et al. International Society of Sports Nutrition position stand: safety and efficacy of creatine supplementation in exercise, sport, and medicine. Journal of the International Society of Sports Nutrition, v. 14, n. 1, p. 18, 2017.

JÄGER, Ralf et al. International society of sports nutrition position stand: protein and exercise. Journal of the International Society of Sports Nutrition, v. 14, n. 1, p. 20, 2017.

KRIS-ETHERTON, Penny M.; HARRIS, William S.; APPEL, Lawrence J. Fish consumption, fish oil, omega-3 fatty acids, and cardiovascular disease. circulation, v. 106, n. 21, p. 2747-2757, 2002.

PROKSCH, E. et al. Oral intake of specific bioactive collagen peptides reduces skin wrinkles and increases dermal matrix synthesis. Skin pharmacology and physiology, v. 27, n. 3, p. 113-119, 2014.

CALDER, Philip C. Marine omega-3 fatty acids and inflammatory processes: effects, mechanisms and clinical relevance. Biochimica et Biophysica Acta (BBA)-Molecular and Cell Biology of Lipids, v. 1851, n. 4, p. 469-484, 2015.