Home » Vitamina D dose diária: Bebês, crianças, adultos e idosos

Vitamina D dose diária: Bebês, crianças, adultos e idosos

Criança sorrindo com sua mãe e vó
6 minutos de leitura

A vitamina D tem grande importância para o nosso corpo, atuando em processos importantes como saúde dos ossos e imunidade. A dose diária de vitamina D varia conforme a faixa etária, sendo maior entre idosos.

Podemos obter a vitamina D em alimentos de origem animal ou em produtos fortificados. No entanto, a principal fonte é a própria produção pelo nosso organismo após a exposição solar.

IDADE

DOSE DIÁRIA DE VITAMINA D

Bebês (0 a 12 meses)

10 mcg (400 UI)

Crianças e Adolescentes (1 a 18 anos)

15 mcg (600 UI)

Adultos (19 a 70 anos)

15 mcg (600 UI)

Idosos (> 70 anos)

20 mcg (800 UI)

Fonte: Institute of Medicine (IOM).

Vitamina D dose diária: Bebês

Apesar do leite materno ser considerado o único alimento que um bebê precisa ingerir até os 6 meses de idade, a suplementação de vitamina D pode ser necessária durante esse período.

O leite materno supre a demanda de vitamina D apenas para bebês saudáveis, ele não conseguindo atender a demanda do organismo de um bebê que esteja com uma insuficiência ou deficiência da vitamina D.

E, infelizmente, há uma alta prevalência de deficiência de vitamina D em bebês, pois até 6 meses de idade é sugerido que eles não sejam expostos diretamente a luz solar. Por esse motivo, diversas organizações internacionais de saúde recomendam a suplementação de, em média, 400 UI de vitamina D ao dia até o bebê completar 1 ano.

A dose de 400 UI diária é recomendada principalmente para crianças que não se alimentam exclusivamente de leite materno até os 6 meses. Além disso, é indicada também para crianças que não tiveram uma introdução alimentar equilibrada ou que moram em casas com pouca entrada da luz do sol. 

Mas antes de qualquer coisa, consulte o pediatra e o nutricionista para saber qual a dose recomendada.

Vitamina D dose diária: Crianças e Adolescentes

Já para crianças a recomendação mínima de vitamina D é de 600 UI para uma boa saúde de acordo com as DRIs. Para atingir esses valores, pode ser ou pela alimentação ou pelo uso da suplementação, mas também é necessário a exposição solar.

Alimentos com vitamina D são principalmente peixes ricos em gordura, como salmão, sardinha, cavala e atum. Porém, sabemos que normalmente esses alimentos não são bem aceitos por crianças, e também não são alimentos que consumimos diariamente, aqui no Brasil. 

Vitamina D dose diária: Adultos

Para adultos saudáveis, a recomendação é de 600 UI por dia de vitamina D. Diferente das crianças, que ainda brincam ao ar livre, a deficiência do nutriente chega a atingir mais da metade da população adulta do nosso país. Por isso, fique atentos aos sintomas da falta de vitamina D.

Você também pode consumir um suplemento de vitamina D de 2000 UI, maior dosagem do suplemento, sem a necessidade de tomar medicamentos e de ter riscos à saúde.

Vitamina D dose diária: Idosos

Já para idosos, além da recomendação habitual, é necessário avaliar o seu estado de saúde. A recomendação para essa faixa etária é maior, sendo 800 UI ao dia. 

Porém, caso você se enquadre em alguma das seguintes situações: diabetes, obesidade, doenças ósseas, doenças imunes, esteja na menopausa ou já saiba que está com deficiência de vitamina D, a sua ingestão desse suplemento  deve ser maior. 

Além dos alimentos que mencionamos como fonte de vitamina D e a exposição solar, para idosos é muito comum o uso do suplemento de vitamina D com 2000 UI ou até mesmo o uso de medicamentos de vitamina D, que possuem doses maiores que a do suplemento, devido às maiores chances de deficiência. 

No caso da vitamina D, a quantidade recomendada para suplementação atualmente varia de 200 a 50.000 UI, ao dia, para atingir concentrações acima de 50 nmol/L de vitamina D no sangue.

NÍVEIS DE VITAMINA D NO SANGUE

DIAGNÓSTICO

< 30 nmol/L

Deficiência

30 a 50 nmol/L

Inadequado para indivíduos saudáveis

> 50 nmol/L

Adequado

> 125 nmol/L

Potenciais efeitos adversos (principalmente se acima de 150 nmol/L)

Fonte: Institute of Medicine (IOM).

Essa concentração acima de 50 é a quantidade ideal de vitamina D no sangue para manter uma boa saúde. Para saber se você se enquadra nesse valor, basta fazer um exame de sangue. 

Além do seu estado de saúde, a estação do ano também influencia bastante. Por exemplo, no verão é comum estarmos com mais vitamina D e no inverno com menos vitamina D. 

Portanto, avalie todos esses fatores, sua saúde, sua rotina, se você fica no sol ou não e se consome alimentos fontes. E se você acreditar que está com uma deficiência de vitamina D, não deixe de consultar um médico e um nutricionista para adequação. 

Quer saber mais?

Referências:

DALLE CARBONARE, Luca et al. Vitamin D: Daily vs. monthly use in children and elderly—What is going on?. Nutrients, v. 9, n. 7, p. 652, 2017.

Existe benefício para suplementação de vitamina D em crianças e adolescentes?

Avalie este post
Priscila Gontijo Correa

Nutricionista e Mestre em Ciências pela UNIFESP.

Experiência acadêmica em pesquisa científica. Atua como professora convidada em cursos de graduação e pós graduação na área da saúde.

Profissional com sólida formação em pesquisa e inovação. Atua na interseção entre o desenvolvimento de produtos com base em ciências e inovação para a saúde, e o marketing de conteúdo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.