Baixa vitamina D e depressão| Relações e como tratar

| | ,

Sabia que o baixo consumo de vitamina D ou a baixa exposição solar, podem causar depressão?

Isso porque o baixo consumo de alimentos fontes e também a baixa exposição solar são fatores de risco para o desenvolvimento da deficiência de vitamina D. E a deficiência de vitamina D vem sendo relacionada com a depressão, doença que atualmente atinge cerca de 5% da população mundial.

Veja aqui a relação entre a vitamina D e a depressão, e o que você pode fazer no seu dia a dia que irá te ajudar a ficar bem longe dessa doença!

Vitamina D e depressão

Até o início de 2013, se especulava que a vitamina D tinha algum tipo de relação com a depressão. Foi quando a Dra. Rebecca Anglin, do departamento de psiquiatria e neurociências do hospital St Joseph’s, Canadá, publicou junto a outros médicos e pesquisadores um estudo avaliando a relação entre vitamina D e depressão (1).

Nesse trabalho, os pesquisadores reuniram 14 outros estudos, somando mais de 30 mil pessoas avaliadas, e analisaram os seus resultados para entender a relação da vitamina D com a depressão.

Como resultado, os pesquisadores concluíram que pessoas com depressão apresentam níveis mais baixos de vitamina D no sangue quando comparado a pessoas que não apresentavam depressão.

Além dessa relação, eles também alertaram sobre o risco contrário. No caso, o risco de quem apresentar baixos níveis de vitamina D no corpo ter chances de desenvolver depressão. 

Ainda não se sabe se a vitamina D e depressão possuem uma relação de causa e consequência. Isto é, se quem tem depressão tem baixa concentração de vitamina D ou se quem tem baixas concentrações de vitamina D pode desenvolver depressão.

Em 2017, outro estudo publicado por médicos australianos, alertam que pessoas com deficiência de vitamina D possuem comportamentos de risco para o desenvolvimento da depressão (2).

Por exemplo, alguns fatores que fazem cair drasticamente os níveis de vitamina D no sangue são a baixa exposição solar, menor número de atividade física ao ar livre e também o baixo consumo de alimentos fontes (2). Contudo, todos esses fatores que levam a deficiência de vitamina D, podem levar também ao desenvolvimento da depressão.

Como evitar a falta de vitamina D e depressão

Para evitar a falta de vitamina D, e diminuir as chances do desenvolvimento de sintomas depressivos, uma alternativa simples e muito utilizada pelos profissionais da área da saúde é o uso de suplementos alimentares. Nesse caso, o suplemento de vitamina D.

Um estudo publicado no final de 2019, suplementou mais de 200 pessoas (homens e mulheres com idade de 18 até 60 anos) com cerca de 50000 UI de vitamina D por semana, durante 6 meses (3). 

Nesse período, os pesquisadores avaliaram os participantes de tempos em tempos, através de testes que mensuram o grau da depressão. Isso para avaliar se o suplemento é eficaz para combater os sintomas da doença.

Não só viram que a suplementação foi eficaz para normalizar os níveis de vitamina D, como também viram que o grupo que suplementou a vitamina D melhorou os sintomas depressivos e estavam melhores de saúde comparado aos pacientes com depressão que não suplementaram. Portanto a suplementação é benéfica nessa situação.

Caso o objetivo seja evitar a falta de vitamina D para diminuir os riscos de desenvolver a depressão, doses menores são recomendadas. Pois se você já realizou um exame sanguíneo e sabe que os seus valores de vitamina D estão dentro da normalidade, é recomendado o uso de 2000 UI de vitamina D ao dia para uma boa saúde.

2000 UI essa é a maior quantidade de vitamina D encontrada na versão de suplemento. Enquanto doses maiores que 2000 UI, são consideradas medicamentos, o que torna necessário a prescrição médica. 

Se você deseja uma boa saúde e se ver livre do risco de desenvolver depressão, uma estratégia simples, barata e eficaz é o uso de um suplemento alimentar de vitamina D. Porém em casos de depressão, o médico deve ser consultado para adequação da dose.

Quer saber mais sobre o suplemento de vitamina D?

Que tal um desconto especial para experimentar a melhor vitamina D do mercado?

Referências:

1- ANGLIN, Rebecca ES et al. Vitamin D deficiency and depression in adults: systematic review and meta-analysis. The British journal of psychiatry, v. 202, n. 2, p. 100-107, 2013.

2- PARKER, Gordon B.; BROTCHIE, Heather; GRAHAM, Rebecca K. Vitamin D and depression. Journal of affective disorders, v. 208, p. 56-61, 2017.

3- PORTO, Catarina Magalhães; DA SILVA, Tatiana de Paula Santana; SOUGEY, Everton Botelho. Contribuições da vitamina D no tratamento de sintomas depressivos e fatores de risco cardiovascular: protocolo de estudo para um ensaio clínico randomizado, duplo-cego e controlado por placebo. Trials, v. 20, n. 1, p. 583, 2019.

 
Anterior

Vitamina C com colágeno para rejuvenescer e hidratar a pele

Ômega 3 original| diferenciais da melhor marca de ômega 3

Próximo

Deixe um comentário