Pular para o conteúdo
Home » Todos os posts » Vitaminas para a queda de cabelo no pós-parto

Vitaminas para a queda de cabelo no pós-parto

vitaminas para queda de cabelo
6 minutos de leitura

Muitas mulheres observam uma queda de cabelo significativa no período da amamentação.

Ela acontece devido a queda brusca dos hormônios da gestação, conhecido como eflúvio telógeno fisiológico no pós parto.

Além disso, a queda de cabelo também pode ocorrer por deficiências vitamínicas, anemia, alterações tireoidianas ou estresse pós-cirúrgico (caso o parto tenha sido cesárea).

Por isso, é fundamental que a lactante faça a ingestão adequada de algumas vitaminas e minerais para amenizar a queda de cabelo no pós-parto.

Afinal, a amamentação exige uma maior quantidade de nutrientes presentes no corpo da mulher.

Em contrapartida, se a ingestão for insuficiente, o corpo utilizará os nutrientes presentes nos fios capilares. Consequentemente, a queda de cabelo será ainda mais acentuada.

1. Ácido fólico

O ácido fólico é uma vitamina para gestante bastante conhecida. Ela é indicada no primeiro trimestre da gestação para prevenir malformações do tubo neural do bebê.

Já na amamentação, o ácido fólico é responsável pela renovação celular. Sendo, então, primordial para o crescimento saudável de novos fios capilares.

Opções de fontes alimentares em 100g:

  • couve-de-bruxelas – 61,1 mcg;
  • fígado bovino – 211,645 mcg;
  • laranja – 30,3 mcg;
  • ovo de galinha – 47 mcg;
  • lentilha – 181 mcg;
  • brócolis – 71 mcg.

2. Vitamina A

A vitamina A apresenta papel importante na produção de colágeno e queratina, pois ela tem efeito antioxidante.

Essas substâncias são importantes para a composição dos cabelos. Além de serem necessárias para favorecer a hidratação adequada do couro cabeludo.

Opções de fontes alimentares em 100g:

  • cenoura – 2813 mcg;
  • leite integral – 880,77 mcg;
  • ovo de galinha – 191 mcg;
  • abóbora-moranga – 350 mcg;
  • acerola – 247  mcg;
  • manga – 389 mcg.

3. Ferro

O ferro é um mineral cuja função é transportar oxigênio para os tecidos através do sangue.

Além disso, ele também é primordial para a produção adequada de hemoglobina.

Desse modo, o couro cabeludo precisa receber um bom aporte de oxigênio para os fios capilares crescerem fortes e resistentes e prevenir a queda de cabelo no pós-parto.

Opções de fontes alimentares em 100g:

  • carne bovina (músculo) – 1,9 mg;
  • feijão carioca – 2,80 mg;
  • ovo de galinha – 1,44 mg;
  • fígado bovino – 5,6 mg;
  • lentilha – 3,34 mg;
  • soja – 15,7 mg.

4. Vitamina D

A vitamina D tem atividade anti-inflamatória e antioxidante, sendo crucial para a saúde do couro cabeludo.

Ela costuma ser a vitamina que mais necessita de suplementação para a queda de cabelo no pós-parto. Uma vez que muitas mulheres não fazem a devida exposição solar durante a amamentação, bem como não ingerem as quantidades suficientes por meio da alimentação.

Opções de fontes alimentares em 100g:

  • ovo de galinha – 1,3 mcg;
  • leite integral – 6,92 mcg;
  • queijo muçarela –  mcg;
  • salmão – 11,83 mcg.
mulher amamentando

5. Vitamina E

A vitamina E atua protegendo as células contra os efeitos dos radicais livres. Com isso, os fios capilares se tornam mais resistentes e saudáveis. Evitando, também, o envelhecimento precoce das células.

Opções de fontes alimentares em 100g:

  • azeite de oliva – 12,6 mg;
  • soja – 1,62 mg;
  • amêndoa – 24,5 mg;
  • castanha de caju – 7,45 mg;
  • abacate – 2,27 mg;
  • couve-manteiga – 8 mg.

6. Zinco

O zinco é um mineral importante para amenizar a queda de cabelo nas lactantes. Isso porque, ele participa do processo de regeneração celular. Além de estimular a produção de colágeno.

Opções de fontes alimentares em 100g:

  • carne bovina (músculo) – 3,7 mg;
  • camarão – 1,2 mg;
  • arroz integral – 2,03 mg;
  • leite integral – 2,7 mg;
  • aveia em flocos – 2,6 mg;
  • lentilha – 1,28 mg.

7. Selênio

O selênio possui efeito antioxidante e, por isso, ele atua na prevenção do envelhecimento precoce das células. Assim, esse mineral ajuda a manter o couro cabeludo saudável, o que é importante para o bom desenvolvimento e fortalecimento dos cabelos.

Opções de fontes alimentares em 100g:

  • castanha do Pará – 2960 mcg;
  • ovo de galinha – 30,8 mcg;
  • arroz integral – 23,4 mcg;
  • semente de girassol – 59,5 mcg.

8. Vitamina C

A vitamina C contribui para a produção de colágeno e queratina, além de favorecer a melhor absorção do ferro no intestino. Dessa forma, ela é uma das vitaminas mais importantes para a queda de cabelo na amamentação.

Opções de fontes alimentares em 100g:

  • laranja – 53,2 mg;
  • acerola – 941,40 mg;
  • kiwi – 70,8 mg;
  • goiaba – 184 mg.
mulher segurando cápsula de vitamina para queda de cabelo no pós parto

9. Ômega 3

Por último, embora não seja vitamina ou mineral, o ômega 3 para o cabelo precisa estar presente nessa lista, devido a sua atividade na prevenção da queda dos fios.

Ele é um tipo de ácido graxo que atua na proteção da raiz capilar e na hidratação adequada do couro cabeludo. Portanto, eles são importantes para amenizar o eflúvio telógeno no pós parto.

Opções de fontes alimentares em 100g:

  • sardinha – 0,02 g;
  • atum – 0,29 g;
  • salmão – 0,03 g;
  • bacalhau – 0,08 g;
  • semente de linhaça – 19,81 g;
  • castanha de caju – 0,08 g.

No pós parto, o corpo requer de uma maior quantidade de vitaminas e minerais para se manter saudável, principalmente devido aos cuidados na alimentação. Eles podem ser ingeridos através de uma alimentação equilibrada e nutritiva.

Contudo, se a queda de cabelo no pós-parto for agressiva e persistente, pode ser necessário o uso de suplementos.

Quer saber mais?

Referências

MARINHO, G. L.; MOREIRA, T. F.; NOGUEIRA, A. P. S. Impactos da estética na terapia capilar de mulheres no pós-parto. Research, Society and Development. Vargem Grande Paulista, SP, v. 11, n. 7, p. 1-7, maio, 2022. 

MIRALLAS, O.; GRIMALT, R. The Postpartum Telogen Effluvium Fallacy. Karger. Berlim, Alemanha, v. 1, n. 1, p. 198-201, abr. 2016. 

PHILIPPI, S. T. Tabela de composição de alimentos: Suporte para decisão nutricional. 4ª edição. Manole Ltda, 2013, 1-142.

Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação (NEPA). Tabela Brasileira de Composição dos Alimentos (TACO). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). 4ª edição. Campinas, SP, 2011. 

Avalie este post

Nutricionista pelo Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU) e pós graduada em Comportamento Alimentar pelo Instituto de Pesquisas, Ensino e Gestão em Saúde (IPGS).

Experiência acadêmica em pesquisa científica e produção de conteúdos com embasamento científico. Trabalha com marketing de conteúdo, com foco na divulgação de informação de qualidade baseada em ciência sobre alimentação e suplementação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × três =


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.