Pular para o conteúdo
Home » Todos os posts » Colesterol alto: os 6 sintomas mais comuns

Colesterol alto: os 6 sintomas mais comuns

colesterol-alto-sintomas
7 minutos de leitura

Os sintomas de colesterol alto, na maioria das vezes, não são simples de perceber. Uma vez que o distúrbio não manifesta sinais. Por isso, a única maneira de certificar se o colesterol está alto é através do exame de sangue.

Geralmente, os sintomas aparecem quando os níveis de colesterol já estão bastante elevados, chegando a acometer outros órgãos, como fígado, baço e coração.

Por essa razão, muitas pessoas acabam não tendo noção do problema, o que favorece o seu agravo e aumenta os riscos de complicações cardiovasculares como infarto, aterosclerose e AVC.

Então continue a leitura e veja a seguir quais são os sintomas de colesterol alto que podem surgir.

colesterol alto sintomas

Meu colesterol está alto: quais são os sintomas?

Acompanhe os próximos tópicos para entender os sinais de colesterol alto.

1. Inchaço abdominal

Embora esteja associado a várias outras condições, o inchaço abdominal também pode ocorrer devido ao colesterol alto.

Isso acontece porque níveis elevados de colesterol podem favorecer o acúmulo excessivo de gordura no fígado e/ou baço. Dessa forma, pode resultar no inchaço abdominal e sensibilidade na região.

2. Dor de cabeça

A obstrução no fluxo sanguíneo, provocada pelo colesterol alto, pode impactar negativamente as extremidades do corpo, sendo a cabeça uma das áreas mais afetadas.

Com isso, a escassez de fornecimento sanguíneo nessa região pode causar dores de cabeça persistentes.

Além disso, o colesterol alto pode levar a hipertensão arterial, outra condição que frequentemente está relacionada a dores de cabeça.

3. Fadiga

O colesterol alto dificulta o transporte de sangue pelo corpo, fazendo com que as células não recebam oxigênio em níveis adequados. Tudo isso leva a sensação de cansaço e indisposição.

4. Palpitações

Quando os níveis de colesterol estão elevados, o coração é obrigado a se esforçar mais para bombear sangue para todo o corpo.

Dessa forma, esse esforço extra pode levar a quadros de palpitações, uma sensação percebida como batimentos cardíacos rápidos, fortes ou irregulares.

5. Bolinhas de gorduras pelo corpo

O xantelasma e o xantoma são caracterizados pela presença de pequenas bolinhas de gordura ao redor das pálpebras e do corpo, sendo uns dos principais sinais de colesterol alto.

Assim, essas manifestações cutâneas também podem ser indicativas de dislipidemia, uma condição gerada pelo desequilíbrio nos níveis de lipídios no sangue, como o colesterol e triglicerídeos.

6. Dor no peito

A dor no peito é um sintoma fácil de perceber, e, por isso, muitas pessoas buscam atendimento médico imediato quando ela surge.

Apesar de vários outros problemas de saúde estarem relacionados a esse sintoma, na maioria das vezes, a sua origem é proveniente dos efeitos do colesterol alto.

Dessa forma, o aumento de colesterol no sangue pode levar ao acúmulo de gordura nas artérias, gerando obstáculos ao bombeamento adequado de sangue para as células.

O que fazer depois de perceber esses sintomas?

Ao perceber algum desses sintomas, o primeiro passo é consultar um médico para fazer uma avaliação completa.

Assim, na consulta, ele solicitará exames de sangue para investigar se realmente seu colesterol está alto ou se os sintomas são provenientes de outra condição.

O que causa o colesterol alto?

Os principais fatores de risco para o aumento do colesterol são:

  • sedentarismo;
  • tabagismo;
  • consumo excessivo de bebidas alcoólicas;
  • alimentação rica em carboidratos refinados, açúcares e gorduras saturadas e trans;
  • estresse crônico;
  • alterações hormonais;
  • excesso de peso;
  • predisposições genéticas.
colesterol-alto-sintomas

Meu colesterol está alto, e agora?

Descobriu que o seu colesterol está alto? Então não precisa se desesperar! O primeiro passo é manter a calma e buscar maneiras de ter um estilo de vida mais saudável. Abaixo tem algumas dicas do que ajuda a baixar o colesterol.

Coma mais fibras solúveis

As fibras solúveis desempenham um papel importante na redução do colesterol, pois, ao atingirem o intestino, diminuem a sua absorção nas microvilosidades intestinais.

Dessa forma, elas previnem o acúmulo excessivo de colesterol na corrente sanguínea e promovem a redução caso já esteja elevado.

Assim, entre as fontes dessas fibras estão as frutas com casca, farelo de aveia, leguminosas, grãos integrais e sementes de chia, linhaça e gergelim.

Opte por saladas cruas

As saladas cruas são excelentes fontes de fibras, vitaminas e minerais, nutrientes que atuam na regulação do colesterol.

Assim, por serem consumidas in natura, elas preservam os seus nutrientes, diferente das saladas cozidas, que perdem vitaminas e minerais durante a cocção.

Então lembre-se de incluir uma variedade de vegetais frescos em sua salada. Quanto mais diversificada e colorida ela for, mais nutrientes terá!

Troque gorduras ruins por boas

Substitua as gorduras saturadas e trans, presentes em manteiga, leite integral, queijos gordos, carnes vermelhas e industrializados, por gorduras monoinsaturadas e poli-insaturadas, presentes em oleaginosas, sementes, peixes e abacate.

Dessa dorma, essas gorduras boas equilibram os níveis de colesterol no sangue. Além de exercerem efeitos anti-inflamatórios e antioxidantes.

Cuidado com o álcool

Embora alguns estudos sugiram que o consumo moderado de álcool possa beneficiar o coração, é importante ter precaução.

O vinho tinto, em particular, se destaca pela sua qualidade nutricional por conta dos fitoesterois, que auxiliam na redução do colesterol.

Assim, no geral, a recomendação é cerca de 150 ml por dia. Mas, ainda assim, não é indicado utilizar essa abordagem pensando em reduzir o colesterol, e sim para momentos ocasionais.

Insira um exercício físico na rotina

Os exercícios físicos são essenciais para a saúde e o bem-estar, e o papel deles na redução do colesterol é indiscutível.

Os mais indicados são os exercícios aeróbicos, como corrida, caminhada, natação, ciclismo, hidroginástica e dança, que mostram-se altamente eficazes na diminuição do colesterol.

Além disso, os treinos de força, como musculação, são importantes para melhorar o condicionamento físico, a resistência muscular e a capacidade cardiorrespiratória.

Fique atento à Coenzima Q10

Estudos indicam que os níveis de Coenzima Q10 podem reduzir em indivíduos com colesterol elevado, especialmente aquelas em tratamento com estatinas.

Dessa forma, a suplementação é recomendada para prevenir complicações decorrentes desse déficit, que pode levar a:

  • fadiga;
  • cãibras musculares;
  • problemas de fertilidade;
  • dores musculares frequentes;
  • aumento nos níveis de açúcar, podendo levar a pré-diabetes.

A Coenzima Q10 da Vhita é uma das mais recomendadas por médicos e nutricionistas do Brasil. Além de fornecer alta concentração por dose, o suplemento possui TCM e vitamina E, que melhoram a absorção e ação da CoQ10!

Gostou deste texto e quer continuar investindo em qualidade de vida? Então siga a Vhita nas redes sociais agora mesmo e acompanhe as nossas novidades.

Quer saber mais?

colesterol alto sintomas

Referências

CORTES, V. A. Physiological and pathological implications of cholesterol. Frontiers in Bioscience, v. 19, p. 416-428, 2014.

JUNG, E. et al. Serum Cholesterol Levels and Risk of Cardiovascular Death: A Systematic Review and a Dose-Response Meta-Analysis of Prospective Cohort Studies. International Journal of Molecular Sciences. v. 19, n. 8272, p. 1-12, 2022.

MARISCAL, F. M. G. et al. Coenzyme Q10 Supplementation for the Reduction of Oxidative Stress: Clinical Implications in the Treatment of Chronic Diseases. International Journal of Molecular Sciences. v. 71, n. 7870, p. 1-19, 2020.

SÁ, A. C. M. G. N. et al. Prevalência e fatores associados ao diagnóstico autorreferido de colesterol alto na população adulta brasileira: Pesquisa Nacional de Saúde 2019. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 31, p. 1-19, 2022.

5/5 - (1 voto(s))

Nutricionista pelo Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU) e pós graduada em Comportamento Alimentar pelo Instituto de Pesquisas, Ensino e Gestão em Saúde (IPGS).

Experiência acadêmica em pesquisa científica e produção de conteúdos com embasamento científico. Trabalha com marketing de conteúdo, com foco na divulgação de informação de qualidade baseada em ciência sobre alimentação e suplementação.

Marcações:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.