Ingerir os nutrientes necessários ao corpo é fundamental para o desenvolvimento da criança durante a gravidez. Já que as únicas fontes de nutrientes do bebê são a alimentação e as reservas

Para saber como as pesquisas interpretam a relação do ômega 3 com a formação e desenvolvimento infantil, e como isso pode evitar problemas futuros, continue lendo o post.

O que é ômega 3?

Ômega 3 é uma gordura poli-insaturada essencial, ou seja, não é produzido pelo nosso corpo. E precisa ser adquirido através da alimentação ou suplementação. Já foi comprovado em diversos estudos que esse nutriente realiza funções importantes ao nosso organismo.

Como a melhora da função cerebral, prevenção de doenças do coração e câncer, tratamento da obesidade, do diabetes tipo 2, da depressão e auxilio no bom desenvolvimento infantil.

Qualquer idade pode tomar ômega 3?

Sim, a suplementação de ômega 3 não há contraindicações, sendo recomendada durante todos os ciclos da vida, da gestação até a 3° idade. O consumo de ômega 3 na forma de suplementação é amplamente recomendada devido a deficiência dessa gordura na maioria da população.

Já que é cada vez mais difícil conseguir alimentos fontes de ômega 3 na sua forma pura, sem estar contaminadas ou nas quantidades benéficas ao organismo.

Essa relação de quantidade e alimentos fontes de ômega 3, se torna ainda mais relevante quando o público alvo são as crianças. Porque de modo geral, não apreciam e também não conseguem consumir em quantidade adequadas para o desenvolvimento, os alimentos ricos nesse tipo de gordura.

Entenda agora o processo de desenvolvimento e a influência da suplementação de ômega 3 a partir da gestação até a adolescência.

Ômega 3 na gestação

A maioria das mulheres grávidas, não consome quantidades suficientes de ômega 3 durante a gestação.E, no Brasil apesar da sua grande costa litorânea, consome-se em média, ainda menos do que em países como EUA. Recomendasse além do consumo através da alimentação, a suplementação para atingir as recomendações diárias.

Recomendasse para gestantes até 50 anos o consumo diário de 1,4g de ômega 3, enquanto para as mães que estão amamentando, recomenda-se 1,3g ao dia.

Essa fase, e a amamentação, são as estapas principais ao desenvolvimento cerebral e visual da criança. Cientistas descobriram que formulas nutricionais enriquecidas com DHA auxiliam o desenvolvimento mental, quando suplementado durante a gestação e amamentação.

Sabe-se também com o consumo de ômega 3 durante a gestação evita parto prematuro e baixo peso ao nascer.  

Ômega 3 na infância

Sabendo dos benefícios do ômega 3 relacionados ao sistema nervoso central e que a deficiência dessa gordura no organismo, nas crianças, podem causar comprometimento no desempenho cognitivo e comportamental. Os cientistas avaliaram diferentes idades e suas relações com cognição e comportamento.

Ômega 3 para crianças de 9-12 meses:

Ao suplementarem ômega 3, melhoraram aspectos cognitivos como a atenção ao realizar tarefas de brincadeiras ao ar livre. Além de atuar na pressão arterial de forma protetora. Outra pesquisa observou uma melhora na imunidade nessa faixa etária, diminuindo infecções comuns durante o período, principalmente sintomas de resfriados.

Ômega 3 para crianças até 4 anos:

A suplementação diária por 4 meses, resultou em uma melhor compreensão auditiva e na aquisição de vocabulário.

Ômega 3 para crianças de 7 a 1 2 anos:

Crianças diagnosticas com déficit de atenção ou hiperatividade ao suplementarem EPA e DHA aumentaram o tempo de leitura e diminuíram escores de ansiedade.

Nenhum efeito adverso da suplementação de ômega 3 foi observada até então para a saúde de crianças, sendo segura e recomendada com doses entre: 0,5g/dia -1g/dia.

 Ômega 3 para crianças com Transtorno do Espectro Autista (TDA)

Recentemente, um grupo de pesquisadores chineses publicaram uma revisão de mais de 30 artigos científicos sobre o tema, com um número total de mais de 100 crianças com TDA e encontraram vários efeitos positivos.

Como: melhora na hiperatividade, melhora de sinais de fadiga e reações estereotipadas como repetição continua de movimentos. Mas a análise estatística para detectar diferenças reais, de modo geral, não encontrou melhora no funcionamento e de resposta social apesar de melhorar os demais sintomas apresentados.

Ômega 3 e desenvolvimento infantil

Para gestantes, lactantes e crianças até a fase da adolescência, a suplementação de ômega 3 apresenta diversos benefícios como, desenvolvimento cognitivo e social, desenvolve aspectos emocionais como diminuir quadros de timidez e ansiedade, desenvolve o cérebro e amplia capacidades intelectuais.

As doses variam de acordo com a faixa etária, porém sem riscos à saúde com relação a dose diária consumida em forma de suplementação.

Quer saber mais?

Referências:

GONZÁLEZ, Francisca Echeverría; BÁEZ, Rodrigo Valenzuela. IN TIME: IMPORTÂNCIA DOS ÔMEGA 3 NA NUTRIÇÃO INFANTIL. Revista Paulista de Pediatria, v. 35, n. 1, p. 3-4, 2017.

NOGUEIRA-DE-ALMEIDA, Carlos Alberto; BERTOLUCCI, Paulo Henrique Ferreira. I Consensus of the Brazilian Association of Nutrology about recommendations of DHA during gestation, lactation and infancy.

CHENG, Yu-Shian et al. Supplementation of omega 3 fatty acids may improve hyperactivity, lethargy, and stereotypy in children with autism spectrum disorders: A meta-analysis of randomized controlled trials. Neuropsychiatric disease and treatment, v. 13, p. 2531, 2017.