Ômega 3 é uma gordura poli-insaturada, e essencial porque não é produzida pelo nosso organismo. O que significa que o ômega 3 é um nutriente obtido apenas através da alimentação ou por suplementação. 

Muitos acreditam que o ômega 3 tem contraindicação, saiba aqui quais são as contraindicações, além de saber quais são os benefícios, alimentos fontes e como escolher um bom suplemento de ômega 3.

O ômega 3 tem contraindicação?

O ômega 3 é uma substância natural e não possui contraindicação para o uso da suplementação. Os riscos que os suplementos podem oferecer decorrem da falta de qualidade do produto e da quantidade incorreta do consumo.

Por isso, é indispensável entender sobre a origem, concentração e os riscos dos suplementos de ômega 3 disponíveis no mercado.

O ômega 3 faz mal para o fígado?

Pelo contrário, o ômega 3 inclusive já foi relacionado a melhora no grau da esteatose hepática, doença que envolve o acúmulo de gordura nas células do fígado.

Então o ômega 3 também é recomendado para quem sofre com a esteatose. Porém vale ressaltar que casos graves de esteatose o ômega 3 não foi um tratamento efetivo.

Até um grau II de esteatose hepática a suplementação de ômega 3 exerce efeito positivo na diminuição da inflamação e melhora da esteatose.

Mas a recomendação é sempre trabalhar a prevenção ao invés do tratamento.

 Ômega 3 pode causar sangramento?

Toda essa polêmica com relação ao risco do sangramento não coagular, na verdade surgiu a partir de um benefício do ômega 3.

Assim como existem medicamentos com um efeito chamado pró trombótico e antiplaquetário, ou seja, com o intuito de prevenir a trombose e evitar o entupimento de veias e artérias, o ômega 3 também possui esse efeito.

 

Porém um efeito colateral de medicamentos para essa questão, como a aspirina e heparina por exemplo, é o maior risco de sangramentos.

Mas no caso do ômega 3, que nada mais é que um nutriente, o que se sabe é que esse risco de sangramento está associado apenas a pessoas com o estado de saúde bem precário.

Portanto, pensando em todos os benefícios cardiovasculares, o suplemento de ômega 3 ainda é considerado um protetor a saúde cardiovascular. Além de seguro para a grande parcela da população com relação ao risco de sangramento.

Gestante possui contraindicação para o consumo de ômega 3?

No caso das gestantes, elas podem obter muitos benefícios comprovados pela ciência.

Como por exemplo: menor tempo de internação após o parto, o nascimento do filho com um peso considerado ideal, menor chance de desnutrição da criança, bom desenvolvimento cognitivo e ainda efeito protetor ao longo da vida sobre o sistema nervoso e doenças neurodegenerativas.

Agora o alerta, nem todos os suplementos de ômega 3 são confiáveis. E para evitar a contaminação por metais pesados e assim ter graves consequências com essa suplementação, fique atento se a marca possui certificações internacionais comprovando ser livre de metais pesados.

Empresas transparentes e de credibilidade são preocupados e mostrar esse cuidado com o consumidor. Portanto se não encontrou essa informação, é preferível que troque de suplemento.

Ômega 3 é bom para quê?

O ômega 3 apresenta diversos benefícios ao corpo:

Benefícios do ômega 3 para todos os ciclos da vida

Como o ômega 3 funciona no corpo?

O ômega 3 é conhecido por estimular a produção do HDL (colesterol considerado bom) e de moléculas fundamentais ao organismo, como as prostaglandinas e mediadores lipídicos, sendo também responsável pelo transporte de substâncias indesejadas, como o LDL (colesterol ruim) direcionando-os ao local de sua  eliminação.

Desse modo, o ômega 3 é fundamental para normalizar as concentrações de lipídeos (HDL x LDL) no sangue e prevenir risco de doenças crônicas não transmissíveis.

Além disso, o ômega 3 faz parte da estrutura de membranas de todas as células, com destaque para a bainha de mielina das células neurais,  facilitando o desenvolvimento cognitivo e processos de aprendizagem.

Alimentos com ômega 3 são suficientes?

Os alimentos mais conhecidos por conter o ômega 3 são os peixes de águas frias, como salmão, sardinha, anchova e arenque, e também as nozes e amêndoas e sementes como a linhaça.

Veja nessa tabela a seguir os principais alimentos fontes de ômega 3 e a quantidade de EPA, DHA e ALA em cada um deles em uma porção de 100g.

Alimento (100g)EPA (mg)DHA (mg)ALA (mg)
Salmão com pele grelhado12101220400
Manjuba empanada frita4401160840
Carimbatá assado840260170
Salmão sem pele grelhado720750330
Sardinha enlatada em óleo440460990
Salmão sem pele cru43046030
Atum enlatado em óleo30190290
Bacalhau cru206080
Lambari frito30230780
Merluza filé frito190600360
Linhaça0019810
Noz crua008820
Óleo de canola006780
Óleo de soja005720
Pão de aveia de forma00590
Abacate0080

É bem comum que as pessoas não consigam atingir as quantidades necessárias diárias de ômega 3 apenas através dos alimentos.

Por essa razão, a busca pela suplementação é cada vez mais frequente, sendo uma excelente alternativa para a adequação e manutenção da regularidade do consumo diário de ômega 3.  

Portanto, com alguns cuidados, o ômega 3 não possui contra indicações. Além de promover benefícios para todo o organismo.

Quer saber mais?

Que tal um desconto especial para experimentar um ômega 3 de altíssima qualidade?

 

Referências:

THOTA, Rohith N. et al. Science behind the cardio-metabolic benefits of omega-3 polyunsaturated fatty acids: Biochemical effects vs. clinical outcomes. Food & function, v. 9, n. 7, p. 3576-3596, 2018.

WILSON, Nina A. et al. Gestational age and maternal status of DHA and other polyunsaturated fatty acids in pregnancy: A systematic reviewProstaglandins, Leukotrienes and Essential Fatty Acids, v. 144, p. 16-31, 2019.