Pular para o conteúdo
Home » Todos os posts » Vitamina K2: tudo o que você precisa saber

Vitamina K2: tudo o que você precisa saber

Alimentos fontes de vitamina k2 de origem vegetal
7 minutos de leitura

A vitamina K2, ou menaquinona, é um dos 3 tipos de vitamina K existentes. Está envolvida principalmente na coagulação sanguínea, onde é necessária para fazer com que o fígado produza todas as enzimas responsáveis por esta etapa. 

Outra função importante do nutriente é equilibrar a absorção do cálcio. Sendo assim, a vitamina K2 transporta o mineral por todo o organismo, contribuindo para melhorar a densidade óssea e evitar episódios de fraturas.

Além disso, ela evita que sais de cálcio se depositem nas artérias e veias, impedindo episódios como aterosclerose, acidente vascular cerebral e infarto. 

A vitamina K2 é mais biodisponível e ativa que a vitamina K1, sendo absorvida mais rapidamente pelo corpo. Por esta razão, tem sido muito suplementada, inclusive para os recém-nascidos, de acordo com as diretrizes do Ministério da Saúde. 

Benefícios da vitamina K2 para a saúde

1. Participa da coagulação sanguínea

O principal benefício atribuído a vitamina K2 é a participação direta na coagulação do sangue, permitindo que feridas e sangramentos cessem.

Neste caso, sua deficiência contribui diretamente para maiores chances da ocorrência de hemorragias internas, anemia, ciclo menstrual intenso entre outros eventos associados.

2. Fortalecimento dos ossos

A vitamina K2 bloqueia a formação dos osteoclastos, as células que permitem que o cálcio dos ossos seja liberado e utilizado para outras funções corporais, um processo chamado desmineralização óssea.

A osteocalcina é uma proteína envolvida na densidade mineral dos ossos, sendo essencial para fortalecer a composição do esqueleto. 

Alguns estudos indicam que a suplementação de vitamina K2 pode contribuir para a diminuição da perda óssea em pessoas com osteoporose.

3. Saúde do coração

A calcificação das artérias e vasos sanguíneos contribui para que eventos como aterosclerose, AVCs e infarto ocorram, devido ao acúmulo de cálcio nessas regiões.

Sendo assim, a vitamina impede que o cálcio fique aprisionado nesses locais, evitando que ocorrências cardiovasculares aconteçam de forma frequente.

4. Redução dos sintomas da TPM

Durante o ciclo menstrual é comum que sintomas como sangramentos intensos e cólicas abdominais ocorram.

Nesse sentido, a vitamina K2 tende a diminuir tais sintomas e sua deficiência contribui para que os mesmos se elevem.

Alimentos fontes de vitamina k2 de origem animal

Quais são as fontes de vitamina K2?

Em geral, além da suplementação, a vitamina K2 é encontrada em alimentos de origem animal como:

  • Leite e derivados;
  • Gema do ovo;
  • Banha;
  • Fígado bovino;
  • Manteiga;
  • Alimentos fermentados com soja, como o Natto.

Todavia, ainda é encontrada em alguns alimentos de origem vegetal, embora em menores proporções:

  • Brócolis;
  • Couve;
  • Alface;
  • Acelga;
  • Chicória;
  • Couve-flor;
  • Repolho.

Quantidade diária recomendada

A vitamina K2 é naturalmente produzida pelo organismo, através da fermentação das bactérias intestinais.

No entanto, devemos estar atentos à quantidade recomendada diariamente, que, de acordo com o Ministério da Saúde, é de 90 microgramas para mulheres e 120 microgramas para homens adultos.

Porém, a maioria dos suplementos contém 120 mcg de vitamina K2 para mulheres, em geral, não deve representar um problema, uma vez que está ligeiramente acima da recomendação média.

No entanto, é sempre aconselhável conversar com um profissional de saúde antes de fazer alterações significativas na ingestão de vitaminas ou minerais, especialmente se houver preocupações de saúde específicas.

Qual a doença causada pela falta de vitamina K2 no organismo?

1. Melena 

A melena é o aparecimento de sangue nas fezes por conta de sangramentos nas paredes do estômago.

Como a vitamina K2 está relacionada a coagulação sanguínea, baixas dosagens no organismo predispõem ao aparecimento de hemorragias internas.

2. Hematúria

Quando ocorre presença de sangue na urina, pelos mesmos motivos do aparecimento da melena.

3. Hemorragias graves 

Todos os problemas relacionados à coagulação do sangue podem ocorrer devido a baixos níveis de vitamina K2.

Contudo, o principal sintoma associado a esta condição são episódios graves de hemorragia, após traumatismos, onde o sangue demora muito  para ser estocado.

4. Calcificação vascular 

Ocorre por conta do acúmulo de cálcio na corrente sanguínea, condição relacionada à baixa dosagem da vitamina no corpo.

O resultado dessa calcificação são maiores riscos de aterosclerose com risco de morte, além de AVCs e infarto.

5. Enfraquecimento dos ossos 

Baixos níveis desta vitamina também contribuem para o enfraquecimento do sistema ósseo, contribuindo para ocorrência de fraturas e osteoporose.

Entretanto, vale afirmar que a deficiência de vitamina K2 é uma condição bem rara, já que como mencionamos, ela é produzida naturalmente através da microbiota intestinal.

Mulher jovem consumindo vitamina k2

Quais grupos se beneficiam da suplementação de vitamina K2?

Os grupos que mais possuem risco de apresentar deficiência de vitamina K2 são:

  1. Recém-nascidos;
  2. Bebês prematuros;
  3. Pessoas que fizeram cirurgia bariátrica;
  4. Indivíduos em uso de medicamentos que reduzem a absorção de gordura.

Por esta razão, esses grupos são os que mais necessitam da suplementação, além das pessoas que por algum outro motivo apresentam deficiência verificada em exames de sangue.

Como tomar vitamina K2?

A vitamina K2 deve ser ingerida sempre próxima a alguma das refeições principais, como almoço ou jantar.

Além disso, é preciso que o suplemento seja ingerido em associação a uma fonte de gordura, como azeite extra-virgem ou peixes de águas profundas, fontes de ômega 3, como salmão, sardinha ou atum.

Por ser uma vitamina lipossolúvel, é necessário a presença de gordura para ser absorvida e metabolizada de forma adequada pelo organismo.

Perigos e efeitos colaterais do uso de vitamina K2 sem prescrição médica

A ingestão de vitamina K2 por conta própria e sem prescrição médica, pode aumentar o risco de surgimento de coágulos e trombose, assim como perda parcial das funções hepáticas.

A superdosagem pela alimentação é um evento muito caro de acontecer, e a suplementação é a principal causa desses eventos. Portanto, antes de sair suplementando por conta própria, consulte sempre seu médico ou nutricionista.

A vitamina K2 é melhor que a K1?

Um dos motivos que fizeram com que a vitamina K2 ganhasse mais destaque ultimamente, são as alegações do suposto efeito superior de um dos tipos  de vitamina K no funcionamento do organismo.

Algumas pesquisas sugeriram que o papel das vitaminas K1 e K2 são diferentes entre si, enquanto outras preferem classificá-las como nutrientes diferentes.

No entanto, também se questiona os benefícios da vitamina K1, onde apontam que seus efeitos podem ser mínimos e que  a vitamina K2 detém a maior parte dos benefícios das vitaminas K.

Entretanto, esses dados apontam que se sabe muito pouco sobre a vitamina K1 e K2, e que mais estudos precisam ser feitos e publicados a respeito do papel de cada uma delas, de forma isolada.

Quer saber mais?

Referências: 

Capozzi A, Scambia G, Lello S. Calcium, vitamin D, vitamin K2, and magnesium supplementation and skeletal health. Maturitas. 2020 Oct;140:55-63. doi: 10.1016/j.maturitas.2020.05.020. Epub 2020 May 30. 

Iwamoto J. Vitamin K₂ therapy for postmenopausal osteoporosis. Nutrients. 2014 May 16;6(5):1971-80. 

Akbulut AC, Pavlic A, Petsophonsakul P, Halder M, Maresz K, Kramann R, Schurgers L. Vitamin K2 Needs an RDI Separate from Vitamin K1. Nutrients. 2020 Jun 21;12(6):1852. 

Beulens JW, Booth SL, van den Heuvel EG, Stoecklin E, Baka A, Vermeer C. The role of menaquinones (vitamin K₂) in human health. Br J Nutr. 2013 Oct;110(8):1357-68. doi: 10.1017/S0007114513001013. Epub 2013 Apr 16. 

Minsitério da Saúde. Desmistificando dúvidas sobre alimentação e nutrição. Brasil, 2021.

4.7/5 - (6 voto(s))

Nutricionista pela Universidade de São Paulo (USP).

Experiência acadêmica em pesquisa científica, trabalhando com projeto sobre tratamento de epilepsia com dieta cetogênica. Atuação em educação alimentar, desenvolvendo curso de capacitação para professores da rede pública sobre nutrição.

Trabalha com marketing de conteúdo, com foco na divulgação de informação de qualidade baseada em ciência sobre alimentação e suplementação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.